A Lunática

Minha foto
Belém, Pará, Brazil
Nutricionista. Canta por aí. Escreve sobre o que vë, ouve e imagina. Ela é aquariana, rapaz uma eterna colecionadoras de momentos e de pessoas. Inconstante e com uma personalidade gigante assim como o mar. A diferença é que ela vai, mas não volta.

quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

Arrume as Malas pra 2015





É chegada a hora de carregar nossos sorrisos pra outros 365 dias.  2014 já está de malas prontas pra pular porta a fora. E você? Já decidiu o que colocar nessa mala com destino ao passado? Não pensou ainda? Não brinca!!! Então vamos lá menina que tá chegando meia-noite e não é bacana carregar o peso de ontem pra todas essas páginas em brancos que já já virão com direito a fogos de artifícios e brindes animados!!! Nesse caso sugiro uma retrospectiva? (Adoro retrospectivas, sabia?). É aquela chance maravilhosa de analisar todos os nossos erros e acertos, lembrar das vitórias, das derrotas, tristezas e alegrias, porque simplesmente isso tudo tem que acontecer. Ou nossa vida não seria nadinha emocionante. E a gente não quer viver no tédio eterno, concorda? 

Podemos então fazer um mutirão de limpeza emocional, sabe como é? Pra pisar em 2015 de alma limpa e coração aberto! Pra isso nada melhor do que sair abandonando as lembranças que causam sofrimento, se você já tirou a lição necessária pra seguir em frente, então ande. Guardar mágoa, rancor e raiva não nos permitem um sorriso honesto! Purifique sua fé. Dois mil e quinze será o seu ano! Um ano de superação e renovação! É fácil ser feliz! É fácil viver o tempo dia por dia. Como diz a canção: "Não há tempo que volte" Se permita ser feliz! Vá viver malucas histórias pra contar! Escolha o que colocar na sua bagagem e parta de chinelos e maquiagem sem olhar pra trás! Estamos quase lá. Falta pouco para um ano branco, novo e brilhante!

Querido ano de 2014, se despedir não é fácil, mas saiba que você foi um ano especial principalmente por me conceder enfim, minha formatura em Nutrição, por me proporcionar viagens, pôr-do-sol incríveis, um emocionante Círio de Nazaré, fazer amigos novos e rever os antigos. Um abraço enorme 2014 pelo sucesso do Blog!!! Pelos instantes em que me viu chorar sorrindo, por todas as vezes que me concedeu uma nova manhã, novas metas, novos objetivos e intensas inspirações! Foi tudo mágico!

Antecipadamente te agradeço em eterno por levar em sua mala tudo aquilo que hoje já não me acrescenta como aqueles "amigos" que se foram por já terem dado o suficiente de si ou mesmo aquele relacionamento errado, maluco e mega desgastante. E se não for pedir muito, leve os sonhos não realizados também porque é chegada a hora de novo sonhos.

Vem meu bem, vem 2015. Chega pra cá que tô de malas arrumadas e  pronta pra viver.


domingo, 21 de dezembro de 2014

Exclusiva Opção



Ela colocava os fones pra distrair os dedos e a mania de olhar pra tela do celular todo santo dia, tinha esperanças vazias, mas ainda assim eram esperanças. No fundo ela sabia que precisava de um espaço de tempo pra entender as complicações perversas formadas por uma paixão inútil. Tudo que ela necessitava era de um ar menos carregado de saudade porque sabia também que se continuasse ali com certeza enlouqueceria.

Juntou coragem e as malas, soprou um beijo de despedida e desapareceu nas nuvens. Nos dias que se arrastaram evitou contatos, bloqueou lembranças, teve seus altos e baixos e sofreu até equilibrar suas emoções. Quando finalmente conseguiu se divertia infinitamente ensaiando desprezo, desapego, sorrisos irônicos, discursos maldosos e até gestos obscenos. Mas foi em um lugar inesperado que encontrou o suporte que revitalizou seu amor próprio. Ali  largou em um balde de lixo as tristezas, as lembranças e o choro. Definitivamente aquele era o lugar onde essas emoções deviam estar. Com sangue fervendo concluiu que Infelicidade só nos atinge se por causa dos outros deixarmos de sermos felizes. Nada mais podia segurá-la. Ela já havia se tornado dona de si, sem inseguranças ou medos, soube enfim que valia muito, bem mais do que alguém podia merecer.

Hoje, ela não se importa se alguém diz que ela se acha, isso soa engraçado, no fundo foi bem isso que aconteceu mesmo, ela se achou, se encontrou e graças a isso anda distribuindo sorrisos por todos os lados. Ela aprendeu a viver inventando piadas de suas decepções, aprendeu a rir de si mesma e da cumplicidade que intimamente tem com seu suporte pra lá de lindo e talentoso, afinal é ele quem canta no ouvido dela que aquele cara por quem ela se apaixonou merece palmas e o titulo de pior homem do mundo. Nada mais fará com que ela se sinta pequena, frágil ou rejeitada, foi pra isso ela tatuou em seu consciente que diante da mulher maravilhosa e linda que ela é existem homens que não tem nem vez para lhe dirigir a palavra. Agora ela sabe o quanto  alguém que é exclusiva opção merece MAIS.

...Ele estava um passo a frente dela. No entanto ela se surpreendeu com seu controle em deixar sua maquiagem intacta. Já não havia nada, nenhuma linha de sentimento que os ligassem. Ela fez graça da sensação de saudade e teve crise de risos por não estar tão machucada quanto pensou que podia ficar. 

segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

Intimidade Entre Estranhos


"Felicidade é um fim de tarde olhando o mar 
E a gravidade não te impede de voar
Longe de toda negatividade a onda boa se propaga no ar"


Todo mundo sofre nessa vida, seja por saudade, por decepção, por fazer as escolhas erradas. Mas não importa o tamanho da dor ou a quantidade de lágrimas que você tenha sentido ou derramado. No dia seguinte trabalhe seu otimismo sempre!!! E coloque um sorriso sincero nos lábios. Você melhor que ninguém sabe que devemos doar sorrisos... Eles podem ser a última visão de alguém que queremos bem. Não existe lado bom e lado ruim de situações, só existe a maneira como você as encara e a melhor forma de se fazer isso é transformando os dois lados em motivações pra continuar essa caminhada a qual Deus nunca te deixará trilhar sozinho.

Infelizmente não há um antidoto que evite o sofrimento. Se não é fácil olhar pra trás, pare de remoer o passado e siga em frente! É pra frente que se anda moça bonita e é no novo que esquecemos o velho. Conheça novas pessoas, tem muita gente nesse mundo de meu Deus que vale a pena encontrar. Já disseram que você é linda e inteligente? Você é quem pensa não saber enfrentar as belezas dessa vida, você tem uma força incrível aí dentro desse coração. Concentre-se! Pare de chorar pelo leite derramado, levante e vá comprar uma caixa de leite nova em folha. Você merece ser feliz. Não dependa dos outros para isso. Faça acontecer.

Andar não sorrindo não significa nada, talvez seja apenas umas mudanças, crescimento melhor dizendo. É só uma tristezinha passageira que de vez em quando aparece pra que a gente comece a dar valor ao menos valorizado, não é incrível como sempre funciona? Esqueça o que te aflige. Es-que-ça!!!! Acredite, a solução ta por aí vagando. Daqui a pouco ela baterá na sua porta! Que nem diz aquele nosso amigo distante:

“O que não tem solução, solucionado está!" E aí o que me diz? Sai da frente desse espelho. É hora de sair e de se doar, isso inclui doar esse sorriso lindo que você tem! Não peça, vá a luta, busque! Fé você tem. Eu sei.




sábado, 29 de novembro de 2014

Tem Gente Que Deixa Para Ser Feliz No Dia Seguinte...

 Da série presente de texto escrito por um grande amigo!


Saudade! Sentimento? Dor? Ou vontade de aproveitar mais e melhor o que passou? Palavra de muitas rimas, sina da vida é querer o que já se foi. Perco o hoje pensando no ontem, mal percebo o amanhã. Acorda, olha o sol lá fora, ele clama por você. Afinal, a vida é assim, já não se olha nos olhos, já não se olha pra cima, já não se admira o clima. E sem clima a gente procura o que querer, sem saber, sem viver, apaga a luz, deita aqui, tudo o que quero é você.

Às vezes, tudo que procuramos é alguém para nos ouvir e uma mão para apertar, e pouco importa em que velocidade o mundo gira, o melhor é ficar sem ar, te abraçar, procurar o chão e não encontrar. Depois de um tempo, a gente descobre que saudade tem cheiro, corrói por dentro, porque saudade dói e é forte o suficiente para tirar lágrimas até de um homem, gera uma sensação marcante de estar dentre tanta gente, mas se sentir como uma planta sem raiz, sem vida, sem cor, sem amor.

E quando a noite vem, traz o vento frio que pede seu calor, traz um céu estrelado e um clima de romance, traz a lua que impera e pergunta: por que tem gente que deixa para ser feliz no dia seguinte?



terça-feira, 18 de novembro de 2014

Luz Das Estrelas Que Não Brilham À Meia-noite




Continuar. Seguir em frente. Esses últimos dias essas palavras não tem feito o menor sentido, não quando me reservo a prioridade de involuntariamente pensar em você, em nossas lembranças juntos, memórias eternas de uma vida que me parece tão inexistente, distante, inalcançável. Não ajudou muito deixar a cidade, voar pra outro estado se carrego você na bagagem. Posso tentar mudar de continente, mas sei que certamente você estará lá como uma parte de mim indeletável e inesquecível.

Preencho meu tempo com tudo que posso, faço isso há anos, os anos que persisti com a espera inconsciente, mas em todos esses anos existe pelo menos um mês, um único mês em isso que acontece, essa ferida sangra tão dolorível, perturbando minha mente, me tornando inquieta por semanas, eu me sinto machucada, vazia, com um eterno espaço que me parece jamais será preenchido novamente. E esse espaço mesmo que silenciosamente ou em inaudíveis sussurros continua implorando por você. 

O homem que impulsionou eletricidade em minhas veias do primeiro ao último toque. Aquele com sorriso sincero cheio de sarcasmo que abandonava a vida presente apenas com meu simples pedido pra ficar por mais um dia. Aquele homem que me fez cruzar o país apenas pra me encontrar por uma noite. Aquele que me exigia saudade em letras maiúsculas em época que e-mails eram os melhores meios pra se estar perto e ser lembrado. Eu sinto falta. E ela amplia de uma forma imensurável quando esse mês bate na porta. Eu deixei de lutar contra a dor, vem de qualquer jeito e como uma insana eu perfuro a mim mesma e busco por tudo que mantenho profundamente escondido: Anotações, músicas esquecidas no fundo do meu consciente, textos em um diário guardado na secreta gaveta, antigas confissões cravadas em frases datadas de anos mais que felizes. Anos completos

Como tivemos coragem pra irmos tão longe pra nos perdermos em segundos. O adeus que nunca chegou. O tchau nem ao menos escrito. As vezes chego a duvidar que a loucura de amar realmente aconteceu comigo, que através de um único homem eu descobri tudo que precisava saber, porque é aqui no futuro do qual tanto conversamos que eu vivo tudo que você me ensinou. É aqui que percebo o quanto sinto saudade das instruções, dos avisos, dos sermões sobre minha  inexperiência em levar alguém a sério. Você venceu e eu perdi. Perdi em todos os sentidos. Perdi pra sua conquista insistente e fascinante. Perdi pra suas chantagens criativas. Perdi minha autoridade do não quando as chaves do seu presente chegou em dezembro antecipando o Natal  tatuando em mim sua partida e a lembrança de me ver sentada em seu colo ouvindo por sua respiração a confissão do seu amor. Eu perdi você em um buraco negro de um último e-mail datado de 12/2011, nele você diz que está com saudade. Eu respondo que sinto o mesmo. Eu entendi depois de meses sem resposta via e-mail ou qualquer outro meio que aquele foi o fim dos nossos três anos completos.  

Se você vive, trabalha, tem filhos, férias na praia, um casamento feliz eu não sei dizer. Eu continuo. Eu sigo em frente por onze meses todos os anos. Procurando você em cada carinha que conheço, mas sem sucesso. As palavras da minha mãe ditas sem que ela soubesse que eu as ouvia ecoam por todos os lados: "Ela vai viver pra esperar por ele". Talvez sim. Talvez não. Escreverei quando estiver vivendo no futuro planejado apenas por mim. Por agora vivo aquele que nós planejamos. Sem êxito. Farei 25. O limite pros nossos planos feitos quando eu tinha penas 19. O espaço em mim a partir daí sempre existirá. No fim, ele é a única prova de que você realmente esteve aqui.

Sua Princesa.

sábado, 15 de novembro de 2014

Talvez

Todo mundo diz que não existe ninguém mais apaixonado.


Talvez o tempo tenha parado. Talvez eu não tenha a sanidade pra definir a realidade do que um dia foi e nem de admitir que acabou. Talvez eu jamais perca o costume de diariamente checar minha caixa de e-mails pra ver se me surpreendo com alguma noticia sua. Talvez eu jamais deixe de lembrar que foi no fim de abril que nos conhecemos. Talvez eu jamais perca a esperança de tocar seu rosto novamente. Talvez em um futuro que agora parece nunca eu consiga ouvir sua voz mais uma vez ou ver o seu sorriso que tanto foi meu presente quando despertava ao seu lado. Talvez eu consiga parar de comparar todos os caras que conheço com a lembrança que quase já não tenho mais. Talvez quem sabe isso aconteça por não conseguir me desacostumar dos seus beijos e dos seus abraços. Ou talvez eu não perco esse medo de ficar sozinha porque ele existe pra esperar você.

Talvez eu seja apenas uma memória feliz sem registro fotográfico que com tempo deixou de existir na sua vida e isso é o que mais dói, a diferença é que essa dor é multiplicada pelos anos que chegam enquanto você vai mais longe. Talvez um dia eu deixe de procurar por sua sombra, nesse dia talvez eu aceite que minhas lágrimas não farão com que você volte e eu posso talvez tentar me acostumar com essa dor mesmo que talvez eu nunca deixe de reler seus e-mails antigos afirmando que me amou mais do que a si mesmo e nem deixe de dormir chorando sabendo que parei de contar os anos que estávamos juntos pra contar os anos que estamos separados. Talvez eu só precise aceitar e conviver que mesmo com todos os existentes "talvez" eu continuarei amando você por todos anos que ainda virão.  E só sinceramente espero que eu pare de falar e escrever sobre você. Ou que apenas talvez você leia o que escrevi.  

Sua.
Princesa. 

terça-feira, 11 de novembro de 2014

Queria Me Beijar com Sua Boca

Sabe, quando a felicidade invade quando pensa na imagem da pessoa 
Quando lembra que seus lábios encontraram outros lábios de uma pessoa 
E o beijo esperado ainda está molhado e guardado ali... Em sua boca.

Nando Reis


Você passou ao meu lado e meu coração ficou desesperado, louco para te abraçar. Senti o vento com seu cheiro, você sabia da minha vontade de te agarrar. Então esnobou, me esnoba. Não tenho certeza, mas acho que você sabe o que eu quero e se aproveita para me testar. Faz charme, faz boquinha, finge que não me vê, mas um dia a gente se topa, aí quero ver você escapar. Se você pensa que química se aprende na escola, espera até meu corpo encontrar o seu. 




Desde a primeira vez que te vi, descobri que queria ver meus olhos nos teus, te abraçar, te apertar, te beijar. Demorei dias pensando no que te falar. Pensei em poesia, pensei em hipocrisia, mas quando te encontrei não pensei. Não sei o que aconteceu, troquei as palavras, calei e disse: Queria me beijar com sua boca todos os dias.

segunda-feira, 10 de novembro de 2014

PROMOÇÃO!!!!! 4 Anos de Blog Jeito Lunático





Galera linda que curte esse Blog e a página do face do Jeito Lunático muita atenção: Até dezembro em comemoração aos 4 anos de blog terá vários sorteios de livros e produtos com a marca do blog. 

O primeiro presente é um exemplar do livro Não Se Apega Não da Blogueira Isabela Freitas. Quer ganhar? Siga as regras e clique em participar! 











Para participar, siga as regras abaixo: 


2. Compartilhe o link do sorteio publicamente. 
Clica Aqui


3. Clique em Quero Participar no link do sorteio pelo aplicativo sorteie.me

Boa Sorte Gente!!!!



PROMOÇÃO ENCERRADA

Olha aí gente! Diretamente de Santa Catarina, Samantha Corrêa, ganhadora da Promoção 4 Anos de Blog Jeito Lunático, enviou sua fotinha com o Livro Não Se Apega Não da Isabela Freitas! Que linda, né?? Parabéns Samantha!! E obrigada pela participação!!!!






quinta-feira, 6 de novembro de 2014

03 Minutos




Eu poderia abrir os braços ou até mesmo colocar as mãos em posição de amém pra começar a desejar tantas e tantas coisas, sabe? A verdade é que estava de passagem e resolvi parar na frente da sua casa por um engano indesculpável. Lembrei de quando descia as escadas com o guarda-chuva nas mãos pra colocá-lo sobre sua cabeça nos dias em que você chegava encharcada da chuva, lembra? Não? Pois é, não tem problema, essas coisas a gente esquece mesmo. Eu pensei em ligar, escrever, voltar, até tentei alugar um apartamento na rua da frente, mas aquela sua amiga, como é mesmo o nome? Ana, não é isso?  Ela disse que eu estava ficando louco. E confesso a você que talvez ela estivesse certa. 

Pensar sobre nós causa uma desconcertante inquietude por acreditar na estranheza do nosso fim. Me sentia o homem mais feliz nesse deserto de mundo naquelas madrugadas que você com olhos fechados procurava pelo meu corpo dizendo que precisava ficar mais perto apenas por causa do frio. Você me amou de verdade minha pequena-garota-problemática-cheia-de-sonhos-e-história-pra-contar. É eu sei, deixei dúvidas demais espalhadas pelo caminho o qual você teria que percorrer por mim, concorda? No fim, aprendi com cortes profundos que existem certas dores que não desparecem. Todas as desculpas e promessas foram insuficientes pra manter nossos planos em construção. Mas ei minha menina, antes que o tempo passe, me deixe dizer que lágrimas definitivamente nunca combinaram com seus olhos cor de mel. Acredite, cada segundo ao seu lado foram perfeitos e no meu travesseiro ficará guardado seu sorriso exagerado e a lembrança da sua vontade de mudar o mundo.

O relógio cobra o tempo que não temos, mas antes de partir me deixe desejar que um dia você consiga perdoar aquele que não soube te amar, aquele que não soube ser seu raro amor. O amor que você tanto busca e merece. Você merece todas as coisas boas e indefiníveis da vida e a maior delas é o amor, moça.  Amor. Amor de família, dos amigos e de todos aqueles que cruzarão seu destino. Acima de tudo que você encontre o insubstituível amor próprio, pois nele você encontrará tudo que precisa pra ser quem quiser e quem sabe até mudar o mundo como sonha. Antes de não te ver mais me deixe desejar que ele chegue tão rápido quanto eu fui. Que ele te segure. Segure suas lágrimas que você esconde por teimosia. Que ele conte histórias inventadas e absurdas apenas pra te ver sorrir. Que ele te leve pra dançar em noites estrelares. Que ele esteja presente em todos os teus momentos importantes. Que ele te ame com intensidade e cumplicidade. E que ele jamais seja uma daquelas pessoas que estilhaçam tudo. E enfim, que dentro de você exista sempre a força pra lutar pelo amor que tanto precisa pra recomeçar quando a vida exigir demais de você minha menina.

Eu inevitavelmente ainda amo e acredito em você.

terça-feira, 4 de novembro de 2014

Doce Saudade

E eu descubro que além de anjo 
Eu posso ser seu amor


É madrugada. Que sentimento é esse sem explicação que invade meu corpo e adentra meu peito sem que eu possa fazer nada tornando refém meu carente coração. Talvez essa sensação seja a falta de notícias, isso tem me deixado cada vez mais aflito causando essa mistura de sentimentos e sensações onde sinto medo e sinto raiva. Medo por não te-lo mais. Raiva por não ter respostas nas inúmeras mensagens enviadas. Mas ainda assim também sinto essa vontade de te cuidar e ter você em meus braços. Sinto falta de você. Sinto esse desejo aumentando dentro de mim. Logo, sinto você aqui. Perto. Ao meu lado. 

A loucura de todos esses sentimentos me deixam confuso, a razão exige que eu tome uma atitude diferente das emoções ditadas pelas vontades do coração, o resultado? Acabo atropelando tudo, dos sentimentos mais puros aos mais insanos que alguém pode imaginar. Sorrio involuntariamente quando entendo que só você tem esse poder sobre mim, quando me me faz sentir leve, quando me faz sentir a energia positiva e a forte emoção do um simples toque de pele quando estamos juntos. Você me permite ir além, me  faz sentir o doce e o amargo da saudade quando me perco dos seus abraços, quando já não sei onde seu caminho vai... Se para perto ou se para longe de mim.

Esses pensamentos me levam ao êxtase quando me encontro como estou agora, parado, jogado sobre a cama, olhando pra esse teto vendo tudo passar na minha mente, não como novela, filme ou algo clichê, mas simplesmente como nossa história, nossos momentos que por mais breves que tenham sidos parecem eternos. Você pode não ter uma definição pra isso, mas eu tenho. Isso é o que eu chamo de Sabor Doce da Saudade, que logo acaba quando alguém que não é você bate na porta do quarto me convidando a sair desse meu submundo.

A dura realidade é aceitar que tudo aquilo eram apenas lembranças e como uma vela debaixo de um copo tem sua chama apagada por falta de oxigênio, tenho o doce tomado pelo amargo da mesma forma. Aos poucos tudo volta a ser como antes e me vejo aqui sem você, algumas vezes, esse "amargo" vem com a solidão e com as lágrimas que lavam meu rosto tentando me consolar, me acalantando em um profundo sono, onde mais uma vez encontro você. Nos meus sonhos.


Texto do meu amigo D'Ângelo Henrique
Colaboração Dheysse Lima
Obrigada pela confiança em me deixar publicar pela primeira vez um de teus textos.

sexta-feira, 17 de outubro de 2014

O Que Você Não Contou pra Ela

A gente sempre acha que é especial na vida de alguém, mas o que te garante que você não está somente servindo pra tapar buracos, servindo como curativos pra feridas antigas?

Você sempre será um pouco meu. Mesmo agora estando com ela. Há partes de você que não conseguirão me deixar, tudo em mim te atormentará, desde o meu perfume, meu ciúme, minhas manias. Em cada momento que você viver com ela vai sentir que não importa os milhões de anos que passe ao lado dessa mulher, ela não conseguirá nem com muito esforço ser tudo que eu fui em tão pouco tempo. Então solta a mão dela e comprove que não há laços entre vocês. Que essa felicidade e esse sorriso estampados pelas ruas e rede sociais são artificiais, forçados, patéticos até. Corre, se apresse e conte tudo pra ela. Conte que ela não tem vocação pra ser sua, nem adianta insistir, ela não vai assistir futebol com seus amigos e gritar nomes feios, ela é certinha demais e nós dois sempre concordamos que os opostos não se atraem, que legal mesmo é encontrar no outro o que identificamos em nós mesmos. Entende que ela não irá sorrir nas brigas, ela não irá te expulsar da vida dela e dez segundos depois te dar a chave do apartamento e do coração.  Ela cansavelmente não será sua cúmplice, amiga, mulher, amante, nem verdadeira, sincera, irônica, cínica e charmosa ao mesmo tempo. Ela não tem dom pra ser tudo de uma só vez. 

Ela não despertará o sol em seus dias mais nublados, densos e estressantes. A coitada nem saberá quando você estará nesses dias porque ela não deitará no seu colo pra ouvir você contar como foi a semana. Ela não vai sair abraçada com você na madrugada em busca de qualquer open bar que sirva dose dupla de tequila, ela nem sabe como é a sensação ardente de um beijo com álcool. Ela não vai incendiar a noite. Ela não conhece sua pele, seu ponto fraco pra arrepios, não possui loucura no sangue e não vai adiantar você fechar os olhos, imaginar nós dois, querer sussurrar meu nome porque não será o suficiente, nossa química ia além de quatro paredes. 

Ela pode estar ao seu lado, ocupando meu espaço, mas tudo em você será solidão, incompleto, pela metade. Ela não vai acordar no meio da noite em busca do seu abraço, dos seus braços. Ela é inocente demais pra desejar o seu corpo até o amanhecer. Dói minha alma só de saber que você sofrerá em silêncio, porque todos seus pensamento estarão voltados pra comparação e a pior sensação será o arrependimento de não contar pra ela que a única que soube te amar ao extremo fui eu. 

terça-feira, 30 de setembro de 2014

Conversa Passada

Estou mudando todas as estações...


Ela surtou cara, eu fui sincero, amigo, bacana, terminei numa boa. Não se pode ficar apenas por gostar, união pede mais, não dava pra empurrar com a barriga os lances que pra mim já esfriaram, é impossível inventar uma forma ou uma fórmula inédita, nova, original de re-amar, entende? Eu simplesmente conheci alguém e contei a ela. Nem preciso descrever o seu descontentamento. Não fui canalha cara, coloquei as cartas na mesa, encerrei nosso prazo sem brigas ou discussões, silenciei em respostas aos ataques e pirações dela, incrível como uma mulher pode mudar da água para o vinho quando se sente magoada, ferida ou como ela mesma disse passada pra trás. Amei aquela pequena dia e noite, mas cada palavra insana e ofensiva me despertava arrependimentos, me fazia questionar se por dentro da mulher que estava ao meu lado existia esse lado perturbador. Eu a observava e confirmava que sem perceber havíamos nos tornado óleo e água. Tentei explicar pausadamente que o sentimento entrou em mutação, que não conseguia olhar em seus olhos e mentir, ela me encarava, acredito que naquele momento, lá no fundo percebera que eu estava sendo quem sempre fui, odeio mentiras, omissões, fingimentos, não poderia trair minha personalidade, não comigo, nem com ela.  Apesar dos surtos não nego que a fiz sofrer, nela ainda há amor, mas você tem razão cara, canalha eu seria se a deixasse presa a mim causando pequenos cortes profundos. Foi um golpe só, lento e doloroso, porém superável. Não serei sua primeira e estou longe de ser a última decepção. Sofrimento é ensinamento, não há imunes. No tempo que virá quem sabe não serei eu a estar em seu lugar me assistindo ser abandonado por alguém.



quarta-feira, 24 de setembro de 2014

Frente a Frente



Quem decide ir deixa o amor que sentiu com quem ficou. O amor então consome em dobro, o sofrimento também.  Amor não passa, não some por vontade muito menos pelo choro mais forte e desesperador. Amor acalma, adormece. Se guarda. A dor cessa. Você escolhe sair, prometo ficar. Não impedirei, nem pedirei que fique, que retorne ou que não vá. Posso dizer adeus mesmo te amando. Acredite, eu consigo suportar.
Dheysse Lima

sexta-feira, 19 de setembro de 2014

Reviravolta




Se ele acordou um belo dia decidido a reaver passado dele, mesmo sabendo que não haveria mais espaço pra você, pode chegar mais garota, seja bem vinda ao clube. Nós mulheres temos a estranha mania de nos doar além de nossas forças, por isso não é muito fácil entender uma decisão dessas do cara que tinha como lema te fazer um pouco mais feliz. Se é contraditório? Sim! Seus pensamentos estão corretos! Mesmo que você tente a todo o custo se convencer o quanto é natural essa situação, você não consegue. Não se preocupe, é totalmente compreensível. É bem difícil entender como um ser humano pode querer de volta algo que fracassou. Que desistiu. Que até então havia superado.


Engraçado e bem irônico é abraçar a saudade enquanto a saudade dele abraça outro alguém.

Então, desce as lágrimas e logo chegam os pensamentos focando no bom que estamos perdendo. Mas será que era bom? Digo, mesmo, mesmo? É, garota, seja esperta, se choramos mais do que rimos, não me parece uma história digna de boas lembranças. Porque aquelas suas lágrimas todas as noites antes de dormir contam sim e sei que não foram poucas. Certo? É preciso ter muita energia pra gastar com isso. Não vale pintar o rosto e ir pra balada fazendo de conta que se está bem. Isso é atitude de mulher desesperada. Precisamos deixar ele seguir o caminho dele e não procurar saber nada a respeito, pois vai fazer mal, acredite. Se tiver alguma fórmula pra enfrentar isso, com certeza deve ter muito amor próprio. Não dá pra ficar valorizando quem priorizou algo que te excluiu. Só pra reforçar: Que seja eterno enquanto dure, mas que dure enquanto for recíproco. Somos tão felizes quanto acreditamos ser!

domingo, 7 de setembro de 2014

Recaídas

 
Mesa de bar, boteco, botequim, é sempre uma cerveja com o sal e limão – Indispensáveis. Tem pra relaxar uma boa música, uns músicos gatos, gente que sorrir, que dança, gente só e acompanhado, gente que flerta, uns que fogem da solidão e aqueles como eu que no fundo do copo guardam a saudade e a vontade de estar com você – o que geralmente acontece quando o relógio crava duas da manhã – vai ver que por isso não deixo meu copo secar! 
Pra completar tem o tal do sertanejo universitário que te faz querer encher a cara e dançar a noite inteira sem deixar o copo cair, uns drinks a mais e você se sente uma Power Girl, a sedutora, os amigos dão força e tudo é só o que vejo. Por outro lado, também não dá pra ser só diversão, não quando o carinha bonito que toca viola solta “uma para os apaixonados”. Lascou a vida, o sorriso, a sedução e ainda por cima não perguntou se tem gente com o celular na mão lutando com a emoção e a razão? E as lembranças. Sim, todas aquelas em que eu te ligava a qualquer hora, perturbava seu sono e com voz de apaixonada levemente alterada pedia pra me buscar. Você sempre ia. 
O clima de azaração bateu em retirada enquanto essas músicas rolam. Melhor sentar despercebida no canto, sabe como é? Nessas horas é uma boa opção sumir e buscar mais cerveja, diz que o álcool causa amnésia então melhor testar a teoria porque ou isso funciona ou vou beber até um gênio da lâmpada me dar o poder de te apagar, rabiscar, te pintar de transparente e se não for pedir muito me dar também à segurança necessária para arrumar essa minha cara de garota machucada de quem não superou o fim. 
Dou um olhar e um sorriso irônico para o moço quando reconheço minha vida na letra que ele canta, a saudade dói tanto que nem o orgulho ferido amanhã poderá doer mais. Eu ligo. Você está a caminho. Eu saio escondida das amigas e da minha consciência. No chão reconheço minhas pegadas em sua direção.  Em seus braços esqueço de tudo mais uma vez e a mesma história se repete. Você em sussurro apressado diz que não aprende a dizer não, enquanto eu sigo de coração feliz e dedos cruzados prometendo ao gênio da lâmpada que esta será a última noite em que irei te amar por uma vida inteira. 
Ou pelo menos até sexta que vem quando os bares já estão de portas abertas para uma nova recaída. 

Têm semanas que às vezes sofro e vêm as recaídas 

domingo, 31 de agosto de 2014

Foi Amor


Cuidado comigo eu não sou nenhum santo.

É tudo para sempre mas só por enquanto
Certas palavras dizendo o oposto.
Vendi a minha alma pra me ver no seu rosto.



Pela milésima vez: Foi amor. Daquele que te puxa, te envolve, te consome, te machuca, te faz feliz e te faz sangrar – tudo ao mesmo tempo. De uma só vez. Foi amor e cada passo em direção a essa felicidade fez da garota altruísta uma pessoa completamente perdida, desequilibrada pelas emoções. Foi amor indeciso, revirado por madrugadas e por noites mal dormidas. Foi amor consumado por ligações carinhosas que a viciaram dia após dia deixando enlouquecer pela abstinência desavisada. Foi amor até o dia 1080. Foi amor até ela tomar a terceira bebida, sufocar mais uma vez, perder a segurança, jogar a esperança na pia de um bar, ir pra casa e desligar o celular por duas razões: 1) Medo da resposta. 2) Fingir que não aconteceu. Três dias seguidos e o amor se enterrou quando por coragem ligou o aparelho, não havia ligações perdidas e nem mensagem recebidas. Certa atitude quando não tomada para atender a expectativa de quem a espera dói mais que uma palavra ofensiva pronunciada. De presente apaixonado ela passou a ser nome não pronunciado. Na insanidade que vivia podia ter ido atrás, mas na hora da escolha achou em garrafas coloridas um caminho melhor a seguir. Ela não é inocente, sabe que a mesma cavou a cova do que costuma dizer que foi amor. Dizem que depois da meia-noite ela enviou despedida, cortou o cabelo e sumiu no mundo pra viver um par de três em dias de verão e noites de inverno sem pensar muito no amanhã que por hora deixava sempre esquecido no dia anterior.

segunda-feira, 25 de agosto de 2014

365

Animado, louco, foram 365 ligações imaginárias, um buquê de tulipas nunca enviado, um cartão daqueles que toca a melodia do filme Titanic ainda guardado, um beijo roubado que não aconteceu e enfim consegui um sim dela via mensagem de texto.  
Minha menina como carinhosamente a chamo sem ela saber paralisa qualquer emoção, sonho com ela a mais tempo do que já contei, tenho fotografias mentais das covinhas do seu sorriso e seu jeito sexy de enrolar os cabelos com um lápis. Cada vez que ela desfila com os ombros a mostra, bermuda desbotada, camiseta branca e sandálias rasteirinhas eu imagino sua mão entrelaçada a minha andando sobre o luar e fazendo confissões para todo o sempre. Do café que fica do outro lado da rua e onde eu trabalho, vejo todos os caras de cabelo modelado com gel e com super carros oferecendo carona a ela, dos trinta e cinco que já contei nenhum conseguiu um sim. Não sei se isso me causa animação ou me desestimula de vez. Se com marcas luxuosas não há interesse imagina se há chance para um moço que limpa mesas e escreve músicas à noite.  
Certo dia, quase nove da noite, enquanto terminava de polir o balcão na companhia de três bom senhores que contavam histórias, ela apareceu – 365 dias a observando como um bobo ainda tenho arritmias descompassadas quando a vejo. Sentou na minha frente, pediu algo quente, me olhou, mas não me viu, murmurou palavras abstratas, limpou as lágrimas com a manga do suéter e silenciou. O que fazer? Colocar ela em meus braços e cuidar até adormecer? – Seria perfeito se eu não fosse um desconhecido, anônimo, inominado. O que dizer? Que ela é linda e com os olhos vermelhos fica ainda mais charmosa, mas que não deve chorar mesmo assim, pois as covinhas do seu sorriso sempre será a minha melhor escolha para o realce da sua beleza natural? – Já falei que seria perfeito se eu não fosse um desconhecido e blá, blá, blá. Coragem homem! – Meu lado romântico desesperado diz.  
Enquanto perdido sem me decidi, ela começou a desabafar e silenciosamente ouvi falar pausadamente sem parar sobre o pouco dinheiro pra continuar pagando a faculdade e suas despesas longe de casa, ouvi ela contar sobre ter andado o dia inteiro atrás de emprego e não conseguir nada, ouvi seu sorriso ao se ironizar sobre a realização dos seus sonhos e ouvi ela lamentar o fato de só conhecer caras idiotas que só querem a levar pra cama quando o que ela quer mesmo é ser levada a sério. Servi cappuccino e pra acalmá-la coloquei Beatles – na esperança que ela conseguisse traduzir a letra ali mesmo e sacar minha indireta – os três senhores levantaram a sobrancelha, mas ela sorriu e pra minha sorte, o que não tenho muita, ela disse, dois pontos “John Lennon era pra ser o homem da minha vida, maldito seja Mark Chapman saca?” Saco, mas saco é você não me dar seu telefone, sou um cara legal, tocaria e cantaria John Lennon a noite inteira só pra você se sentir mais perto dele, então o que acha? – Pensei. 
Ela colocou a nota de cinco em cima do balcão, disse gentilmente que o troco era meu por ter sido um bom ouvinte, enrolou os cabelos em um lápis, vestiu o casaco preto, colocou o cachecol no pescoço e saiu. Meu amigos e cúmplices senhores me olharam como quem dizem “reage meu filho”. E como quem de súbito decide viver fui atrás dela, corri e me posicionei em sua frente, 365 ensaios e consegui dizer: - Me desculpe, desculpe o silêncio, eu queria ter dito tanta coisa, mas não sou muito bom com as palavras, na verdade, é, droga, bom, como, qual... ãm... Ela sorriu – Gabriel, certo? Eu vejo você, sempre chega às 6:30 com sua jaqueta preta, violão no ombro, cabelo bagunçado, nas horas vagas senta em uma mesa e dedilha Wish You Were Here do Pink Floyd – Retirou o lápis do cabelo, anotou o número, sorriu com direitos covinhas e finalizou – Esse é meu número e é uma prazer finalmente dá-lo a você. Se cuida. A gente se vê.  
E nos vemos mesmo. 365 dias depois. Enquanto compro um buquê de tulipas, um cartão que toca a música do Titanic, minha menina me espera do lado de fora com o cabelo preso - do jeito que gosto - apareço, lhe roubo um beijo e confesso em sussurros que irei amá-la mais do que amei durante um ano de silencio e um ano ao seu lado. Ela sorri, diz que já me amava sem saber. Com um lado da mão segura meu violão e a outra entrelaça meus dedos seguimos caminhando em direção ao luar, que descobrimos é o nosso lugar: A nossa casa.

quarta-feira, 20 de agosto de 2014

Diga nos meus olhos a verdade plena,
Que tudo aquilo vivido não valeu a pena.
Os sorrisos soltos, os abraços apertados,
As mordidas de vontade, os beijos roubados.
Os passeios a dois, a cama aquecida,
Os bilhetes na carteira, a roupa caída.
Os presentes sem data, as viagens programadas,
As milhares de fotos que ficaram guardadas.
Os jantares românticos sempre existiram, 
Lembranças marcantes que nunca sumiram.
Mas, agora é diferente, tudo mudou.
O que era doce amargou.
O que era sincero azedou.
O que era completo esvaziou.
O que era pra sempre acabou.

Escrito por Thiago Moraes
Repórter e Apresentador na empresa Rede Amazônica
Para conhecer mais sobre o autor acesse Aqui

terça-feira, 19 de agosto de 2014

Me Desculpe, Vou Te Deixar


PRA SEMPRE NÃO É O SUFICIENTE




Me desculpe, vou te deixar.

A confusão está grande demais. Não consigo pensar em mim sem antes pensar em você. Meu medo maior era sair daqui e ver você ficar. No entanto, descobri noite passada que não há nada mais desesperador do que ficar aqui vendo você não me ver.  Decidi com dificuldade abandonar a idéia de fazer você feliz como foi um dia. Decidi retomar os planos que fiz antes de te conhecer, eles vinham em primeiro lugar. Eu definitivamente preciso ir. A história com final feliz não aconteceu pra nós dois. O telefone não tocou apesar da minha espera. Tomei consciência plena que perdi o segundo onde tudo foi mudado com meu explicável “hoje não posso”. Foi esta a última chance certa de aceitar o que você me oferecia.

Eu sei, já fui mais forte, eu poderia ter acreditado mais nos meus sentimentos e tentei, mas não me pareceu mais certo quando você constantemente com educados monossílabos me afastou.  Pra consertar meus erros eu inventei desculpas e então entendi que já não podia mais. Eu perdi você pela falta de sinceridade. Então me desculpe a covardia, o medo, a insegurança, o orgulho, a frieza, a indiferença em não te falar que já amava você, que queria está perto, ouvir você, abraçar e estar em todos os momentos ao teu lado segurando sua mão.

Me desculpe por não contar os planos, por não justificar minhas saídas tempestivas, por não dizer quando você acordou ao meu lado que aquele momento foi o mais perfeito pra mim.  Me desculpe não ter  segurado você, por não ter olhado em seus olhos e passado confiança. Me desculpe pelas incontáveis vezes que dormir chorando com saudade e não tive iniciativa de ligar pra você. Me desculpe por não revelar a intensidade do que sentia e de como largaria tudo se assim você pedisse.  Me  desculpe por não ter tido a força suficiente pra continuar, por sair, por desistir, por ir sem olhar pra trás. Me desculpe por não ter lutado, mas você não me deixou escolhas em minha última tentativa.  Me desculpe por partir levando tudo comigo. Me desculpe por tentar viver sem a esperança de o nós acontecer Enfim, me desculpe mais uma vez pela falta de sinceridade em não pedir essas desculpas a você.


Arrumei as malas e guardei o amor As memórias são areias que o vento do tempo espalha por todo lugar.


"Você não pode me ver, mas você ainda me sente. Eu só vivo em suas memórias. Então deixe-me parar o tempo antes que tudo se torne frio. Os momentos passam e a vida continua. O amor no meu coração nunca termina. E esse pra sempre não mais é suficiente"

Raign - Don't Let Me Go

quarta-feira, 23 de julho de 2014

Uma Outra Estação

É complicado percorrer esse caminho há três anos,  aceitando o fim e acreditando em recomeços. Lutar insistentemente não pela realização do sonho, porque isso era demais, mas pra não perder o fio de esperança que permitia me manter conectada de alguma forma a você. Nesse tempo  fui, voltei, chorei em algumas noites e rezei incansavelmente por seu sucesso, mesmo não suportando a carreira que decidiu seguir. Eu rezei.

Em meio as suas oscilações de humor permaneci calada mantendo a educação estampada no rosto. Na minha raiva briguei com o mundo e o reduzi a mim, enviei mensagens sem respostas, enquanto cervejas e mulheres eram suas distrações. Quando o tempo passava, os reencontros por estações  e seu sorriso torto  me enlouqueciam e ferravam com todas minhas decisões e certezas absolutas. No final das contas nunca desisti de você, só aprendi a esperar seu pouco, eu sabia como ninguém transformá-lo em muito, nesse caso, em muita felicidade, suprimento esse que durava em quase toda sua ausência já no dia seguinte.

Posso dizer que sumir era nossa especialidade, você porque queria e eu por não saber o que fazer, respeitar seu sumiço parecia o melhor, não sufocar, não pressionar, escolhas que me pareciam corretas, mas vai por mim, essas escolhas eram sacrifícios de dor, exigiam uma força de vontade inexistente pra quem ama. Assim como suportar estarmos coincidentemente no mesmo lugar, só que separados e com você expondo toda sua conquista pelo seu vicio.

Dos inúmeros copos que bebi o último sempre colocava a coragem nos meus pés para ir embora e orgulho pra dizer não a você. Nas ocasiões certas o último copo de coragem também me permitia ir com você rumo a noites de cumplicidade no que de melhor sabíamos fazer quando estávamos juntos: Nos amar.

Nessa brincadeira, três anos que parecem mais três meses passaram, nunca fui embora, assim como não lembro de ter dito o que eu sentia. De verdade. De repente  parei pra pensar que nunca falei sobre meus sentimentos, não claramente, com pingos nos “is”. Esse meu jeito de viver o aqui e agora pode não ter sido a melhor maneira de avisar que o que eu queria mesmo era segurar sua mão e sair em direção a qualquer lugar. Deixei passar a oportunidade de você me dizer não – por medo de perder tudo.

Nesse último reencontro não pretendia mais nada. Não havia desistido, mas o cansaço por não conseguir seguir em frente já me bastava como suficiente motivo. Derrotada mais uma vez. Surpresa pela primeira vez quando você segurou minha mão, me beijou e permaneceu abraçado comigo na frente de conhecidos e desconhecidos. Não há definição para a sensação de finalmente estar onde sempre quis e onde não me permitia imaginar: Em seus braços.

A deixa certa, o momento perfeito pra falar, pra revelar, te mostrar a loucura que é amar você. Contudo, as razões, Deus sabe as minhas razões,  nada mais pude fazer, se você for esperto pra relembrar tudo naquela noite vai perceber que ir embora foi a decisão mais difícil que tive que tomar depois que conheci você. Eu sinto muito, sinto tanto, quando soltei sua mão não estava apenas me despedindo pra um novo reencontro, estava abrindo mão de você.

Vai demorar uns anos, como tudo em minha vida...
Só de pensar que seu sonho precisa ser desfeito pra começar a realização do meu,  percebo a impossibilidade de nós dois juntos. Meu desejo apenas é que  seis anos a mais na nossa história possam parecer a espera por seis meses.  Até lá não tenho mais escolhas, nem opções, tudo o que me resta é aceitar o fim e acreditar em um recomeço futuro, espero eu, não tão longe.

Com amor.
D.

segunda-feira, 30 de junho de 2014

De Volta pro Futuro

"O amor só dói pra quem não volta atrás"


32 horas atrás.

Dia desses. Corridos. Eu escolhi voltar pra ele. Sabe como é um amor desses loucos e sem censura?  O difícil será fazê-lo compreender que amores de verdade não acabam na primeira briga, que pra quem ama a distância não é a melhor opção e que virar o rosto ao me encontrar na rua era o máximo que eu conseguia suportar. Antes de sermos um amor, éramos amigos, demorei tanto pra bater na porta daquele coração e pedir pra ficar que deixá-lo ir por algo que podíamos modificar, concertar, dar um jeito, pesou bem mais na hora em que eu poderia ser orgulhosa, desastrada e impetuosa.

Não quero ficar só e ser enlouquecida pela solidão, com o coração em pedaços e espirito inquebrável descobri que amor só acaba quando não há mais nada a fazer. E este não é o caso. Por nós, ainda tenho muito pelo que lutar. Brincar de teatro com encenações baratas de indiferença era contradizer tudo o que conhecemos um do outro. Deixamos de ser quem somos pra medir forças em busca de quem seria considerado o mais racional da relação, a conclusão certa: Nenhum de nós. Então, preferi quebrar o gelo, olhar pra nós mesmo com medo de ser rejeitada, escolhi não jogar nossas fotos no chão e sim juntar do chão todas as fotos que nós espalhamos durante nossa briga maluca com lágrimas silenciosas.

Imensamente julgada pelos meus amigos, família e até desconhecidos, escolhi voltar, ir atrás da felicidade que acredito, de mais uma chance, dos braços fortes aos quais tanto já confiei minha fragilidade. Vou e farei o que tenho que fazer, porque minha alegria, consolo, sorrisos estão com ele. Desenhar meu recomeço seria exigir muito de mim, pedir pra ele não ir, igualmente. Desperdiçar tempo aceitando recomeços estava fora de questão. E, acima de todas essas razões, sempre tive fé no sentimento dele por mim. Ele é minha única certeza.

Recolhi todos esses e outros motivos, vesti o melhor vestido, arrumei os cabelos, respirei fundo, destranquei a porta e pra minha inteira surpresa, eu o vi sentado na escada, segurando tulipas, as mesmas razões, suas malas, toda a minha felicidade e uma placa com a frase telepática "Volta pra Mim".

Fechei os olhos, corri em sua direção e o abraçei, dessa vez pra nunca, nunca mais soltar.


quinta-feira, 19 de junho de 2014

Escrevo

“Para quem tem um amor a ser vivido, o futuro é apenas um detalhe que pode esperar.”
 — Padre Fábio de Melo.



19 de Junho de 2014

Escrevo em nome do velho costume, tão velho quanto o tempo que já se passou entre nós.


Cada momento, horas simples não menos importantes, consegue lembrar? Deixei de numerar quantas pessoas pra quem contei sobre nós e o nosso conto de fadas, algumas sorriem incrédulas pra tanta perfeição, certos dias eu mesma chego a duvidar, afinal não possuo fotos pra provar que esse sonho foi verdadeiramente real, não ficou nada, não sobrou nada, o apartamento ficou vazio, foi devolvido, suas malas levaram até sua liberdade e com o passar dos anos deixei de esperar e-mails em dias comuns e telefonemas em datas especiais. 

Mas quer saber? Não me importo, minha indiferença sempre foi a característica mais intensa no nosso relacionamento, embora acredite que talvez por isso tenha dado tão certo. Nunca me importei com as respostas das minha criativas perguntas, na verdade eu precisava colocar à prova sua sinceridade, nada mais. Sua confiança, confidencias e transparência foram decisivas quando para sua vida entreguei o meu amor e fiz promessas e é por esse motivo que hoje escrevo, pra lembrar que ainda as cumpro. Todas, uma por uma. Você trabalhou bem para que eu não as esquecesse, todos os dias quando olho pro seu último presente nossos anos são recordados as vezes com alegria outras com melancolia e nostalgia, mas jamais com arrependimentos. 

A saudade permanece em noites longas quando o sono desaparece e penso em tudo que vivemos, lembro dos planos e esqueço da sua partida feita da forma como pedi: Sem despedidas, sem adeus, sem lágrimas, sem abraços, sem nenhum aviso. Assim foi. Assim você foi. Sem me dizer nada. No entanto, escrevo pra que você saiba que da janela ainda vejo seu carro estacionado, que da rua do seu apartamento ainda o vejo me esperando na varanda. Escrevo pra te assegurar que as paixões depois de você existiram e existem, mas quanto a possibilidade de por um novo amor eu me perder jamais poderei comparar à sensação única de frio na barriga quando você me beijou pela primeira vez.


Somente escrevo em nome da esperança de ter qualquer noticia sua. Nada mais sei de nós, porque na realidade nem mesmo há nós. Não até nos vermos novamente. Se esse dia por mim tão esperado chegar, o perigo pra aqueles que agora nos acompanham será inevitável  e eu, eu escrevo agora porque eu sei que posso esperar, porque sei que eu ainda vou te ver e não será preciso nada mais que um minuto pra mudar todo nosso destino, pois escrevo pra te dar a certeza que se quem vai pode um dia volta eu nunca mais vou deixá-lo ir. Não sem mim. 

segunda-feira, 16 de junho de 2014

Gaveta



Confissões à parte. É sempre para o seu sorriso que toda minha atenção se perde quando te encontro em qualquer esquina ou mesa de bar. A sensação que carrego há tanto tempo não sofreu nenhuma alteração: É sempre nós dois em segredo com todos os nossos momentos de alegria e brigas bobas e é sempre Você-e-Eu-separados pra o mundo não ver e nem desconfiar que é ao seu lado que tanto já acordei pela manhã.

Sentir-se incompleto é amar alguém por inteiro e tê-lo apenas pela metade.  

Não sei dizer não, não há grosseria em meu modo de responder a sua mão sempre que você a estende em minha direção. Em mim há apenas lembranças de como é bom ser motivo de todo seu cuidado. Entre nossas idas, vindas, voltas e recomeços acreditei mais na minha certeza de mudá-lo do que na sua capacidade de mudar, o que nunca aconteceu mesmo.

Sentada ali no canto observando seu sorriso, suas mãos e sua conversa que parecia tão interessante no ponto de vista de outro alguém, eu quis me tornar mais invisível do que já estava sendo. Não parece tão dramático quando as lágrimas caem involuntárias, sem esforços ou qualquer careta. É apenas triste. A situação em si, a saia justa entre os poucos amigos que conhecem toda história. Mas é a estes amigos que devo os abraços, sorrisos e as lágrimas que foram economizadas nessa noite.

Em meio aos conselhos e consolações o destino me presenteia com cenas de um tempo atrás, algo que foi tão bem superado e onde uma verdadeira amizade se fez. Piscar três vezes atônita e desorientada não iam justificar verdades, mas o fim  talvez  justificasse os meios.

Com o sangue mais do que destilado e uma respiração profunda ser segurada inesperadamente por seus dedos enfraqueceu todas minhas decisões, enquanto você falava me perguntava se na sua atitude ou no que você dizia havia alguma verdade? E ao contrário do que aqueles que observavam esse momento pensaram, não, não foi o álcool, ou os conselhos que fortaleceram minha escolha, somente a resposta a minha própria pergunta foi satisfatória, a sensação de sorrir dele foi única, vê-lo ridiculamente parado me pedindo pra ir com ele, todas as partes de mim desejando dizer um sim, tudo em mim o queria, mas olhando em seus olhos verdes enfim entendi que não havia mais como querer por nos dois, isso não bastava mais, era insuficiente.




Em meu pensamento lamentava saber que ele jamais dará uma chance pra si ou para alguém fazê-lo feliz novamente. Não há como concertar estilhaços a não ser que estes sejam juntados por aquela que os causou. Não vale a pena tentar reparar dores originadas por um verdadeiro amor, é inútil. Assim como é inútil convencê-lo de que recomeços são necessários pra sermos felizes e nos sentirmos completos.


[...] Um dia eu te esqueço na gaveta [...]