A Lunática

Minha foto
Belém, Pará, Brazil
Nutricionista. Canta por aí. Escreve sobre o que vë, ouve e imagina. Ela é aquariana, rapaz uma eterna colecionadoras de momentos e de pessoas. Inconstante e com uma personalidade gigante assim como o mar. A diferença é que ela vai, mas não volta.

quarta-feira, 7 de novembro de 2012

Escolhas

Quando se tem vida pra viver, caminhos a traçar e um destino a cumprir, desistir não é opção. Erga a cabeça, sorria. Hoje pode ser um dia difícil, amanhã pode ser mais difícil ainda, mas sempre haverá um novo dia, novo recomeço, novas escolhas, novas oportunidades. Os dias trazem a mudança que muitas vezes não dependem de nossos atos, de nossas decisões, de nossos arrependimentos. Dos nossos sentimentos! Confiamos demais, perdemos o controle do que pode ou não nos magoar, nos importamos! Somos tão humanos! Ferimos e somos feridos! 

Quanto mais nos protegemos, mas nos privamos do sentir e quando sentimos dói. Dói muito! Descobrimos então que a dor da perda nunca será compreendida, dor de perder uma amizade que até então você tanto confiava. Dor de perder alguém com quem você nem começou a realizar tudo que havia planejado. Falsidade. Mentira. Deslealdade. Orgulho. Imaturidade. Desconfiança. Tantas palavras que resumem e definem o que foi dito e o que não foi. Mas olhe. Olhe bem. O relógio marca 22:06, quase duas horas pra um novo dia. Hey! Amanhã cada um remará para um lado! E será difícil aceitar. Mas desistir, apesar de tudo, continua não sendo uma opção. 

O que a vida quiser levar. Deixa que leve. E sinta-se leve. Há uma razão ainda não compreendida pra tantos acontecimentos inesperados que rodeiam sua vida. Agora, só há dois motivos para que você feche os olhos: Aceitar. E seguir em frente! De preferência cantando bem alto aquela música do Skank: "Se a sorte lhe sorriu, por que não sorrir de volta?" Admita que ultimamente você não tem olhado muito a sua volta! Se estamos todos aqui e não sabemos a data em que deixaremos esse mundo, temos que fazer algo a respeito de como queremos viver e acredite, eu sei como quero viver... Sempre em equilíbrio, de pé e com um sorriso largo que transpareça que sim! Meu amor próprio é maior do que qualquer te amo que alguém já me disse.  Absurdo? É, pode até ser, mas precisamos acreditar em algo e escolho definitivamente acreditar em mim! 

Desistir nunca, nunca vai ser uma opção! E esse é o caminho o qual escolhi fazer! 
É hora de começar a remar. É hora de começar a amar. É hora de recomeçar!




sexta-feira, 2 de novembro de 2012

Carta Para Deus

Querido Deus,

Obrigada por tudo, por todas as minhas alegrias e tristezas.
Por todos esses anos que Tu estivestes ao meu lado, caminhando comigo, me sustentando, me dando apoio, enxugando minhas lágrimas e sorrindo com minha felicidade. Sabe Deus, reconheço que ao contrário de muitas pessoas, eu sempre agradeço ao invés de pedir, tenho isso comigo já faz bastante tempo. Porém, costumo agradecer minhas conquistas, minhas alegrias, dificilmente agradeço as dificuldades, e dificilmente peço ajuda para superá-las. Só que de repente começei a ver as situações por um outro ângulo, sinto que está na hora de agradecer pelas dificuldades, porque penso que é através delas que Tu nos ensinas lições, lições importantes que talvez pelo desespero de não querer sentir dor não as enxergamos. Não as entendemos. Pude aprender nesses últimos dia, não só  a agradecer, mas também a pedir Sua ajuda, pois que tipo de fé seria a minha se não confiasse que Tu podes melhor que ninguém me ajudar. 

Deus, as coisas andam dificeis, mesmo. Eu tinha tantos planos pra esse ano, agora que estamos em novembro vejo que não produzi muito rs! Eu perdi o rumo depois que minha irmã resolveu ir embora em buscas dos sonhos dela. Fiquei meio sem chão, chorei muito, confesso que ainda choro quase todas as noites sentindo falta da minha parabólica, das nossas conversas, de quando eu não queria que ela dormisse pra que ficasse me fazendo companhia até que eu dormisse primeiro, sinto falta até da bagunça no quarto que ela amava fazer... Tem noites que parece que não vou aguentar de tanta saudade. É quando fecho os olhos e peço pra que Tu jamais deixes de olhar por ela e por seus sonhos. Sei que ela forte.

Sabe Senhor, em dezembro faz cinco anos que Tu me curastes do Câncer, eu quase nem lembro mais de como foi aquele ano, mas hoje assistindo esse filme eu me recordei de tanta coisa, de quando recebi a noticia da doença, da minha primeira quimioterapia, meu primeiro corte de cabelo, depois ele caiu quase todo, lembro dos enfermeiros alegres que gosto tanto, de quando achei que viria pra casa e então o Doutor Fábio me mandou pra Radioterapia, eu sofri tanto, me revoltei Contigo, pois lembro que estava no segundo período da faculdade e não queria trancar, me revoltei pois sabia que meu cabelo cairia, não queria de forma alguma enfrentar um tratamento tão cruel. Hoje percebo a experiência e a maturidade que podem vir com o passar dos anos... Hoje olho pra trás e me orgulho de tudo que passei, penso que Tu me escolhestes a dedo pra enfrentar essa batalha. E que Tu mais que ninguém estavas ao meu lado durante todo tempo. E ainda estás aqui. O sol que brilha lá fora é a prova de que sempre teremos um novo dia pra recomeçar.

Eu olho pra minha família e penso que não posso amar mais do que amo todos eles. É um amor incondicional, que faria o que fosse pra defende-los, pra não vê-los de forma alguma passar por qualquer tipo de sofrimento. Penso que é assim que Tu olhas pra nós. Um amor que chega a doer quando os vemos fazer escolhas erradas que não podemos impedir justamente pelo direito da escolha de cada um. Então só resta fechar os olhos e pedir que o Senhor os abençoe como sempre faz.
Deus, é novembro, quase fim de 2012, obrigada. 

Por colocar grandes amigos em minha vida. Por trazer grandes seres humanos de volta a essa casa que é meu coração. Por cuidar da minha família e de todas as pessoas especias pra mim. Obrigada por essas dificuldades que estou passando agora, pelas tantas portas que já se fecharam pra mim. Contigo não há derrota, eu só fico mais forte e mais obstinada a lutar por meus objetivos. Deus, por ora, só tenho um pedido: Me ilumine pra que eu possa ser uma grande Nutricionista Clinica especializada em Oncologia, me permita cuidar desses pacientes com todo amor, carinho e atenção. Que meus estudos estejam sempre a frente de qualquer distração.

Ah! E obrigada por ter escolhido a Dona Deleny pra ser minha mãe e a Dona Santana pra ser minha avó. Eu não poderia ter sido educada por pessoas mais generosas e mais cheias de amor do que essas duas. 

Cuide em especial de minha Madrinha Mariana, meu Padrasto Gilberto, Meu amigo Pierre e meu amigo Bruno, estes que já estão aí em cima, ao seu lado. O Senhor pode dizer que sinto saudades de todos eles? Obrigada.

Deus não poderia demonstrar seu amor de forma mais bonita a não ser pela Fé  que Ele tem em cada um de nós.




Dheysse Lima



quinta-feira, 1 de novembro de 2012

Aquela/Essa Menina






Mil coisas 
Acontecem ao seu redor 
Você não as percebe 
Pois não pode distingui-las 
Talvez não faça diferença 
E o que resta pra você 
São somente as coisas 
Que você pode suportar 
O que podemos suportar? 

|Quase Amor - Reação em Cadeia |







Sabe aquela menina? 
Ela não percebeu, mas cresceu. 
Seus sonhos já não são mais os mesmos. 
A vida já não é mais tão colorida como antes. 
Sabe essa menina? 
Ela sabe o que a faz feliz. 
Ela nunca esquece de onde veio.
 Mais do que nunca ela sabe onde quer chegar. 
Há quem diga que para ela tudo foi muito fácil. 
Só ela sabe o quanto de esforço foi necessário. 
Ela já perdeu as contas de quantas vezes chorou sem parar.
Mas ela é forte, vai superar. 
Seu valor não está naquilo que dizem dela, está na sua crença, na sua essência. 
Aquela menina pensou e essa menina fez.


Texto de Dheymia de Lima |





                       Minha irmã na verdade me presenteou ao enviar esse pequeno texto pedindo que eu publicasse aqui no Blog.
Que  orgulho Parabólica! 
                     Espero que os leitores do Jeito Lunático se identifiquem e se emocionem tanto quanto eu.
Obrigada pela confiança!
TE AMO.

quarta-feira, 5 de setembro de 2012

Amor de Alma

Aonde estão seus olhos quando não estão em mim?
Aonde estão seus passos se não chegamos ao fim?

| Não Me Perdoei - Victor & Léo |


Estamos aqui envolvidos pela distância de longos e intermináveis três anos. Estamos aqui com nossos olhares petrificados no passado, nos momentos que a saudade carregada de lembrança não nos deixa esquecer. Estamos aqui com nossas músicas, nossos sorrisos, nossos abraços aconchegantes e confortadores. Estamos aqui com nossos planos nunca feitos. Estamos aqui sentados iluminando o apartamento com nossa felicidade estranha nunca dividida. 

Estamos aqui? Estamos? Porque eu não te ouço, não te toco, eu não te vejo mais. Eu apenas sinto. A falta. Falta das nossas vidas entrelaçadas pelo destino. Falta dos beijos que estremeciam minha alma. Falta dos seus pensamentos que me tinham em prioridade durante o dia e sua sinceridade que sempre me fascinava e conquistava durante a noite. Falta de tudo que um dia chegou a ser meu e seu! Eu sinto. Sinta.
Sinta que te chamo em silêncios todas as madrugadas porque preciso urgentemente ouvir e ver você. Preciso ter você acolhido em meus braços, preciso do calor, da sua proteção. Preciso de uma despedida. Preciso de um fim. Me reviva! Me permita amá-lo, então sangrarei feliz por não suportar sua ausência de mim. Admita que você me tem em sua vida desde o nosso primeiro beijo, onde sua alma jamais se separou da minha. Você me sente tanto quanto eu sinto!

Sim. Estamos aqui, entre aeroportos, beijos na testa e um confessado eu te amo. Estamos tão próximos na distância, congelados no passado, esperando por sinais, imaginando como seria nosso reencontro no futuro. Estou aqui porque só conheci um amor de alma durante minha vida. E você está aqui... Porque você sabe, não sabe? Me amar por mais um sempre talvez seja a única coisa que você jamais esqueceu de fazer!

Nunca houve um fim. Nunca vai haver. Os anos que virão continuarão nos envolvendo e as lembranças e a saudade jamais nos deixarão em paz até que estejamos juntos novamente.



| Dheysse Lima |

sábado, 25 de agosto de 2012

Dizem Por Aí



Eu cortei laços improváveis pra retornar ao que um dia chamei de mim. Você não percebeu a diferença? A mudança? As sensações viajaram no tempo e se perderam por lá. Você deveria saber. Você estava lá com um sorriso sincero e a falsidade no olhar. Caminhei por aí, me perdi, deitada sobre a estrada a noite, chorei, minhas mãos continuavam fortes, mas meus joelhos eram fracos e ao redor não havia força humana que sustentasse minha dor. Eu percebi sua presença imóvel disfarçada em tristeza e desespero conduzindo-me de volta  pra casa. 

Dizem por aí que ela é pessoa por quem você está me deixando. Segundas chances, elas nunca importam, as pessoas nunca mudam.  Sorri pra você, um sorriso falso, mas com sinceridade no olhar, a mesma sinceridade que deixei no brinde que comemorava a sua traição, a felicidade verdadeira por sua confissão refletia o alivio de uma consciência fria e pesada. Você definitivamente achou que em mim encontraria perdão? Os pés fixos no chão mantiveram meus joelhos fortes e a segurança dos rumores e fatos me soaram familiar, ela realmente tentou derreter seu coração? Não dá pra derreter o que é gélido até a alma! Então, me conte soube que você a deixou por uma traição? E então você caminhou de volta pra casa, buscando redenção com uma  taça de vinho e a coragem nas mãos.

Dizem por aí que sou aquela por quem você a está deixando. Não posso negar que você, você realmente fez meu coração derreter, mas agora estou com frio até a alma. Inspirando e respirando desapego servido com gelo por favor. E não, não me sinto amargurada, ofendida, ressentida, sinto tudo e ofereço partes diferentes de mim a quem merece cada uma delas. Sorria querido! Aquele mesmo sorriso que você sabia me doar como ninguém. Sorria, erga a taça e brinde com você mesmo o que dizem por aí... Que ele é aquele por quem eu estou deixando você.



quarta-feira, 1 de agosto de 2012

Acredite

Acredite na força. Ela move o  mundo.
Acredite nas escolhas do seu coração. Dessa forma não haverá arrependimentos.
Acredite na luz de quem ilumina essa vida. Essa luz é verdadeira.
Acredite no amanhecer. É o único capaz de nos dar o recomeço sem cobrar absolutamente nada.
Acredite na felicidade. Ela é só questão de ser.
Acredite no silêncio. Não há conselheiro e amigo mais sábio.
Acredite nas suas memórias. Elas são quem você é e quem você foi.
Acredite no poder da música. Essa extrema arte faz milagres, conforta, alivia, nos faz relaxar e sempre se faz presente em qualquer momento. Mantém inexplicavelmente a felicidade.
Acredite na fé.
Acredite no Amor.

| Dheysse Lima |

sábado, 14 de julho de 2012

Dias Iguais

Dias iguais
Azuis, vermelhos,
Frios dias sem paz
De espera
Dias iguais
São como um rio
Correndo pra trás
Não deságua em nenhum lugar

(Dias Iguais - Sandy - Manuscrito)

Peço licença pra pensar em você. Coloco a cabeça sobre o travesseiro e espero, sei que logo você chegará nos meus pensamentos. Já me acostumei. Quando me forço a fechar os olhos pra dormir, não adianta, você sempre vem, sem saber, mas vem. Então me dou por vencida, pego o computador, passeio pelas teclas pra poder aliviar as minhas emoções que ultimamente tem sido perdidas e confusas. Ouço em sequência três músicas que me fazem chorar e rir ao mesmo tempo. E assim fico com você. Faço todas as perguntas possíveis mesmo sabendo que você nunca irá responde-las. Minhas noites tem sido assim. E as suas?

Em quem você pensa antes de dormir? Quais as músicas que fazem você se sentir perdido? Eu estou aqui, seguindo em frente, esperando até que isso passe, uma hora isso terá que se encerrar, pode demorar, pode mão demorar, só tenho essa única certeza: Vai passar! Como todos que já passaram por aqui sem deixar nada. Mas não me engano, nunca. Não quero que seja assim, eu gostaria que você passasse e me levasse contigo, me guiasse por seu mundo, me apresentasse sua vida. Você compreende isso? Eu te amo tanto! E gostaria sim de poder falar isso pra todo mundo, gritar se preciso, mas se nem você pode saber. Quanto mais os outros. É tão difícil! Tem sido muito difícil levantar em cada manhã, viver com esse sentimento não exige muito de mim, o problema é conviver com ele, olhar no espelho e não sentir sua presença, não ver você, não sorrir com teu sorriso.

O que vejo é só eu, meu rosto e minhas lágrimas. O espelho é o único amigo pra quem posso contar. Ele me vê, não me julga e nem me diz que devo lutar. O reflexo sabe que nem luta pode haver. Não se luta contra um amigo! E eu também não posso lutar contra você. Contra seus sentimentos. Tem momentos que parece não haver vida em mim. Qualquer pessoa iria a guerra por quem ama, eu não. Não por ser uma derrotada, mas quando a pessoa que você ama é a mesma que está te matando não te restam opções. Como você poderia lutar quando isso machucaria seu amado? Antes o meu silêncio do que você infeliz. Atitude que não torna meu amor maior e nem menor. É apenas meu. Meu amor.


segunda-feira, 14 de maio de 2012

De Saída


E eu o escolhi. Diferente, bem humorado. Surgiu entre tudo o que eu não queria. Veio me fazendo sorrir em dias difíceis. Fez com que eu lutasse contra minhas manias e decisões. Eu o escolhi. Nada raciocinado, nada pensado ou repensado. Impulso. Eu apenas quis. E quis pra mim. Com apenas alguns dias eu quis mais e mais. Como dizer isso? A proteção que o envolvia só me afastava. O silêncio que o cercava era perturbador. Mas sim! Ainda assim eu o precisava. E talvez com toda a roupa e meus pertences na mala eu ainda o precise.

Sinto falta que pulsa, é sarcástica e cheia de orgulho. Me questiono como uma alma tão quente consegue abrigar algo tão frio e gélido? O Escolhi. Mas entendi que apenas isso não bastou. Eu precisava ter sido a escolha dele também. Invisivelmente segurei firme a chave juntamente com a mala que carregava todos os meus sentimentos, planos e pensamentos. De saída, sorri convincentemente pra esconder a insegurança por não estar preparada pra deixa-lo tão cedo, todo o meu corpo pedia por cada toque detalhado – ao menos uma última vez – mas minha mente não o perdoaria apenas pra recebê-los.

 Eu o deixei. Lutar por alguém que vive o desapego é no mínimo constrangedor. Mesmo com a dor de cada sorriso que não o ofereço e cada palavra dura que tento pronunciar pra ter que mante-lo longe, eu sigo em frente, é necessário. Antes essa dor passageira do que sentir o que faria nos igualar friamente. Eu gosto de sol! De sorrisos! De calor. 

terça-feira, 1 de maio de 2012

Ciclo

Não tenha medo de amar e ser feliz,
É o segredo divino do aprendiz
Na leveza do ser a beleza é voar!
Não tenha medo mudar é ser feliz,
É a terceira visão de um aprendiz
Sou um rio das mágoas que há em mim,
Cachoeira que desaba no mar,
Oceano das vidas que vivi
E de outras que virei navegar...

| Jorge Vercillo - Himalaia |

Nunca vou saber se eu a tirei da minha vida ou se ela saiu por si só. Parece que tudo resolveu sair do controle, eu perdi o dominio das minhas decisões e então minhas decisões se voltaram contra mim. Não julgo quem decide pela vida dos outros, ela modificou cada pensamento humano que eu tinha relacionado a conduta da amizade e mesmo tirando de mim a chance de fazer diferente não me culpo, fiz tudo que tinha em mãos pra garantir que nada fosse alterado, e ainda assim eu tentaria se preciso, eu recolheria cada faísca pra reviver o que um dia não tão distante foi motivo de alegrias, fotografias e de uma parceria predestinada, mesmo que para o fim.

Vou fechar os olhos como tantas vezes já fiz, vou mergulhar nas minhas escolhas, as escolhas que me pedem pra ficar de pé, sempre de pé! Existe muita gente pra ferir e poucas pra curar. Eu não tenho mais tempo pra me enganar com pessoas que curam e depois nos ferem por tão pouco. E também não tenho mais medo de estar sozinha. Aprendi que ser só não é sinônimo de solidão!

O mundo pode desmoronar, pessoas podem ir e vir, não ligo. Não mais. As únicas permanências que me permito há um tempo são as consequências do que quero para o presente! E o que quero pro agora? Bem, pode anotar aí: Quero ser feliz! Estar sempre feliz! O que me atrasa, me faz mal eu deixo no lugar que encontrei e sigo em frente. Só me acompanha aquilo que for leve. Humano. E justo.

domingo, 1 de abril de 2012

A carta de Um Adeus


01 de Abril de 2012
E mais uma vez  escrevo de um lugar que busquei refúgio apenas pra você me ver.

Em um minuto de verdade quando recebi a noticia trágica, não deu pra segurar, não falo das lágrimas, falo de emoção, um turbilhão de emoções misturadas com uma tristeza insana e desacreditada até por mim.

Se você me perguntar por que sinto isso eu não saberia responder. Não saberia responder essa ausência difícil e nem a loucura dos meus pensamentos que só me trazem a sua lembrança desde aquela sexta a noite. Era bom saber que mesmo nessa vida louca vida você estava aqui ou as vezes - na maioria das vezes - estava ali sorrindo um sorriso pelo qual sempre fui encantada.

Não consigo entender o ser humano e sua maneira violenta de resolver problemas, como se tirar da família um filho, um irmão, tirar da nossas vidas um amigo fosse resolver impasses materiais. Parece que pra esse tipo de gente a violência é definitivamente fascinante. Não dá pra saber, não é? A última vez, o último dia, o último minuto que eu veria você. Se eu soubesse salvaria você ou tentaria. Eu juro que tentaria!

Eu sinto tudo e dói independente de proximidades. O que é dependente é o sentimento que sentimos por quem amamos. Eu só queria/ainda quero que não fosse verdade, que fosse uma brincadeira mal contada, cheia de disfarçes como nos filmes, onde isso tudo seria uma fuga estranha apenas pra você permanecer em outro lugar.

Mas que droga! Por que aqui no fundo, nessa maldita consciência eu sei que você partiu de vez, pra outro lugar sim, mas um lugar ainda inacessível pra nós seres Vivos. E eu ainda nem sei porque sinto essa falta, essa ausência que está doendo tanto. Em um último ato de anti-lucidez eu peço, imploro que você volte, que mais uma vez passe por mim tirando aquelas brincadeiras, isso tudo apenas pra me despedir de você com um sorriso enorme e sincero. Mesmo sem saber que seria uma despedida.

Não quero ter que levar essas palavras até lá.
Então me promete que daí de onde você estiver, promete que vai ler? Promete que ficará bem?

Eu vou sentir saudades. Muita. E toda vez que eu lembrar de você será a lembrança mais bonita, você parado com uma seriedade de quem entendia tudo só com o olhar ou com um sorriso que sempre me fazia sorrir também.

Descanse em Paz.
De uma sincera e verdadeira amiga: Dheysse Araújo de Lima


"

domingo, 11 de março de 2012

Viver e Deixar Viver...*

Devia ter complicado menos
Trabalhado menos
Ter visto o sol se pôr
Devia ter me importado menos
Com problemas pequenos
Ter morrido de amor...
Queria ter aceitado
A vida como ela é
A cada um cabe alegrias
E a tristeza que vier...

Gostei muito de uma frase que acabei de ler: "Eu tenho tudo pra ser feliz". Na maioria das vezes não acreditamos em nosso poder de decidirmos ser felizes. Ficamos por aí alimentando o grande vazio de não ser como gostaríamos ou de não ter o que queríamos.

Enfim, vivemos dos "não" que a vida nos dá. Sustentamos vidas tediosas por que escolhemos que seria assim. Precisamos entender que enquanto umas histórias acabam, outras começam. E a vida vai tomando forma e sentido.

Nos prendemos a detalhes minúsculos, quando deveríamos pensar menos e ser mais felizes.

Não precisamos de nada para ser felizes, porque ser feliz é uma escolha. E viva a liberdade de escolhas!



Meu espírito é livre e minha vida é infinita de possibilidades, a minha história eu escrevo a próprio punho, não venha me dizer o que devo fazer, no meu mundo eu faço as regras e quem quiser ficar é só respeitar.

Não é ruim estar com o coração vazio, tem mais espaço para preencher com amigos e momentos especiais.

Sim. Eu decidi ser feliz!

Viver!
E não ter a vergonha
De ser feliz
Cantar e cantar e cantar
A beleza de ser
Um eterno aprendiz...



*Texto de Dheymia de Lima escrito especialmente para o blog Jeito Lunático
*Dheymia de Lima é proprietária dos blogs Acesse e Compartilhe e Caminhos¬Espaços_Fronteiras |

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

Do Lado de Dentro

Mais um pôr-do-sol. A solução tão esperada se tornou uma confusão. A conclusão é que não devemos pedir o que não estamos preparados para receber. Por que não se pode ver chegando? Já vai tomando conta de tudo. Em quantos dias? Mais uma distância imposta. Mais decisões que devem ser tomadas de forma obrigatória.  Escolhas. Façam com que se possa acreditar que é assim que tem que ser. É assim que deve ser. Definitivamente eu não nasci pra amar. O impossível faz questão de estar de frente comigo testando a minha sanidade pra ver se eu não enlouqueço de vez. Confessar? Só se for pra dizer que não é a primeira vez que guardo minhas loucuras pra mim. É só mais um sentimento que ficará guardado como tantos outros que esse coração já escondeu pra ver o mundo feliz enquanto seu próprio mundo se perdia na espera incansável pelo tempo. Pior que ter que admitir pra mim é ter que enxergar isso tão claramente. É necessário fechar os olhos, vendar se preciso. E ainda há quem diga que amar não dói.

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

Minha Infinita Highway


Iniciando a jornada vim enfrentado, me cansando, andando, correndo, sobrevivendo ao frio, ao calor, a chuva, ao temporal, lutando contra dor, contra as perdas, contra o sentimento de raiva que cega e nos move para o lado errado. Pelo meio do caminho vim confessando, admitindo, errando, me entendendo pra recomeçar, pra acertar, pra dessa vez ao menos saber onde eu quero chegar. Ah! Eu vim, vim de encontro ao meu eu, sem saber o que iria encontrar, vim acreditando, buscando, me decifrando, planejando os próprios passos pra não permanecer sempre no mesmo lugar. Vim do lado de lá, vim de modo estranhamente diferente, vim com alegria e cheia de novos pensamentos, vim reformada, recém chegada, com vida renovada sem endereço pra jamais retornar.

Texto escrito por: Dheysse Lima



quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Duas Vidas, Dois Amores


... Poucas páginas, mas ainda penso em você. Nem sei se sinto saudades. Depois de tantos anos não existe mais a lembrança do seu rosto ou mesmo daquele sorriso que você me dava toda vez que me via. Ou me revia. Você construiu a vida perfeita longe de mim, eu sempre a olho de vez em quando, é dessa forma que tenho a certeza de que nunca vou vê-lo voltando. Não impeço a minha imaginação: Como seria nossas vidas se você tivesse ficado? O que provavelmente deve soar engraçado.

Você nunca fez questão de ficar. Tudo bem, a frieza que mantive nessa relação foi o que deu forças pra continuar minha vida sem as conversas no fim de tarde e sem os abraços de cumplicidade depois de um dia cheio de trabalho. Você tinha todo o direito de ir embora. Eu jamais poderia evitar, eu sabia desde o começo que não seria pra sempre e não me arrependo. De nada. Depois de tantas conversas nós dois sabemos perfeitamente que você não amará outra mulher da forma que me amou. E eu nunca beijarei alguém da mesma forma que beijei você.



Eu tenho fé na força do silêncio!


segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

Alivio Imediato


As vezes o céu fica cinza quando a chuva cai. Eu sempre rezo com o Gessinger pra que essa mesma chuva me traga Alivio Imediato mediante a qualquer claridão ou escuridão dos meus dias tortos com configurações erradas. Já não sei se sou daqui, da lua ou mesmo do mar vivendo por segundo essa vida que insisto em dizer não ser a minha por parecer que quem a vive não seja exatamente quem sou. Tenho que concordar com aquele livro: "Como se eu já não tivesse sofrimento de sobra, participo voluntariamente de mil pessoas imaginárias, e sinto-os com tanta intensidade como os meus próprios". Deus, onde me encontro? Os lugares que ultimamente visito dentro de mim são cheios de dúvidas, incertezas, medos.

Observo através da janela e então fecho os olhos. Me concentro. Ouço o som da chuva. Sussuro: Que a chuva caia como uma luva, um dilúvio, um delirio, que a chuva traga alivio imediato! 

Sinceramente? Se ela me ouve eu não sei. Eu apenas sei que o céu cinza já não parece me incomodar tanto! Então corro pra rua, seguro forte nas mãos de quem me disse que a condição de alma não depende da idade física que se tem nesta vida. Sorrio! Danço na chuva com esse ser que me ilumina e que sempre me concede a leveza do sentir. Do viver! Sob a chuva me vem a certeza convicta: Não preciso mais fugir! Não há mais medo ou mesmo dúvidas. Tudo se foi. A idéia de que não tenho mais tempo também partiu.

Me deito. Me acalmo pra sentir o equilíbrio se instalando.
Apago a luz.
Então fecho os olhos e sorrio mais uma vez pra agradecer a Chuva, ao Gessinger e ao Ser que ilumina meus dias e que parece sentir quando eu preciso de um amigo pra me acompanhar em uma revigorante dança na chuva.

Living is easy wiyh eyes closed.


*Ele une as quatro estações, une dois caminhos num só
Sempre que eu me vejo perdido une amigos ao meu redor
Talvez ele saiba de cor tudo que eu preciso sentir
Pedra preciosa de olhar! Ele só precisa existir para me completar.

- | Jorge Vercilo| -


domingo, 22 de janeiro de 2012

Entre e Feche a Porta.


Meu mundo. Vou apresentá-lo a você. Ou pelo menos a parte que lhe cabe. Vamos juntar as mãos e passear um pouco pelas minhas emoções. Acalme-se. É tão simples. Entenda. Seus pensamentos e sentimentos estão tão confusos quanto os meus. Não há clareza, não é? Você tenta definir e não consegue. É só você fechar os olhos. Feche os olhos. O que você procura? Gratidão ou Amor? É aqui. Abra os olhos. Você vê? É bem aqui que não consigo me decidir. Por não saber o que você sente fico presa entre o “saia da minha vida” e o “eu vou esperar mais um pouco”. Ouça. Se eu pedir que você saia, eu sei, você vai sair, contra sua vontade, mas vai sair por não querer me machucar. Se eu esperar, será uma escolha minha, sem nenhuma esperança vinda de você.

É verdade. Você tem razão. Ali estou eu. Acordando pela manhã, encarando-me no espelho, ensaiando textos, frases cortantes e tentando interpretar improvisos. E Nada. É só apenas mais um dia em que irei pra cama com a frustração da frase “Por que não consigo?” Tão previsível, não acha? Admita agora, você nem queria vir. Mas não soube dizer não. Você se importa, admita isso também. Importa-se com esse mundo que você não conhecia. E é isso que faz com que você queira ficar. E o meu medo é que seja apenas isso.

Por que me pedir pra olhar em seus olhos? Não é aí que encontro sinceridade. Tome uma atitude sincera e não perca mais tempo. Daqui a algumas horas será tarde demais. E dessa vez, tarde demais pra você. Você pára e olha pra mim. Exatamente. Não posso ir com você. Eu solto sua mão e aponto por onde você tem que voltar. Já conheces o caminho, venha quando decidir ficar, caso contrário, não. Este lugar está bagunçado, preciso arrumá-lo. Por favor, não feche a porta quando sair. Se não houver retornos, haverá chegadas. Sempre.

(Essa é minha decisão).

Agora, é o seu mundo que precisa ser explorado por você.
É a sua vez.
Encontre-se
Decida-se.

Volte...

domingo, 15 de janeiro de 2012

Para um Cara Estranho

Enquanto permanecia da forma correta, ela continuava a aceitá-lo na sua vida. Por que você tinha que ir lá e desconsertar, desarrumar, revirar tudo? Tava tudo perfeito, se encaixando, tomando forma, se acertando. Quando não é meu egoísmo e orgulho idiota é o seu lado cafajeste e o seu vicio irritante de não saber dizer não para qualquer par de pernas. É prático, estranho, mas eu sei, tá ali, sabe? Você se importa. Tudo bem, eu também me importo, é aquela velha história: Eu brigo, ignoro, finjo, mas acredite beibe, ainda me importo. Não sei lhe dar com você e suas manias irritantes, não sei lhe dar com suas repentinas mudanças de comportamento, mas eu gostaria de tentar, gostaria de entender, compreender, me manter ali. De vez em quando. Por todo o sempre.

Aí lá vem você, pra variar se achando o tal, confiante em estragar o pouquinho de confiança que eu depositei na maior dificuldade em ti. Eu aceitava tudo. Nosso contrato de romance prático nos permitia manter uma relação aberta, sem chiliques, apegos, ciúmes e satisfações. E entre toda essa baboseira inventada só havia uma coisa que eu não tolerava, toleraria, tolero: Desrespeito! De todos os cafajestes insignificantes que passaram pela minha vida, você foi o melhor na arte de fazer isso muito bem. Palmas. E o Oscar de melhor-burrada-em-estado-sóbrio-vai-para: Cara Estranho! O pior de tudo foi ter que manter minhas expressões faciais em estado de não-tô-nem-aí, talvez eu também mereça um Oscar pela minha atuação coadjuvante, você não acha? 

Reconheço. Não sei o que será daqui pra frente. Te excluir da minha vida através de palavras, opa! Isso é fácil! O difícil é olhar pra você e dizer não quando você chega com aquele seu ar carente e me rouba um beijo como quem não quer nada querendo tudo (Mesmo não sabendo o que vai fazer depois com tanto querer da minha parte). Agora procuro coragem, por aí, por todo lugar, nos outros, nele e em mim. Dizem que Coragem, às vezes, é desapego (...). Então, por favor, duas dose pra mim!