A Lunática

Minha foto
Belém, Pará, Brazil
Nutricionista. Canta por aí. Escreve sobre o que vë, ouve e imagina. Ela é aquariana, rapaz uma eterna colecionadoras de momentos e de pessoas. Inconstante e com uma personalidade gigante assim como o mar. A diferença é que ela vai, mas não volta.

sábado, 29 de novembro de 2014

Tem Gente Que Deixa Para Ser Feliz No Dia Seguinte...

 Da série presente de texto escrito por um grande amigo!


Saudade! Sentimento? Dor? Ou vontade de aproveitar mais e melhor o que passou? Palavra de muitas rimas, sina da vida é querer o que já se foi. Perco o hoje pensando no ontem, mal percebo o amanhã. Acorda, olha o sol lá fora, ele clama por você. Afinal, a vida é assim, já não se olha nos olhos, já não se olha pra cima, já não se admira o clima. E sem clima a gente procura o que querer, sem saber, sem viver, apaga a luz, deita aqui, tudo o que quero é você.

Às vezes, tudo que procuramos é alguém para nos ouvir e uma mão para apertar, e pouco importa em que velocidade o mundo gira, o melhor é ficar sem ar, te abraçar, procurar o chão e não encontrar. Depois de um tempo, a gente descobre que saudade tem cheiro, corrói por dentro, porque saudade dói e é forte o suficiente para tirar lágrimas até de um homem, gera uma sensação marcante de estar dentre tanta gente, mas se sentir como uma planta sem raiz, sem vida, sem cor, sem amor.

E quando a noite vem, traz o vento frio que pede seu calor, traz um céu estrelado e um clima de romance, traz a lua que impera e pergunta: por que tem gente que deixa para ser feliz no dia seguinte?



terça-feira, 18 de novembro de 2014

Luz Das Estrelas Que Não Brilham À Meia-noite




Continuar. Seguir em frente. Esses últimos dias essas palavras não tem feito o menor sentido, não quando me reservo a prioridade de involuntariamente pensar em você, em nossas lembranças juntos, memórias eternas de uma vida que me parece tão inexistente, distante, inalcançável. Não ajudou muito deixar a cidade, voar pra outro estado se carrego você na bagagem. Posso tentar mudar de continente, mas sei que certamente você estará lá como uma parte de mim indeletável e inesquecível.

Preencho meu tempo com tudo que posso, faço isso há anos, os anos que persisti com a espera inconsciente, mas em todos esses anos existe pelo menos um mês, um único mês em isso que acontece, essa ferida sangra tão dolorível, perturbando minha mente, me tornando inquieta por semanas, eu me sinto machucada, vazia, com um eterno espaço que me parece jamais será preenchido novamente. E esse espaço mesmo que silenciosamente ou em inaudíveis sussurros continua implorando por você. 

O homem que impulsionou eletricidade em minhas veias do primeiro ao último toque. Aquele com sorriso sincero cheio de sarcasmo que abandonava a vida presente apenas com meu simples pedido pra ficar por mais um dia. Aquele homem que me fez cruzar o país apenas pra me encontrar por uma noite. Aquele que me exigia saudade em letras maiúsculas em época que e-mails eram os melhores meios pra se estar perto e ser lembrado. Eu sinto falta. E ela amplia de uma forma imensurável quando esse mês bate na porta. Eu deixei de lutar contra a dor, vem de qualquer jeito e como uma insana eu perfuro a mim mesma e busco por tudo que mantenho profundamente escondido: Anotações, músicas esquecidas no fundo do meu consciente, textos em um diário guardado na secreta gaveta, antigas confissões cravadas em frases datadas de anos mais que felizes. Anos completos

Como tivemos coragem pra irmos tão longe pra nos perdermos em segundos. O adeus que nunca chegou. O tchau nem ao menos escrito. As vezes chego a duvidar que a loucura de amar realmente aconteceu comigo, que através de um único homem eu descobri tudo que precisava saber, porque é aqui no futuro do qual tanto conversamos que eu vivo tudo que você me ensinou. É aqui que percebo o quanto sinto saudade das instruções, dos avisos, dos sermões sobre minha  inexperiência em levar alguém a sério. Você venceu e eu perdi. Perdi em todos os sentidos. Perdi pra sua conquista insistente e fascinante. Perdi pra suas chantagens criativas. Perdi minha autoridade do não quando as chaves do seu presente chegou em dezembro antecipando o Natal  tatuando em mim sua partida e a lembrança de me ver sentada em seu colo ouvindo por sua respiração a confissão do seu amor. Eu perdi você em um buraco negro de um último e-mail datado de 12/2011, nele você diz que está com saudade. Eu respondo que sinto o mesmo. Eu entendi depois de meses sem resposta via e-mail ou qualquer outro meio que aquele foi o fim dos nossos três anos completos.  

Se você vive, trabalha, tem filhos, férias na praia, um casamento feliz eu não sei dizer. Eu continuo. Eu sigo em frente por onze meses todos os anos. Procurando você em cada carinha que conheço, mas sem sucesso. As palavras da minha mãe ditas sem que ela soubesse que eu as ouvia ecoam por todos os lados: "Ela vai viver pra esperar por ele". Talvez sim. Talvez não. Escreverei quando estiver vivendo no futuro planejado apenas por mim. Por agora vivo aquele que nós planejamos. Sem êxito. Farei 25. O limite pros nossos planos feitos quando eu tinha penas 19. O espaço em mim a partir daí sempre existirá. No fim, ele é a única prova de que você realmente esteve aqui.

Sua Princesa.

sábado, 15 de novembro de 2014

Talvez

Todo mundo diz que não existe ninguém mais apaixonado.


Talvez o tempo tenha parado. Talvez eu não tenha a sanidade pra definir a realidade do que um dia foi e nem de admitir que acabou. Talvez eu jamais perca o costume de diariamente checar minha caixa de e-mails pra ver se me surpreendo com alguma noticia sua. Talvez eu jamais deixe de lembrar que foi no fim de abril que nos conhecemos. Talvez eu jamais perca a esperança de tocar seu rosto novamente. Talvez em um futuro que agora parece nunca eu consiga ouvir sua voz mais uma vez ou ver o seu sorriso que tanto foi meu presente quando despertava ao seu lado. Talvez eu consiga parar de comparar todos os caras que conheço com a lembrança que quase já não tenho mais. Talvez quem sabe isso aconteça por não conseguir me desacostumar dos seus beijos e dos seus abraços. Ou talvez eu não perco esse medo de ficar sozinha porque ele existe pra esperar você.

Talvez eu seja apenas uma memória feliz sem registro fotográfico que com tempo deixou de existir na sua vida e isso é o que mais dói, a diferença é que essa dor é multiplicada pelos anos que chegam enquanto você vai mais longe. Talvez um dia eu deixe de procurar por sua sombra, nesse dia talvez eu aceite que minhas lágrimas não farão com que você volte e eu posso talvez tentar me acostumar com essa dor mesmo que talvez eu nunca deixe de reler seus e-mails antigos afirmando que me amou mais do que a si mesmo e nem deixe de dormir chorando sabendo que parei de contar os anos que estávamos juntos pra contar os anos que estamos separados. Talvez eu só precise aceitar e conviver que mesmo com todos os existentes "talvez" eu continuarei amando você por todos anos que ainda virão.  E só sinceramente espero que eu pare de falar e escrever sobre você. Ou que apenas talvez você leia o que escrevi.  

Sua.
Princesa. 

terça-feira, 11 de novembro de 2014

Queria Me Beijar com Sua Boca

Sabe, quando a felicidade invade quando pensa na imagem da pessoa 
Quando lembra que seus lábios encontraram outros lábios de uma pessoa 
E o beijo esperado ainda está molhado e guardado ali... Em sua boca.

Nando Reis


Você passou ao meu lado e meu coração ficou desesperado, louco para te abraçar. Senti o vento com seu cheiro, você sabia da minha vontade de te agarrar. Então esnobou, me esnoba. Não tenho certeza, mas acho que você sabe o que eu quero e se aproveita para me testar. Faz charme, faz boquinha, finge que não me vê, mas um dia a gente se topa, aí quero ver você escapar. Se você pensa que química se aprende na escola, espera até meu corpo encontrar o seu. 




Desde a primeira vez que te vi, descobri que queria ver meus olhos nos teus, te abraçar, te apertar, te beijar. Demorei dias pensando no que te falar. Pensei em poesia, pensei em hipocrisia, mas quando te encontrei não pensei. Não sei o que aconteceu, troquei as palavras, calei e disse: Queria me beijar com sua boca todos os dias.

segunda-feira, 10 de novembro de 2014

PROMOÇÃO!!!!! 4 Anos de Blog Jeito Lunático





Galera linda que curte esse Blog e a página do face do Jeito Lunático muita atenção: Até dezembro em comemoração aos 4 anos de blog terá vários sorteios de livros e produtos com a marca do blog. 

O primeiro presente é um exemplar do livro Não Se Apega Não da Blogueira Isabela Freitas. Quer ganhar? Siga as regras e clique em participar! 











Para participar, siga as regras abaixo: 


2. Compartilhe o link do sorteio publicamente. 
Clica Aqui


3. Clique em Quero Participar no link do sorteio pelo aplicativo sorteie.me

Boa Sorte Gente!!!!



PROMOÇÃO ENCERRADA

Olha aí gente! Diretamente de Santa Catarina, Samantha Corrêa, ganhadora da Promoção 4 Anos de Blog Jeito Lunático, enviou sua fotinha com o Livro Não Se Apega Não da Isabela Freitas! Que linda, né?? Parabéns Samantha!! E obrigada pela participação!!!!






quinta-feira, 6 de novembro de 2014

03 Minutos




Eu poderia abrir os braços ou até mesmo colocar as mãos em posição de amém pra começar a desejar tantas e tantas coisas, sabe? A verdade é que estava de passagem e resolvi parar na frente da sua casa por um engano indesculpável. Lembrei de quando descia as escadas com o guarda-chuva nas mãos pra colocá-lo sobre sua cabeça nos dias em que você chegava encharcada da chuva, lembra? Não? Pois é, não tem problema, essas coisas a gente esquece mesmo. Eu pensei em ligar, escrever, voltar, até tentei alugar um apartamento na rua da frente, mas aquela sua amiga, como é mesmo o nome? Ana, não é isso?  Ela disse que eu estava ficando louco. E confesso a você que talvez ela estivesse certa. 

Pensar sobre nós causa uma desconcertante inquietude por acreditar na estranheza do nosso fim. Me sentia o homem mais feliz nesse deserto de mundo naquelas madrugadas que você com olhos fechados procurava pelo meu corpo dizendo que precisava ficar mais perto apenas por causa do frio. Você me amou de verdade minha pequena-garota-problemática-cheia-de-sonhos-e-história-pra-contar. É eu sei, deixei dúvidas demais espalhadas pelo caminho o qual você teria que percorrer por mim, concorda? No fim, aprendi com cortes profundos que existem certas dores que não desparecem. Todas as desculpas e promessas foram insuficientes pra manter nossos planos em construção. Mas ei minha menina, antes que o tempo passe, me deixe dizer que lágrimas definitivamente nunca combinaram com seus olhos cor de mel. Acredite, cada segundo ao seu lado foram perfeitos e no meu travesseiro ficará guardado seu sorriso exagerado e a lembrança da sua vontade de mudar o mundo.

O relógio cobra o tempo que não temos, mas antes de partir me deixe desejar que um dia você consiga perdoar aquele que não soube te amar, aquele que não soube ser seu raro amor. O amor que você tanto busca e merece. Você merece todas as coisas boas e indefiníveis da vida e a maior delas é o amor, moça.  Amor. Amor de família, dos amigos e de todos aqueles que cruzarão seu destino. Acima de tudo que você encontre o insubstituível amor próprio, pois nele você encontrará tudo que precisa pra ser quem quiser e quem sabe até mudar o mundo como sonha. Antes de não te ver mais me deixe desejar que ele chegue tão rápido quanto eu fui. Que ele te segure. Segure suas lágrimas que você esconde por teimosia. Que ele conte histórias inventadas e absurdas apenas pra te ver sorrir. Que ele te leve pra dançar em noites estrelares. Que ele esteja presente em todos os teus momentos importantes. Que ele te ame com intensidade e cumplicidade. E que ele jamais seja uma daquelas pessoas que estilhaçam tudo. E enfim, que dentro de você exista sempre a força pra lutar pelo amor que tanto precisa pra recomeçar quando a vida exigir demais de você minha menina.

Eu inevitavelmente ainda amo e acredito em você.

terça-feira, 4 de novembro de 2014

Doce Saudade

E eu descubro que além de anjo 
Eu posso ser seu amor


É madrugada. Que sentimento é esse sem explicação que invade meu corpo e adentra meu peito sem que eu possa fazer nada tornando refém meu carente coração. Talvez essa sensação seja a falta de notícias, isso tem me deixado cada vez mais aflito causando essa mistura de sentimentos e sensações onde sinto medo e sinto raiva. Medo por não te-lo mais. Raiva por não ter respostas nas inúmeras mensagens enviadas. Mas ainda assim também sinto essa vontade de te cuidar e ter você em meus braços. Sinto falta de você. Sinto esse desejo aumentando dentro de mim. Logo, sinto você aqui. Perto. Ao meu lado. 

A loucura de todos esses sentimentos me deixam confuso, a razão exige que eu tome uma atitude diferente das emoções ditadas pelas vontades do coração, o resultado? Acabo atropelando tudo, dos sentimentos mais puros aos mais insanos que alguém pode imaginar. Sorrio involuntariamente quando entendo que só você tem esse poder sobre mim, quando me me faz sentir leve, quando me faz sentir a energia positiva e a forte emoção do um simples toque de pele quando estamos juntos. Você me permite ir além, me  faz sentir o doce e o amargo da saudade quando me perco dos seus abraços, quando já não sei onde seu caminho vai... Se para perto ou se para longe de mim.

Esses pensamentos me levam ao êxtase quando me encontro como estou agora, parado, jogado sobre a cama, olhando pra esse teto vendo tudo passar na minha mente, não como novela, filme ou algo clichê, mas simplesmente como nossa história, nossos momentos que por mais breves que tenham sidos parecem eternos. Você pode não ter uma definição pra isso, mas eu tenho. Isso é o que eu chamo de Sabor Doce da Saudade, que logo acaba quando alguém que não é você bate na porta do quarto me convidando a sair desse meu submundo.

A dura realidade é aceitar que tudo aquilo eram apenas lembranças e como uma vela debaixo de um copo tem sua chama apagada por falta de oxigênio, tenho o doce tomado pelo amargo da mesma forma. Aos poucos tudo volta a ser como antes e me vejo aqui sem você, algumas vezes, esse "amargo" vem com a solidão e com as lágrimas que lavam meu rosto tentando me consolar, me acalantando em um profundo sono, onde mais uma vez encontro você. Nos meus sonhos.


Texto do meu amigo D'Ângelo Henrique
Colaboração Dheysse Lima
Obrigada pela confiança em me deixar publicar pela primeira vez um de teus textos.