A Lunática

Minha foto
Belém, Pará, Brazil
Nutricionista. Canta por aí. Escreve sobre o que vë, ouve e imagina. Ela é aquariana, rapaz uma eterna colecionadoras de momentos e de pessoas. Inconstante e com uma personalidade gigante assim como o mar. A diferença é que ela vai, mas não volta.

quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

Jardim, Flores e Blá, Blá, Blá




E é no meio do imprevisto e das impossibilidades que hoje atravesso a porta que dá passagem a liberdade. Eu largando você. Eu fazendo o que devia ter feito há muito tempo. Cansei de estampar esse sorriso falso e cansativo que me deixa no fim do dia com as bochechas paralisadas quando o que mais quero é gritar em um alto falante: Hey mulheres, relaxem, vocês não são as únicas. Eu também me apaixonei por um babaca, inútil, frouxo, covarde, fraco, idiota, bundão, imbecil. É isso. Eu abandonando você. Eu  mandando pro inferno. Eu me livrando de você. Chega de está ao lado de alguém com quem sonhei e que no fim se tornou meu pior pesadelo. Não é racional precisar de uma pessoa tanto quanto precisei de você. Joguei fora meus anos e juventude por um amor falido. Chega de bancar a mulher perfeita e maquiada que você convencido apenas exibe como um homem que possui tudo, mas que não passa de um ser humano com um sorriso perverso e o coração vazio.

Eu não preciso disso. Não preciso ter que conviver com seu egocentrismo. Eu não preciso de você. Não preciso nem sequer dar adeus. Dizem que devemos ser honestos mesmo no fim de uma relação, mas nesse caso eu dispenso olho no olho, lágrimas ensaiadas e o velho pedido pra ficar. Já vi esse filme tantas vezes que decorei todas as falas. Me recuso a continuar vivendo reprises, mereço muito mais. Mereço uma nova história, novos personagens, novas paisagens, uma vida mais colorida do que essa cinzenta que me acorda todas as manhãs. Se tudo que está entre mim e esse novo mundo é a decisão de partir, pois não há mais o que pensar. Já me decidi. Vou embora e desse chão nem a poeira quero levar nos pés, faço questão unicamente de deixar apenas algo pra trás: A casa vazia.

Se a minha presença não foi o suficiente, talvez a ausência preencha melhor o arrependimento que desejo a você quando não mais me encontrar. Ironicamente desejo que você se consuma em solidão nas inúmeras camas de mulheres desconhecidas que acordarão ao seu lado.  Sentirei pena. Mas delas. Você com todos os sentidos e órgãos funcionantes nunca conseguiu enxergar nada além da ponta do seu próprio nariz. Eu cansei de você. Cansei de esperar por mensagens, e-mails, flores, bombons e de receber metade sendo que posso ter o inteiro de outro alguém. Eu definitivamente mereço uma vida nova. Mas sem essa de ir plantar meu jardim, colher flores e blá, blá, blá. Não pretendo usar meu tempo pra ficar em um só lugar esperando flores crescerem quando posso sair em busca de todas as sensações que puder alcançar.  Vou ser feliz e não volto! Até porque querido minha felicidade começa na certeza de que deixar você não me faz ter nada o que lamentar.



Do Amor Que Não Sofri




Ele disse que virei passado, que sou caso encerrado, que não houve romance, que toda nossa história não passou de engano, um legitimo tempo perdido. Me jogou na cara que tem outro alguém, uma moça bacana que conheceu e que entre ela e eu não há comparação. Sei. Mas será? Será mesmo. Ah! Para vai, não adianta esse sarcasmo todo. A verdade aqui é bem diferente, essa sua felicidade falsa aí é a mesma que jogou na cara da sua ex quando ficou comigo e tem mais, se esquecer alguém significa essa pessoa se tornar o assunto das tuas 24 horas então querido não sei o que é superar um fim.

Tá certo, saquei que na lei da vida eu quem deveria estar em casa com um pote de sorvete, só que acredite, as mulheres ainda vão dominar o outro lado da moeda. Veja bem, por aqui é muito simples: Se quer voltar é só pedir, o que não rola é fazer chegar aos meus ouvidos que tá carente, que tá doente, que não tá bem, desencana, porque essas desculpas não vão colar. Conselho de ex: Voltar pra alguém que já conhece seus defeitos é a melhor decisão. Quando ainda há amor. 

Então, tic-tac querido, porque a vida tá passando e por enquanto admito numa boa que sinto sua falta, porém se sua felicidade de aparências, seu orgulho de quem colocou o fim na relação e suas mentirinhas contadas para seus amigos falarem mais alto do que sua vontade de estar comigo, não precisa nem vir e a gente segue em frente. Meus anos melhores foram vividos juntos com você - eu sei, isso é tão fofo - mas isso foi até agora, portanto não se engane, eu posso muito bem viver dias intensamente mais felizes ao lado de outro alguém.  Tic-tac meu bem. 

sábado, 24 de janeiro de 2015

Nossa Humanidade

"Se Deus te desse só o amanhã pra sentir o que nunca sentiu, sentiria? 
Se de fato fosse mesmo o último adeus onde há de estar o seu amor? 
E assim, viva como quem soube que vai morrer 
Morra como quem um dia soube viver"



Hoje o assunto é sobre a maldade do ser humano, sobre o sentimento que se passa no coração em ver alguém sendo injustiçado. O que se fazer? O que você faria? Ficaria assistindo mesmo sabendo quem são os verdadeiros culpados? Ou falaria? Tomaria uma atitude? 

Nos chamamos de Seres Humanos, fazemos parte de uma Humanidade que significa a fraqueza própria do ser humano, a clemência, a compaixão perante as desgraças e as adversidades do outro, a afabilidade e a benevolência. Esses são os sentimentos que por sermos humanos todos deveríamos adquirir ao longo da vida. Essa construção de sentimentos bondosos criam nosso Caráter. Então só me diz o que acontece com o coração das pessoas que cometem traição, injustiça, maldade, humilhação? Onde foi meu Deus que essas pessoas perderam a humanidade, a compaixão diante da tristeza do outro? É difícil imaginar! Será se essas pessoas nunca sofreram injustiça na vida? Vai ver que não, senão saberiam a dor que causa o olhar de acusação de quem aponta o dedo na tua cara sem confiar em suas palavras. 

E aí você me pergunta: Quem somos nós pra julgar? Julgar um culpado ou um inocente? Eu sei, não temos esse direito, mas é de nossa natureza, ou pelo menos da minha natureza criar uma grande indiferença a quem só sabe fazer ou observar a maldade, peço perdão por isso, mas como diz aquela frase: "O mundo é um lugar perigoso de se viver, não por causa daqueles que fazem o mal, mas sim por causa daqueles que observam o mal e deixam acontecer" Não há nomes a serem citados aqui, esse texto é apenas uma reflexão para que as pessoas comecem a buscar a humanidade que perderam, para que hoje em dia nos importemos mais com a vida do outro e com seus sentimentos.

Não é nada legal ver alguém sofrendo e ficar só olhando, mesmo que você não seja amigo, colega ou o que for. Eu sigo acreditando que bem aventurados são aqueles que tem compaixão não apenas por seus amigos, por sua família, mas por todos aqueles que estão ao seu redor, afinal Deus nos criou como irmãos e admita que você jamais cometeria qualquer falha com seus irmãos de sangue, então que tal elevar esse laço, não se permita cometer falha com qualquer pessoa. Eu sei, você não é perfeito, mas ao menos se falhar, reconheça. Desculpas sinceras e de coração também contam na definição de humanidade e de um bom caráter. 



segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

Promoção Feliz 2015





O Blog Jeito Lunático em parceria com a Design A3 lança a promoção Feliz 2015!!! Você concorrerá a lindos mimos personalizados pela Design A3, além de uma super Agenda 2015 Jeito Lunático!!!

Basta seguir a regulamentação e você já estará participando!!! Não perca a chance de ganhar esses presentes maravilhosos para começar o ano com muito estilo!!!

Link do sorteio:


Para participar, siga as regras abaixo: 


1. Curta a página da Design A3 https://www.facebook.com/DesignA3


3. Compartilhe o link do sorteio publicamente 

4. Acesse o www.jeitolunatico.blogspot.com e compartilhe uma postagem de sua preferência 

5. Clique em Quero Participar no link do sorteio pelo aplicativo sorteie.me 












Não esqueça de cumprir as regras acima. 


Data do sorteio: 31/01/2015






sexta-feira, 9 de janeiro de 2015

Nem Toda Dor Vale a Pena Pequena




Ei moça, que semblante é este? Que tristeza é essa que ocupa sua alma? Deixa eu te animar, te reanimar, te colocar pra cima, te mostrar a beleza de se viver, é que existe tantos motivos pra ser sorrir e poucos pra entristecer, acredite, olhe ao seu redor, consegue ver? Nem toda dor vale a pena pequena.  Aqui a regra é ser feliz, é continuar embora haja espinhos, pedras e mares a sua frente, você possui opções, caminhe, navegue, águas calmas nunca fizeram bom marinheiro, certo? 

Siga, só olhe pra trás se for pra buscar força em quem torce por você, estenda as mãos, intensifique sua vontade, vá, algumas coisas são tão desapegáveis, coloque energia em tudo que fizer e quando faltar paciência empreste a tranquilidade da natureza. Respire. Inspire-se na certeza de que Deus ama você, não há necessidade de mendigar qualquer outro amor.

Se o choro vier por medo, fracasso, engano, deixe rolar, cada lágrima que cair mais forte você ficará. Aprenda com erros, prossiga com a lição e sem arrependimentos, aceite ser imperfeita, trabalhe a consciência, uma personalidade forte não se deixa influenciar. Abra o sorriso, sozinha você nunca estará, independente da estação, inverno, outono ou verão, enfrente seu caminho com coragem, segura em mãos firmes, mantenha os pés no chão, espalhe primavera e alegria por onde passar.

Se ainda assim a escuridão insistir acenda uma vela, abra a janela, deixe o sol entrar, lugares claros iluminam a alma e o coração. Abandone a negatividade, mude sua rota, suas ideias, invente novos sonhos, desenhe figuras no céu, coloque os pés na água, recomece no silêncio, ouça seus pensamentos, faça uma prece, o tempo cura feridas, causa esquecimento, filtre tudo o que lhe é positivo, sopre as dores ao vento. 

Deixe ir. Liberte-se. Crie Asas.
E mais que tudo pequena, nunca perca a fé.



E todo meu carinho e amizade eterna pra essa guria que me faz uma falta danada.
Entre distância e saudade a minha escrita sempre estará ao seu lado, assim como meu coração amiga. |


Amores Imperfeitos

"Mentira se eu disser que não penso mais em você 
E quantas páginas o amor já mereceu 
Os filósofos não dizem nada que eu não possa dizer"


E lá se foi mais um. Eu fiquei. Fiquei com as fotos rasgadas e as chaves nas mãos. Droga. Ele e essa coisa toda de não ser bom o suficiente, alguém por aí acaso faz as regras de como-ser-o-cara-certo? Essas coisas se sente. Eu devia ter feito um escândalo, gritado, chorado, implorado, chamado ele de babaca ou que fosse pra ter enfiado naquela cabeça dura que eu não precisava de homens incríveis, dos sonhos, de príncipes encantados, de caras perfeitos? Eles saberiam amar outra coisa que não eles mesmo? Você só precisava ser quem é. Eu tinha maior fé em você. Em nós. Na gente. Quem diria que você não seria capaz de enxergar que o teu jeito errado, bagunçado, reservado era o sinônimo de perfeito pra mim. No fim você se confundiu todo, não entendeu nada, assim como eu quando você pulou fora. 

Eu sei lá. Os amores e essa mania maluca de nunca ficar, não se fixar, existe essa pressa de beijar quantidade, ignorar qualidade, é, cada um com seus critérios. Gente que vai por não amar, por orgulho, por está de saco cheio da rotina, por brigar e tem os melhores: Aqueles que somem e depois avisam via whatsapp, sms, carta, recado na caixa postal ou por sinal de fumaça que já não estavam tão afim de continuar. Não tinha nada dessa história de não ser bom o suficiente porque tivemos um começo transparente e duramos juntos mais do que qualquer um dos nossos relacionamentos anteriores. Nós tínhamos companheirismo, amizade, confidências, sorrisos e amor, antes que você me contradiga, eu afirmo, tínhamos amor. No passado. Porque se ainda houvesse, eu sei, tenho certeza, você teria ficado. 

segunda-feira, 5 de janeiro de 2015

Somos 500! Obrigada!

Gente que visita, que passa pra um café, que compartilha, que comenta, que curte. Gente que faz parte desse blog desde o início, que já me deram tantas histórias pra contar. Gente que chegou recentemente, que chora e sorrir com cada texto! Gente desconhecida, amigos e conhecidos que tanto já me inspiraram: Hoje só tenho a agradecer cada um por somarmos juntos 500 curtidas na página do Blog!!!! Obrigada!!! De coração. Sintam-se abraçados!!! Obrigada por vocês fazerem parte disso!!!

Dheysse Lima


sábado, 3 de janeiro de 2015

Carta Para Outubro


Tenho as memórias de você suturadas em algum lugar, evito passar por lá, não é culpa sua, nunca foi. Sob juramento jamais te direi que consegui sumir através de uma dolorosa força de vontade, acredito que a vergonha ajudou quando reconheci minha inteira imaturidade em lhe dar com toda aquela situação e é justamente por essas e outras que fugia de qualquer contato e lembrança - odeio essa sensação de arrependimento que aparece assim como esse maldito pensamento de que eu poderia ter tido atitudes diferentes, menos invasivas, menos comprometedoras, menos sufocantes. Mais que arrependimento é reconhecer que nem foi paixão, amor ou qualquer sintoma mais intenso. Foi apenas a companhia agradável e misteriosa que eu não queria perder, mesmo com todos aquelas setas e sinais que apontavam para que eu seguisse a direção oposta a sua por saber que ali só havia as sobras de um homem que um dia foi feliz e que ainda estava totalmente perdido no passado. 

Mas eu tampei os ouvidos e fiz uma cara feia e repreensiva pra minha consciência acreditando no impossível, que te consertaria, que faria você perceber a beleza de viver coisas novas e pra mim não havia nada mais realizador do que ver você cantando e sorrindo naquelas semanas. Então, novamente sob juramento nunca te direi que eu estava tão confiante em ser uma pessoa boa pra você que perdi o controle, o bom senso e só sofri as consequências de estragar tudo alguns dias depois quando a distância se fez presente me causando sofrimento. Precisei de uma bofetada psicológica pra deixar essa parte de um ano pra trás e foi aí, quando voltei pra casa que você se tornou o cara sobre quem eu jamais falaria para as minhas amigas e aquele o qual eu não voltaria a lembrar. 

Até hoje. Essa é a primeira vez que desfaço o esquecimento pra colocar você em texto, tudo porque coloquei uma lista aleatória e então aquela música tocou de um modo surpreendente, olhei pra data no canto do computador e pude perceber que se passou mais tempo do que pude contar. Tanto tempo que aprendi as controlar memórias trancadas mesmo te enviando mecanicamente felicitações via mensagens de texto sem saber se faço isso por não querer ser esquecida ou apenas por não querer esquecer de uma vez que ainda sinto sua falta, mesmo continuando sob juramento de jamais te dizer.