A Lunática

Minha foto
Belém, Pará, Brazil
Nutricionista. Canta por aí. Escreve sobre o que vë, ouve e imagina. Ela é aquariana, rapaz uma eterna colecionadoras de momentos e de pessoas. Inconstante e com uma personalidade gigante assim como o mar. A diferença é que ela vai, mas não volta.

domingo, 26 de agosto de 2012

Me Deixem

As pessoas acham que ando deprimido. Não vou desmentir, prefiro deixar assim, é até bom. Os deprimidos podem agir de modo esquisito e não precisam justificar suas bobagens o tempo todo. Ele é um deprimido, quem se importa? Recebam meu recado: eu até que estou indo bem. Somente descobri que, no momento agora, só consigo ir com as caras que nunca mais verei, só consigo me apaixonar pelo que assumidamente é feito de pó. Não faça como o resto da cidade, não ultrapasse meu semáforo depois que já fechou. A pressa é inimiga da direção. E a gente se vê, ainda. Promessa.

A má notícia é que, a julgar pelo meu entusiasmo nos últimos dias, morri. Até já decidi minha lápide - "Viveu lutando pelo amor e as sensações que valem a pena ser vividas. Fracassou miseravelmente." - O que você acha? Nem tô, na verdade. Me deixem.

A boa notícia é que não perdi o telefone de ninguém, apenas minhas falas teatrais dentro do grupo não fazem muito sentido nesta temporada. Ando menos polissilábico, menos colorido, menos espalhafatoso, menos vaidoso, menos inventado. E não consigo ver onde está meu erro.

Falando sério, tenho andado bastante sozinho, sobretudo ultimamente. É um tempo de agitações, de ímpetos de impaciência, ansiedade e mau humor. Contando com a resolução das coisas, que chegue logo um futuro que sei que virá, sabendo que nada mais depende de alguma ação minha. Só da minha habilidade em esperar. E isso me lembra que não há mais com quem contar, além do tempo. Que ando meio sozinho e assim eu quis, de certa forma.

Será tão errado assim brincar de perder tudo, algumas vezes por ano? Quase tudo, você ainda tem seu chá de capim-cidreira e todas aquelas canções em MP3 da Joni Mitchell para catalogar, os dois novos livros do John Fante para deglutir.

Pode não ser uma parte boa da minha vida, assistindo de fora. Mas não consigo sentir isso justamente porque não é tempo de sentir muita coisa. São apenas experiências com o estoicismo, fora isso, como eu disse, estou legal. Não perca tempo com preocupações ou sentindo saudades. Saudade é um amor que chegou atrasado após dormir demais.

E eu tenho tentado dormir demais, querendo me congelar para o futuro melhor. Um futuro bom, assim como foi bom esse nosso passado. É o presente que não estou sabendo como viver. Acredite, hoje, estamos melhores separados. Ou, ao menos, mais verdadeiros.


Texto do Escritor Gabito Nunes



sábado, 25 de agosto de 2012

Dizem Por Aí



Eu cortei laços improváveis pra retornar ao que um dia chamei de mim. Você não percebeu a diferença? A mudança? As sensações viajaram no tempo e se perderam por lá. Você deveria saber. Você estava lá com um sorriso sincero e a falsidade no olhar. Caminhei por aí, me perdi, deitada sobre a estrada a noite, chorei, minhas mãos continuavam fortes, mas meus joelhos eram fracos e ao redor não havia força humana que sustentasse minha dor. Eu percebi sua presença imóvel disfarçada em tristeza e desespero conduzindo-me de volta  pra casa. 

Dizem por aí que ela é pessoa por quem você está me deixando. Segundas chances, elas nunca importam, as pessoas nunca mudam.  Sorri pra você, um sorriso falso, mas com sinceridade no olhar, a mesma sinceridade que deixei no brinde que comemorava a sua traição, a felicidade verdadeira por sua confissão refletia o alivio de uma consciência fria e pesada. Você definitivamente achou que em mim encontraria perdão? Os pés fixos no chão mantiveram meus joelhos fortes e a segurança dos rumores e fatos me soaram familiar, ela realmente tentou derreter seu coração? Não dá pra derreter o que é gélido até a alma! Então, me conte soube que você a deixou por uma traição? E então você caminhou de volta pra casa, buscando redenção com uma  taça de vinho e a coragem nas mãos.

Dizem por aí que sou aquela por quem você a está deixando. Não posso negar que você, você realmente fez meu coração derreter, mas agora estou com frio até a alma. Inspirando e respirando desapego servido com gelo por favor. E não, não me sinto amargurada, ofendida, ressentida, sinto tudo e ofereço partes diferentes de mim a quem merece cada uma delas. Sorria querido! Aquele mesmo sorriso que você sabia me doar como ninguém. Sorria, erga a taça e brinde com você mesmo o que dizem por aí... Que ele é aquele por quem eu estou deixando você.



terça-feira, 14 de agosto de 2012

| Mudanças |

Esse texto me encontrou! E eu me apaixonei por ele instantaneamente. 
É o meu momento, minha fase. 
Então pedi com todo carinho para  Escritora/Blogueira Maria Fernanda Probst a permissão pra postá-lo aqui, no Jeito Lunático. Fiquei imensamente feliz quando recebi o e-mail dela aprovando esse compartilhamento!
Agora, assim como eu, espero que todos vocês gostem e claro acessem o Blog lindo da Maria Fernanda! É uma dica e tanto! Só clicar no Link!






Viu que mudei tudo, amigo? Dei mais cor e mais seriedade apesar dessa bagunça. Tá tudo diferente, amigo, mudei de forma, mudei de endereço, mudei de nome. É, tinha percebido não? Uma hora tudo muda, amigo. Só as linhas, tu vês?, que continuam as mesmas. Talvez porque os sentimentos não mudam, meu amigo. Talvez porque quanto mais o tempo voe, maior e mais impregnada fique a saudade do lado de dentro, ou talvez porque os sentimentos não se dissipam nunquinha. Eu sempre amei demais, sempre doei demais, apesar dos tapas na cara. ‘to aprendendo, amigo. Com o desenrolar dos dias, eu demonstro menos, eu demonstro pouco e isso me assusta um tanto, pois temo demonstrar à mim, todo esse sentimento. E de tanto esconder, temo esquecer e passar a não acreditar mais nessas coisas de felizes para sempre, de paixão todo dia. Temo misturar os sentimentos, amigo. Me cuida? Me cuida para que os sentimentos não se escondam, me cuida para que eu não confunda as coisas e chame de rotina o que deveria ser amor, ou chame de amor o é que loucura ou chame de loucura o que é tristeza e deixe triste a rotina. Não quero só ver a vida passar, sabe amigo? Então te peço, por favor, me cuida. Não me deixa escapar nessa coisa maluca, não me deixa perder a essência e ser menos eu a cada dia e me dê a chance de me redescobrir – e me redescobrirem – sempre. Toda hora, todo minuto, todo segundinho. ‘tá faltando. Alguma coisa eu sei que ‘tá faltando e não me arrisco te dizer, amigo, porque não reconheço. Espaço, amor, desejo, loucura, dinheiro, tranqüilidade. Alguma coisa, dentre tantas, me falta. Talvez tenha faltado eu. Meu eu... mas to tentando, amigo... você viu que mudei tudo?



| Autora do Texto: Maria Fernanda Probst  |

quinta-feira, 2 de agosto de 2012

Quero Ter Alguém

Quero alguém que eu saiba e sinta que precisa e que queira a minha companhia. Que não fuja de mim quando eu não estiver de bom humor, afinal eu não sou sorriso o tempo todo. Alguém que me tenha como a primeira pessoa que ele pensará em correr pra contar, compartilhar, desabafar quando as coisas não sairem do jeito que ele esperava ou quando algo estiver incomodando-o... E assim eu possa abraçá-lo e acolher seu momento, a sua dor, a sua história e que esse alguém faça o mesmo por mim quando eu precisar. 

Quero alguém que divida, compartilhe comigo não só os momentos de alegria mas também momentos de fraqueza. Alguém que realmente queira compartilhar a vida, alguém pra dividir e não fingir que está dividindo, escolhendo as partes que quer compartilhar por medo de sabe lá Deus o que. 

Quero alguém que me espere no fim do dia com sorriso estampado no rosto e abraço confortador, um porto seguro pra todos os momentos, (sei que nem sempre o sorriso será possível, mas o abraço... Ah! esse será indispensável). Que ao lado dele eu não sinta medo ou temor. Alguém que cuide da minha solidão, que me ensine a solidão a dois. Alguém que me faça ter vontade de crescer, de ser melhor, de estar melhor, de fazer melhor e que eu consiga despertar nele essa mesma vontade: ser melhor. Quero sentimento reciproco!

E que haja equilibrio!

Paula Barreto

quarta-feira, 1 de agosto de 2012

Acredite

Acredite na força. Ela move o  mundo.
Acredite nas escolhas do seu coração. Dessa forma não haverá arrependimentos.
Acredite na luz de quem ilumina essa vida. Essa luz é verdadeira.
Acredite no amanhecer. É o único capaz de nos dar o recomeço sem cobrar absolutamente nada.
Acredite na felicidade. Ela é só questão de ser.
Acredite no silêncio. Não há conselheiro e amigo mais sábio.
Acredite nas suas memórias. Elas são quem você é e quem você foi.
Acredite no poder da música. Essa extrema arte faz milagres, conforta, alivia, nos faz relaxar e sempre se faz presente em qualquer momento. Mantém inexplicavelmente a felicidade.
Acredite na fé.
Acredite no Amor.

| Dheysse Lima |