A Lunática

Minha foto
Belém, Pará, Brazil
Nutricionista. Canta por aí. Escreve sobre o que vë, ouve e imagina. Ela é aquariana, rapaz uma eterna colecionadoras de momentos e de pessoas. Inconstante e com uma personalidade gigante assim como o mar. A diferença é que ela vai, mas não volta.

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

E Como Vai Você?


E como vai você? Tempo demais entre nós dois, certo? Por aqui uma tempestade violenta de sentimentos, oscilando sem parar. Foram dias de espera, você soube? Aguardei ali, quietinha, os teus passos, tua mensagem, tua ligação até o último instante de esperança. Acho que ambicionei que todos estivessem errados. Inclusive eu. Eu que tentei manter a mente aberta e dispersa enquanto me pegava olhando de cinco em cinco minutos pra maldita tela do celular. Nada veio. Nenhum sinal. Cega como estava só sabia arranjar desculpas esfarrapadas que justificassem teu silêncio e o teu sumiço. 

Foi na tua volta que engoli meus impulsos, ignorei pequenos toques, não era o combinado, mas o certo. Toda aquela educação disfarçada, eu deveria ter lido você melhor. Quando alguém finge ser o que não é o maior problema é o tempo, só precisou de alguns dias pra mascara ruir e tua personalidade hostil entrar em cena. Não compreendi a tua chateação, a raiva, o sarcasmo barato, a resposta sem gentileza alguma. Apesar da minha espera absurda e idiota eu não questionei, não procurei, não comentei ou cobrei algo. Odiei tanto tua falta de respeito, de consideração e de maturidade. Odiei  porque o ódio foi o sentimento que restou pra que não me sentisse tão burra e patética por ter esperado cavalheirismo de você. 

Você entendeu errado e concluiu mentiras. Não me questionou. Outra em meu lugar teria procurado explicações, ferrado com seus achismos de uma vez, mas quer saber? Esses dez dias me foram presentes, consegui reverter o efeito da rejeição, consegui colocar pra fora a raiva mesmo que pelos olhos ou por palavras, consegui não falar sobre você nem com outros, nem comigo. Você era pra ser aquele moço diferente e não indiferente. Você era pra ser a minha vontade de te rever, de retomar a conversa despreocupada, de piscar e ter um beijo roubado novamente.  Mas você optou por ser alguém desagradável e uma lembrança dolorosa. Hoje é o décimo primeiro dia, você vem e eu imerso em transparência, embora minha consciência esteja clara, limpa, feliz, o meu coração nada mais quer sentir e minha razão decididamente não quer mais ver você.



terça-feira, 9 de fevereiro de 2016

O Amor Acontece O Tempo Todo




Pega a sua felicidade e vai distribuir por aí, leva esse sorriso tranquilo pequena, segura firme, se te viraram a costa agradeça, você economizou tempo que seria desperdiçado com quem nasceu pra ser arrependimento. Descomprima seu coração e se preciso chore, não é vergonha admitir tristeza com os olhos. Há momentos que somos obrigados a desacelerar, a repensar decisões, a analisar sentimentos. É difícil, eu sei, essa espera pelo tempo é desesperadora. Essa guerra entre sentir e ter que esquecer é injusta quando outro lado insiste em brincar de te magoar. Mas tá tudo bem, tá tudo bem menina. O seu coração é forte, vive enfrentando tempestades que no fim não passam de garoas. O segredo é saber como encarar tanta decepção, fácil não é, mas escolha sempre ouvir o que diz o seu coração, enganos são comuns, impressões erradas, quem nunca?

Não pense, não se torture mais, não reviva a rejeição como se fosse culpa sua, você fez mais do que poderia por quem não conseguiu enxergar nada além do próprio umbigo. Chega moça, abra mão desses esforços que só te deixaram cansada, não há ali nenhum sinal de redenção que valha seu sofrimento. Se ainda assim deseja a qualquer custo lutar, lute por você. Encerre a questão, não vá atrás de respostas que só lhe causarão mais dor. Você concorda que quem ofende sem ter motivos merece o silêncio em vez de retaliação? Respire bem fundo essa dor e ignore. Em sua defesa ensino que errado foi esse alguém esquecer que quem tem teto de vidro não pode sair atirando pedras. Solte o ar. Dizem que o desprezo é o maior dos incômodos, saiba incomodar, transforme aquele sentimento bonito em aversão, não se preocupe, não há nada de errado em ignorar alguém. Não importa quanto otário seja pessoa e o quanto ela diga não se importar. Ninguém é dormente pra não sentir o desprezo. E desprezo meu bem independente de quem o sofre dói. E como dói.

Não lhe prometo tempo e esses clichês, na verdade superar alguém só depende de sua força de vontade em levantar dessa cama e ir encarar a vida. Do que adianta fechar o seu peito e ter o coração vazio? A primeira vista todo risco é ameaça, então quer saber? Se joga! Vai tentar pequena. Tente uma, duas, três e quantas vezes a oportunidade de ser feliz surgir. Odeio ver alguém partir seu coração, porque já estive desse lado, no entanto, afirmo com toque suave de felicidade e esperança que o amor minha doce criança,  o amor  acontece o tempo todo.