A Lunática

Minha foto
Belém, Pará, Brazil
Nutricionista. Canta por aí. Escreve sobre o que vë, ouve e imagina. Ela é aquariana, rapaz uma eterna colecionadoras de momentos e de pessoas. Inconstante e com uma personalidade gigante assim como o mar. A diferença é que ela vai, mas não volta.

quinta-feira, 22 de maio de 2014

Vamos Lá, Sorria! O Que Vai... Volta.

Só nos últimos cinco meses eu já morri umas quatro vezes
Ainda me restam três vidas pra gastar.


O tempo nos devolve o que nos tira. Nos dá oportunidades que um dia foram perdidas. Mentira quem diz que só existe uma chance. Palavras guardadas há tanto tempo esperando pela hora certa de serem devolvidas no mesmo tom, o tom de eu-não-me-importo-mais. O tempo atrai essa cena que pode demorar instantes ou eternidade.

Vamos lá, levanta dessa cama, você tá ai com esse nó na garganta, querendo desabafar, jogar tudo na cara daquele idiota que fez tudo o que disse que nunca ia fazer. Você manteve sua postura intacta, tentou uma vez, duas, até três vezes, mas não adiantou, ele nem te deu ouvidos. Se pensa em fugir tire essa idéia da cabeça e chorar também não vai adiantar, certo? Ok. Tudo bem. É necessário algumas noites de insônia pra realmente acreditar que tanta lágrima é só desperdício e apenas mancha o rosto lindo que você tem.

Entendo você dizer que os dias parecem mais meses se arrastando pra passar, cada hora é dolorida e mais dolorido ainda é a chegada do fim de tarde que marcava o começo das noites intermináveis que passaram juntos  e que agora transformaram-se somente no vazio de uma vida que você ainda se pergunta se fez sentido? Se fez tanto assim, te questiono por que o amor foi embora? 

Mesmo bolando estratégias mirabolantes para um reencontro onde você acha que irá fazer as pazes. Esqueça! Eu sei e acredite tentar decidir o que é certo quando ele ainda se mantém permanente na sua mente faz tudo parecer impossível. Pense apenas que já se passou duas semanas,  ele não te procurou e você não morreu. Aceite que de tudo dito por ele ao menos uma frase era verdade, a de que seguiria em frente. Aceite e fique forte. Prove que no fim das contas ele não conhecia a força que existe aí dentro de você.

Cabeça erguida, pés e joelhos firmes, sentidos em equilíbrio pra descobrir todos os defeitos e o restante das traições dele, afinal tudo que precisa é de mais de um motivo pra não querer pegar o maldito telefone e tentar diálogos cheio de desculpas e explicações. Minha cara isso não é responsabilidade sua.

Relaxa, prometo que quando tudo passar e você tiver se sentindo a dona dos seus sentimentos, pensamentos e vontades outra vez, é aí que ele vai voltar. Meio despercebido, tentando chamar sua atenção. Em vão. Vai voltar. Aposto que achará que tudo de bom em você se foi,  que te deixou machucada e que você irá correndo se ele pedir.

Reencontros acontecem em todos os lugares, em um bar, uma academia ou mesmo em um show lotado, não interessa. Ele irá querer conversar e dizer: “Nossa, você já parou pra pensar que vivemos tantas coisas legais?” 

Fique firme. Sorria, no ápice da Felicidade, responda distraída ao máximo: “O quê mesmo? Desculpa não estava prestando atenção e se me der licença tenho que ir. A gente se fala.” O ignore quanto tempo quiser, não se preocupe, esse mesmo tempo que tirou suas oportunidades irá se encarregar de colocar vocês frente a frente e pode ter certeza: Ele fará toda questão de ouvir - calado de preferência - o que você tinha pra falar naquele tempo.

Vai lá mulher!  É a sua vez. Pegue sua chance mesmo que você já o tenha esquecido, não importa. Não seja orgulhosa de não querer falar o que tinha pra falar. Finja que está escutando mentalmente sei lá, que tal Puro Êxtase do Barão Vermelho?  Vá a luta, prometo que a sensação de alivio a recompensará. Agora pode sorrir de tudo isso,  pode rir dele, de você, das situações embaraçosas, do seu sofrimento que até que enfim você concordou comigo que nunca fez sentido algum. Sorria. Isso mesmo. E dá próxima vez que passar por isso é só seguir o roteiro. Ou não.

Boa Garota! Se nenhum amor dura pra sempre, nenhuma dor também... Já dizia Frejat.

sábado, 17 de maio de 2014

Palavras de Um Futuro Bom

Inspirado na história de Thaiane Martins e Daniel Dressler




O amor da minha vida não teve hora certa, data marcada, nem local combinado pra chegar, foi do jeito clichê, sem roteiro, inesperado, sabe? Grupo de amigos incomuns – amigos loucos, os melhores do mundo – que nos fizeram aparecer juntos/separados pela primeira vez. Nada aconteceu como imaginei,  não teve aqueles fogos de artifícios mirabolantes, nem frio na barriga, nem o som de sinos dourados ou mesmo de John Mayer pra embalar o momento mágico. De verdade, nosso aperto de mão foi entrelaçado por uma implicância anormal, ele um super convencido, bonito, engraçado e popular demais. E eu, moça cheia de sorrisos e de um temperamento não muito fácil, recusando a acreditar que ele tinha qualquer conteúdo que pudesse se estender em um papo legal – o típico filme orgulho e preconceito, certo? Enquanto cantava mentalmente: “Eu não trocaria um sorvete de flocos por você”. ele covardemente impressionante puxava um violão, o som da música virou meu rosto involuntariamente, ele já esperava por isso, dedilhando Nos Seus Olhos do Nando Reis, sorriu de um jeito torto e dedicou a canção pra mim.

"Olhe nos meus olhos e diga o que você vê quando eles vêem que você me vê
Olho nos seus olhos e o que eu posso ler
Que eles ficam melhores quando eles me lêem
Meu Deus que homem forte que me contempla
Sou sua, mas eu não posso ser
Sou seu, mas ninguém pode saber
Amor eu te proíbo de não me querer.
Meu Deus que linda imagem me atormenta"

Minha mente rodava embaraçada com a situação,  não consegui esconder minha falta de coordenação, a segunda vista (ou segunda impressão) juro que vi uma luz diferente naqueles olhos verdes, o clima pesado dissipou feito fumaça quando pressionada em agradecer descobri que aquele moço tinha mais história pra contar do que as estrelas no céu.  Consegue imaginar duas pessoas em êxtase?

A cumplicidade da natureza naquele momento regado a luz da lua me fez entender enquanto seguia o caminho de volta pra casa que a sensação carregada comigo após uma noite mágica só poderia ser a sensação daquilo que não se descreve, pra ser mais especifica daquilo que as pessoas costumam chamar de amor. Quem já sentiu sabe do desespero ao qual estou me referindo.

A aparência de moço metido a galã de novela jamais fará jus ao que tem dentro de si. Quando você o conhece descobre a simplicidade de um coração terno e humano. Eu ainda sorrio abobalhada com cara de tonta, esse é o reflexo de uma felicidade infinita.  Ele torna todo meu mundo mais leve, me surpreende todos os dias, moço cheio de alegria que me faz sorrir de tudo, ele é silêncio e som que aconchega minha alma em dias em que perco a direção e teimo em querer desistir dos meus sonhos.

Não tem tempo ruim, não altera sua serenidade mesmo que eu esteja com raiva discutindo com os quatro elementos lançando raios em um copo descartável de café. No dia seguinte espalha bilhetes com trechos da música Nos Seus Olhos no abajur, no espelho do banheiro, na porta do guarda-roupa só pra lembrar: Me amava antes mesmo que eu soubesse. Pra me enlouquecer esconde meu laptop e finge escrever um texto contando a nossa história pra ensinar a outros casais a receita secreta da felicidade –  ele nunca passou da primeira linha.

Os defeitos? Um ciumento engraçado, não tem paciência pra esperar, não é fá da tecnologia, tem um chama e um charme pra mulheres bonitas (outras nem tanto). Quanto a isso não faço cena, é o meu braço que envolve o dele, olhando as moças que o admiram, me orgulho, elas dão a certeza que escolhi o cara certo.  Os defeitos são tantos, inúmeros, acreditem é o que mais amo nele, o fato dele ser natural, fugir da imagem do homem ideal que construí na minha mente e mantinha comigo até o predestinado dia.

Hoje, após um ano, se você me questionar se amar é mesmo tudo? Pra nós sim, não tivemos dúvida do que queríamos. Nós dois abrimos mãos de coisas importantes que precisavam ser abandonadas, o passado ficou no caminho, construímos a nossa história e não poderia ser mais bonita. Buscamos ser fugitivos da rotina e junto com nossos amigos compartilhamos divertidos momentos de descontração, eles são parte de nossas vidas. A felicidade de enfim ter nos encontrado só se compara a tudo que nós já vivemos juntos.  Ele me ofereceu algo precioso e único, sua voz, presente que me conquistou. Agradeço a Deus por aquele dia em que cruzamos nosso destino embora que de um jeito esquisito e sem tudo o que citei como os fogos de artificio mirabolantes e tal... rs!

Nossa sintonia é rara e todos os dias quando acordo ao seu lado sussurro bom dia seguido das eternas palavras de um futuro bom: Você é o amor da minha vida.


sexta-feira, 16 de maio de 2014

Esperava Mais de Você

Leitura por som de Lady Antebellum 

Eu fiquei esperando um motivo pra procurar às palavras, as teclas, a página em branco. O motivo incluiu a espera por retorno da chamada, por resposta da mensagem enviada, pelo som do seu caminhar em direção a mim. Sua ausência preencheu o silêncio. 

Deixei espaços demais. Toda a história envolvida por um ano consumiu minhas ações. Quando se há esperança o tempo se torna invisível, incontável. Eu senti cada vinda, cada ida, os olhares cruzados expondo meu coração, meus sentimentos, sua insegurança e indecisão. 

Você não foi o único, a indiferença estava em minhas mãos em cada bom dia, em cada olá e em todas as chances que você nunca sobriamente me deu. Mesmo assim foram as mãos que te seguraram. Naquele dia, ficou difícil respirar quando vi você partir pela segunda vez deixando nada além do fim. 

Eu espalhei as memórias em diferentes lugares onde jamais voltei. E, contudo eu estremeci em seu abraço quando você me reencontrou sem qualquer intenção de ficar. Todos os lados me ofereciam uma forma de fugir, mas permaneci lá, sem força alguma pra lutar. Seus braços sempre me pareceram o lugar perfeito pra se construir morada. 

Como todas as manhãs, sua ausência estava por toda parte. Não havia razões suficientes pra te segurar novamente, no final de um ano enlouquecido por nós dois não havia lugar pra mim. Eu parei de procurar explicações, esperar desculpas, arrumei o ínicio dentro da mala e então fui embora. Mas não sem antes olhar uma última vez pra tela do mesmo celular.

Poderia eu ter amado um pouco mais? 


domingo, 4 de maio de 2014

Quem é Você?


Não há uma boa noite para virar de costa e ir embora [...]



Com todos os carinhas errantes perdi o dom de acertar alguém que realmente abrisse os olhos e coração pra mim. Foram erros, atrás de erros, términos dolorosos e cervejas baratas que me faziam esquecer da minha má sorte com o amor. Entende? Eu vi você por alí, tinha o ar de garoto sonhador, mas não dei muita atenção porque a garota do seu lado parecia sonhar também. 

Eu fui embora tantas vezes e nas raras voltas ao mesmo lugar encontrava você, mas parece que a última vez se passou em um espaço de tempo maior, quantos anos então? Não havia mais nada, espera, a não ser o seu cabelo bagunçado e o seu jeito desarrumado tentando parecer ainda sonhador, mas sem nenhum resquício de esperança, a garota não estava presente e você nem ao menos percebia seu descontrole em manter suas mãos sempre ocupadas. 

Eu estava no lugar de sempre, a margem da sua vida, não quis admitir, mas na verdade, acho que sempre retornava aquele fim de tarde pra saber do estranho moço que pensei poder fazer mais feliz. Mas quem eu quero enganar afinal, não podia nem manter meus cortes fechados, como idealizava suturar as suas feridas que de longe sangravam. 

Um total desconhecido que jamais havia levantado a cabeça pra olhar a moça do outro lado. Eu vi você em passos apressados e fui atrás, minha impulsividade sobre os meus pés. Apenas era você e o seu sorriso. Era só você. Com todas as marcas, o coração em pedaços, os olhos sem vida e as mãos ocupadas. Nesse momento, eu poderia te levar comigo a qualquer lugar e colocar você em todas as canções que ouviria no futuro.

Quem é você? E me diz como segurou minha vida e o peso do meu passado condenado por histórias tortas e sem futuro. Quem é você? Que passou por mim como uma desconhecida e salvou de me consumir em mim mesmo. Tanta gente por aí, tantos erros, tantas pessoas espalhadas nas curvas do meu caminho, tantas pessoas que eu encontrei e só fizeram me perder mais, então quem é você? E por quanto tempo se perdeu de mim? Quem é você que me devolveu o tempo, o sorriso, o sol e saiu da minha vida com um simples se cuida sem deixar passos no chão e sem esperar que eu te contasse que esperava você aparecer em todas as raras vezes que voltava e sentava do outro lado, sem chamar atenção pedia uma cerveja suja e vagava sem destino pra ausência do seu olhar.