A Lunática

Minha foto
Belém, Pará, Brazil
Nutricionista. Canta por aí. Escreve sobre o que vë, ouve e imagina. Ela é aquariana, rapaz uma eterna colecionadoras de momentos e de pessoas. Inconstante e com uma personalidade gigante assim como o mar. A diferença é que ela vai, mas não volta.

sexta-feira, 16 de maio de 2014

Esperava Mais de Você

Leitura por som de Lady Antebellum 

Eu fiquei esperando um motivo pra procurar às palavras, as teclas, a página em branco. O motivo incluiu a espera por retorno da chamada, por resposta da mensagem enviada, pelo som do seu caminhar em direção a mim. Sua ausência preencheu o silêncio. 

Deixei espaços demais. Toda a história envolvida por um ano consumiu minhas ações. Quando se há esperança o tempo se torna invisível, incontável. Eu senti cada vinda, cada ida, os olhares cruzados expondo meu coração, meus sentimentos, sua insegurança e indecisão. 

Você não foi o único, a indiferença estava em minhas mãos em cada bom dia, em cada olá e em todas as chances que você nunca sobriamente me deu. Mesmo assim foram as mãos que te seguraram. Naquele dia, ficou difícil respirar quando vi você partir pela segunda vez deixando nada além do fim. 

Eu espalhei as memórias em diferentes lugares onde jamais voltei. E, contudo eu estremeci em seu abraço quando você me reencontrou sem qualquer intenção de ficar. Todos os lados me ofereciam uma forma de fugir, mas permaneci lá, sem força alguma pra lutar. Seus braços sempre me pareceram o lugar perfeito pra se construir morada. 

Como todas as manhãs, sua ausência estava por toda parte. Não havia razões suficientes pra te segurar novamente, no final de um ano enlouquecido por nós dois não havia lugar pra mim. Eu parei de procurar explicações, esperar desculpas, arrumei o ínicio dentro da mala e então fui embora. Mas não sem antes olhar uma última vez pra tela do mesmo celular.

Poderia eu ter amado um pouco mais?