A Lunática

Minha foto
Belém, Pará, Brazil
Nutricionista. Canta por aí. Escreve sobre o que vë, ouve e imagina. Ela é aquariana, rapaz uma eterna colecionadoras de momentos e de pessoas. Inconstante e com uma personalidade gigante assim como o mar. A diferença é que ela vai, mas não volta.

sexta-feira, 23 de março de 2012

Inspirado no Cheiro da sua Mão



Se a gente juntar com a pá migalhas e farelos, o pó e os cacos que sobraram de nós dois, acho que faz um inteiro. Será que não? E aí? Que tal? Vamos? Como soa dividir comigo essa existência idiotamente ridícula, morna, real, estúpida, bagaceira e imbecil? Vamos fazer diferente, como ninguém mais sabe fazer, só nós? Diz que vamos, vai.

Não? É tudo que preciso pra começar a te conquistar. Diz que não com os olhos cheios de esperança. Com duzentos "nãos" eu construo um castelo, uma roda gigante, uma cabaninha de lençol na sala, um altar, um amor, um sim bem grande. Com um sim entre você e eu, te roubo inteira e metade da felicidade do mundo.

Dá voltas e voltas e voltas na chave da tua emoção só pra eu me exibir que posso te desarmar, desarrumar sua vida e seus cabelos.  Embora eu não te ame ainda, mesmo o amor não existindo, diga não e me encoraje a pôr tudo à prova. Finge não me querer, disfarce o brilho no olhar, esconda o sorriso atrás dos cabelos, fique o tempo todo pensando no jeito infalível de ganhar o Oscar de melhor "tô nem aí".

Perfeito assim. Fosse sem esses enigmas, sem esses rodeios, sem esses movimentos, sem esses contrastes eu o rejeitaria como todos as outras. O convenço que os maiores amores se acertam nos erros, quando a loucura e a entrega vencem a resistência e o medo de alguma forma. Então, vamos? Pega na minha mão, entra no meu carro, sobe na minha garupa.  Te mostro o quanto dá pra amar no caminho.



Autor: Gabito Nunes


quinta-feira, 15 de março de 2012

O Caderno - Pe. Fábio de Melo


Eu não sei se você se recorda do seu primeiro caderno, eu me recordo do meu. Com ele eu aprendi muita coisa, foi nele que descobri que a experiência dos erros, ela é tão importante quanto à experiência dos acertos. Por que vistos de um jeito certo, os erros, eles nos preparam para nossas vitórias e conquistas futuras. Por que não há aprendizado na vida que não passe pela experiência dos erros.

Caderno é uma metáfora da vida, quando erros cometidos eram demais eu me recordo que nossa professora nos sugeria que a gente virasse a pagina, era um jeito interessante de descobrir a graça que há nos recomeços. Ao virar a pagina os erros cometidos deixavam de nos incomodar e a partir deles a gente seguia um pouco mais crescido;

O caderno nos ensina que erros não precisam ser fontes de castigos. Erros podem ser fontes de virtudes, na vida é a mesma coisa. O erro tem que esta a serviço do aprendizado, nenhum tem que ser fonte de culpas, de vergonhas. Nenhum ser humano pode ser verdadeiramente grande sem que seja capaz de reconhecer os erros que cometeu na vida.

Uma coisa é a gente se arrepender do que fez, outra coisa é a gente se sentir culpado. Culpas nos paralisam, arrependimentos não. Eles nos lançam pra frente, nos ajuda a corrigir os erros cometidos. Deus é semelhante a um caderno. Eles nos permite os erros pra que a gente aprenda pra fazer do jeito certo. Você tem errado muito? Não importa aceite de Deus esta nova pagina de vida que tem nome de hoje. Recorde-se das lições do seu primeiro caderno, quando os erros são demais vire a pagina!

O que está escrito em mim comigo ficará guardado se lhe dá prazer. A vida segue sempre em frente. O que se há de fazer... Só peço, a você um favor, se puder: Não me esqueça num canto qualquer.



domingo, 11 de março de 2012

Viver e Deixar Viver...*

Devia ter complicado menos
Trabalhado menos
Ter visto o sol se pôr
Devia ter me importado menos
Com problemas pequenos
Ter morrido de amor...
Queria ter aceitado
A vida como ela é
A cada um cabe alegrias
E a tristeza que vier...

Gostei muito de uma frase que acabei de ler: "Eu tenho tudo pra ser feliz". Na maioria das vezes não acreditamos em nosso poder de decidirmos ser felizes. Ficamos por aí alimentando o grande vazio de não ser como gostaríamos ou de não ter o que queríamos.

Enfim, vivemos dos "não" que a vida nos dá. Sustentamos vidas tediosas por que escolhemos que seria assim. Precisamos entender que enquanto umas histórias acabam, outras começam. E a vida vai tomando forma e sentido.

Nos prendemos a detalhes minúsculos, quando deveríamos pensar menos e ser mais felizes.

Não precisamos de nada para ser felizes, porque ser feliz é uma escolha. E viva a liberdade de escolhas!



Meu espírito é livre e minha vida é infinita de possibilidades, a minha história eu escrevo a próprio punho, não venha me dizer o que devo fazer, no meu mundo eu faço as regras e quem quiser ficar é só respeitar.

Não é ruim estar com o coração vazio, tem mais espaço para preencher com amigos e momentos especiais.

Sim. Eu decidi ser feliz!

Viver!
E não ter a vergonha
De ser feliz
Cantar e cantar e cantar
A beleza de ser
Um eterno aprendiz...



*Texto de Dheymia de Lima escrito especialmente para o blog Jeito Lunático
*Dheymia de Lima é proprietária dos blogs Acesse e Compartilhe e Caminhos¬Espaços_Fronteiras |