A Lunática

Minha foto
Belém, Pará, Brazil
Nutricionista. Canta por aí. Escreve sobre o que vë, ouve e imagina. Ela é aquariana, rapaz uma eterna colecionadoras de momentos e de pessoas. Inconstante e com uma personalidade gigante assim como o mar. A diferença é que ela vai, mas não volta.

domingo, 29 de maio de 2016

Vem De Uma Vez

"Mas é uma má dívida, morte certa 
Mas eu quero o que eu quero e eu tenho que conseguir..."



Tô esperando a tua decisão sem arrependimento, tua coragem pra vir, tua vontade pra começar, tua iniciativa em tentar, tua resposta pra avançar. O que te causa medo? É a porta escancarada? É essa facilidade de entrar sem fazer perguntas sobre as tuas intenções? Não se retraia meu bem, não ambiciono castelos, cavalos brancos ou príncipes encantados, a finalidade de um encontro nem toda vez é o pra sempre, existe o agora e esse tem sido o objetivo, então não pense, não sinta, não se apegue a preocupações dispensáveis. 

O que te impede? O receio de cometer erros? De arriscar? Chega de reflexões, vem viver, nunca desejei ser o certo pra você. O que parece ser engano não é. Vem, audácia você tem, eu sei, vejo nos seus olhos o desejo tão desperto quanto o meu. Admita que não consegue fugir, sussurra que embora você tente racionalizar a vontade do corpo fala mais alto. Não tem como se defender. Mais cedo ou mais tarde você vai perder, vai ceder, vai se render ao errado, ao veneno e vai pedir por mais e não há previsões para o depois, é desnecessário fazer do agora uma lembrança eterna, motivo número um pra aproveitar cada segundo do teu toque em minha pele. Esquece os achismos, perca o juízo, o tempo é teu, mas só peço que apresse os passos, fantasias se desfazem e dos sonhos todos acordam um dia, se você quer vir, tô esperando, vem sem planos, sem negações, sem interrogações. 

Vem solto do que lhe prende lá fora, aqui existiremos nós dois em uma madrugada inteira pra ser ou fingir. Você escolhe, eu te acompanho. Você desiste, eu te solto. Se ficar a gente troca o destino e um beijo longo. Cê topa desconhecer a saudade e fazer planos impossíveis no dia seguinte? A gente se desencontra e se reencontra sem hora marcada, se fizer sol, lua ou chuva te empresto abrigo e um abraço sem apertar os laços. Decifrar a epiderme é um jogo de sedução perigoso, se a afinidade for evidente melhor se render de uma vez. Volto a repetir: “De amor se foge, de paixão também, mas de pele nunca meu bem”.



quarta-feira, 18 de maio de 2016

Game Over


Hoje eu tô livre, leve e desapegado.



Amar, amar é fácil, quero ver mesmo é desamar. Puxar seu próprio tapete, levantar a mão e dar tchau para o carinha por quem você doaria seu rim e o seu coração. É minha amiga, sofrer não é pra qualquer um, a barra é de ferro e você não é tão forte. Não a ponto de ignorar seu celular sem ser traída por seus dedos. Pequenos detalhes que fazem a diferença. E esse papo de esqueci, tô melhor, vai passar e todas as frases positivas que negam sua dor são só conversa fiada quando ao final do dia é o travesseiro que aguenta seu choro. No entanto, pensa comigo, enquanto você sabota sua própria rotina o carinhalá de boa refazendo o caminho dele na maior paz e quietude, ignorando suas chamadas e mensagens de texto e o pior, te bloqueando no whatsapp. Eu sei, eu sei, é a tecnologia fodendo com o amor 24 horas por dia. É, mas será se talvez a gente não goste de um sofrimento de vez em quando? Talvez sem o "não" não haveria graça amar. Ser cem por cento feliz como em comerciais da coca-cola e de margarinas me parece perfeito demais e o perfeito além de não saber amar é entediante, incomodo, chato, sem graça e sem histórias pra contar. 

O fato é que gostamos de ser mulher, nos amamos por sermos imperfeitas, inconstantes, loucas, felizes do nosso jeitinho. Adoramos fazer parte do tal sexo frágil - frágil até pode ser, mas covarde não. Leva um tempo pra gente se entender, se aceitar, não é verdade? Você conhece alguém que não sofreu por amor? Toda mulher já pulou de um abismo e se afundou em um amor raso e desesperado, curtiu a fossa sozinha ou chamou os melhores amigos, preencheu seu tempo trabalhando como louca ou decidiu não trabalhar e ir comprar um pote de sorvete, cada uma com sua mania, tem gente que prefere ouvir música triste, relembrar momentos sem se importar com as olheiras do dia seguinte e tem gente que escolhe nem mais música ouvir pra justamente não relembrar e pra essas mulheres chorar não é opção. Palmas pra elas.

No fim, mulher sofre porque sabe que um dia vai acordar e chutar o balde, o pau da barraca, perceber que esgotaram os "se", que a garrafa de tequila acabou, que a ressaca passou, que os olhos inchados não combinam com a maquiagem, que o pagamento por amar demais foi quitado com direito a juros altíssimos e longas parcelas.  Querido, vai por mim, ela vai se decidir, dar um basta nessa frescura toda, excluir seu número, formatar a lista de contatos, ganhar uma promoção no trabalho, ficar mais bela a cada dia, eu poderia dizer que aí meu amigo seria o fim pra você, mas o fim do jogo começou no instante em que ela chutou o balde com você dentro voando da vida dela.

Sorria meu bem. Definitivamente você está livre pra curtir as mesmas noites que sua ex. A diferença é que ela não vai passar a noite de queixo caído por você, e eu com minha limitada sabedoria aposto que será o contrário, sabe como é mulher, não é? Tati Bernadi explicou bem: "Mulher costuma andar em círculos por um bom tempo, mas quando ela decide mudar de caminho, meu amigo aí sim é Game Over pra você e não vai adiantar pressionar reiniciar o jogo porque ou você joga sozinho ou encontra uma idiota inexperiente e de pensamento pequeno pra jogar com você"Mulher pode não ser forte, mas sabe jogar o nível mais difícil do desapego. Amar é fácil. Difícil é desamar. E ela é tão incrível que consegue fazer os dois.






domingo, 8 de maio de 2016

Daqui Até o Céu


Cada vez que essa data se aproxima o meu coração fica pequeno, as vezes menor que um amendoim. Demorei dias, meses e anos pra me recompor, pra aceitar e viver. Mas maio nunca passa despercebido. Um dia em 365 me fecho pra remexer naquela caixa empoeirada e lembrar dos teus olhos verdes e encantadores. Eu perco o ar pra sentir ainda que na mente o teu cheiro, o teu beijo, o teu toque. Eu volto ao começo pra me pegar sorrindo ao reviver por memórias o teu jeito distraído, charmoso e inusitado de me conquistar. Tinha vida demais em você. Tua luz me guiava e com 19 anos eu já tinha certeza absoluta de quem era os passos que queria seguir. Pra você a resposta sem ponderar era e será sempre sim. O mesmo sim pra aquele pedido de espera. Apenas mais uma viagem e então nós seriamos reencontro. Como tantas vezes fomos entre suas inúmeras chegadas e partidas. Jamais imaginaria que essa espera seria interminável. Se soubesse que havia naquela despedida um fim divino eu quem teria feito um pedido. Um pedido pra ficar. Porque não fez sentido algum implorar desesperada que voltasse. 

Naquela tarde, naquele acidente sob forte chuva você partiu. Perdi você às 16:43. Embora meu coração batesse, meus próprios sinais vitais desapareceram no momento em que soube do fim. A fatalidade me fez cair de joelhos em uma loucura profunda. A morte não havia apenas levado você, levou minha vida e a capacidade de amar também. Você não voltaria. Não me olharia. Não sorriria. Não mais me beijaria. Nunca mais por todos os anos que viriam. Eu morri com você, desacreditei de tudo por um longo e estranho tempo, superar, esquecer e aceitar não pareciam existir. Eram apenas palavras com definições que eu não conseguia colocar em prática.  Era o fim. Nosso fim. Como continuar sabendo que tudo acabou em menos de um segundo. E se houve  milésimos antes, você me viu?  Odeio esse dia. Não volto nele. Me desfiz das recordações do meu estado de choque. Nenhum sofrimento é tão insano quanto o da dor da perda de quem você ama. O vazio é imenso. O choro é infinito. Eu achei que nunca conseguiria e por isso já não falo sobre a tristeza infinita que foi pra mim não poder me despedir por morar em outra cidade, me recuso a falar sobre como foi pra mim não ter visto o rosto dele uma última vez. É profundamente angustiante e doloroso dizer em reza o adeus pra alguém com que você fez planos, alguém que ensinou o significado de amor verdadeiro, mas não viveu pra ser feliz ao seu lado. Por isso apaguei a parte da nossa história em que você me deixou. Minha dor jamais cessaria se contasse pra cada pessoa que conheci depois de você como eu tenho dificuldade com o luto. Dou a eles a cada pergunta uma resposta diferente sobre como nos perdemos. Eles nunca saberão que é por você que me dedico tanto, dia após dia naquele hospital.

Aceitei minha sentença de ser metade. E continuei por você. Foi pensando no que você esperaria de mim que lutei e luto todo dia pela vida. A mesma vida que corre lá fora. Eu sinto e vivo cada momento. Eu respiro. Sorrio e realizo nossos planos, a formatura tão prometida, o trabalho conquistado na área que em segredo eu confessei a você que havia escolhido. Eu sei. Você não está aqui de corpo, mas não significa que não está ao meu lado em espirito. O amor que nos une nunca, nunca, nunca terá fim. Amo você. Amo por toda minha vida. Daqui até o céu, lembra? Amo pela eternidade da espera do nosso reencontro. Você vive, vive em mim e em cada parte de alguém que tento buscar você. Ainda não existiu alguém que roubasse a metade de mim que te pertence por todos esses sete anos. E quando isso acontecer eu cumpro o que prometi, você será o primeiro a saber. Ainda assim sou eu agora quem te peço todas as noites: Mesmo que demore anos, mesmo que eu case e tenha filhos. Me espera aí em cima. Porque se hoje escrevo sobre minha maior escuridão é pra avisar o mundo inteiro que fiquei por um motivo: Quando chegar o fim de tudo pra mim eu reencontrarei você. Então estarei finalmente feliz. Minha alma enfim estará completa. E seremos nós novamente; E dessa vez será Pra sempre.