A Lunática

Minha foto
Belém, Pará, Brazil
Nutricionista. Canta por aí. Escreve sobre o que vë, ouve e imagina. Ela é aquariana, rapaz uma eterna colecionadoras de momentos e de pessoas. Inconstante e com uma personalidade gigante assim como o mar. A diferença é que ela vai, mas não volta.

domingo, 8 de maio de 2016

Daqui Até o Céu


Cada vez que essa data se aproxima o meu coração fica pequeno, as vezes menor que um amendoim. Demorei dias, meses e anos pra me recompor, pra aceitar e viver. Mas maio nunca passa despercebido. Um dia em 365 me fecho pra remexer naquela caixa empoeirada e lembrar dos teus olhos verdes e encantadores. Eu perco o ar pra sentir ainda que na mente o teu cheiro, o teu beijo, o teu toque. Eu volto ao começo pra me pegar sorrindo ao reviver por memórias o teu jeito distraído, charmoso e inusitado de me conquistar. Tinha vida demais em você. Tua luz me guiava e com 19 anos eu já tinha certeza absoluta de quem era os passos que queria seguir. Pra você a resposta sem ponderar era e será sempre sim. O mesmo sim pra aquele pedido de espera. Apenas mais uma viagem e então nós seriamos reencontro. Como tantas vezes fomos entre suas inúmeras chegadas e partidas. Jamais imaginaria que essa espera seria interminável. Se soubesse que havia naquela despedida um fim divino eu quem teria feito um pedido. Um pedido pra ficar. Porque não fez sentido algum implorar desesperada que voltasse. 

Naquela tarde, naquele acidente sob forte chuva você partiu. Perdi você às 16:43. Embora meu coração batesse, meus próprios sinais vitais desapareceram no momento em que soube do fim. A fatalidade me fez cair de joelhos em uma loucura profunda. A morte não havia apenas levado você, levou minha vida e a capacidade de amar também. Você não voltaria. Não me olharia. Não sorriria. Não mais me beijaria. Nunca mais por todos os anos que viriam. Eu morri com você, desacreditei de tudo por um longo e estranho tempo, superar, esquecer e aceitar não pareciam existir. Eram apenas palavras com definições que eu não conseguia colocar em prática.  Era o fim. Nosso fim. Como continuar sabendo que tudo acabou em menos de um segundo. E se houve  milésimos antes, você me viu?  Odeio esse dia. Não volto nele. Me desfiz das recordações do meu estado de choque. Nenhum sofrimento é tão insano quanto o da dor da perda de quem você ama. O vazio é imenso. O choro é infinito. Eu achei que nunca conseguiria e por isso já não falo sobre a tristeza infinita que foi pra mim não poder me despedir por morar em outra cidade, me recuso a falar sobre como foi pra mim não ter visto o rosto dele uma última vez. É profundamente angustiante e doloroso dizer em reza o adeus pra alguém com que você fez planos, alguém que ensinou o significado de amor verdadeiro, mas não viveu pra ser feliz ao seu lado. Por isso apaguei a parte da nossa história em que você me deixou. Minha dor jamais cessaria se contasse pra cada pessoa que conheci depois de você como eu tenho dificuldade com o luto. Dou a eles a cada pergunta uma resposta diferente sobre como nos perdemos. Eles nunca saberão que é por você que me dedico tanto, dia após dia naquele hospital.

Aceitei minha sentença de ser metade. E continuei por você. Foi pensando no que você esperaria de mim que lutei e luto todo dia pela vida. A mesma vida que corre lá fora. Eu sinto e vivo cada momento. Eu respiro. Sorrio e realizo nossos planos, a formatura tão prometida, o trabalho conquistado na área que em segredo eu confessei a você que havia escolhido. Eu sei. Você não está aqui de corpo, mas não significa que não está ao meu lado em espirito. O amor que nos une nunca, nunca, nunca terá fim. Amo você. Amo por toda minha vida. Daqui até o céu, lembra? Amo pela eternidade da espera do nosso reencontro. Você vive, vive em mim e em cada parte de alguém que tento buscar você. Ainda não existiu alguém que roubasse a metade de mim que te pertence por todos esses sete anos. E quando isso acontecer eu cumpro o que prometi, você será o primeiro a saber. Ainda assim sou eu agora quem te peço todas as noites: Mesmo que demore anos, mesmo que eu case e tenha filhos. Me espera aí em cima. Porque se hoje escrevo sobre minha maior escuridão é pra avisar o mundo inteiro que fiquei por um motivo: Quando chegar o fim de tudo pra mim eu reencontrarei você. Então estarei finalmente feliz. Minha alma enfim estará completa. E seremos nós novamente; E dessa vez será Pra sempre. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário

O Blog Jeito Lunático agradece seu comentário!