A Lunática

Minha foto
Belém, Pará, Brazil
Nutricionista. Canta por aí. Escreve sobre o que vë, ouve e imagina. Ela é aquariana, rapaz uma eterna colecionadoras de momentos e de pessoas. Inconstante e com uma personalidade gigante assim como o mar. A diferença é que ela vai, mas não volta.

quarta-feira, 29 de junho de 2016

Me Deixa Cuidar De Você Pequena




Não adianta pequena, você vai sofrer. Demora um pouco, horas incontáveis, dias arrastados, só depois de muita reclusão social é que você consegue entender que não houve erro seu. A culpa não foi sua. Você fez o máximo, talvez além, se doou por inteiro para completar alguém que era apenas metade  mesmo dizendo que te amava. Relaxa. Tá feito. Chore até o limite, é justo ficar quieta. É compreensível querer inebriar a alma e o coração. É permitido sentir dor e procurar morfina em bares. Faça o que tiver vontade e quando a consciência puxar sua orelha é chegada a hora de parar. Esse é o seu extremo. Acabou.  
Troque a tormenta por paz. Troque as lágrimas pelo sorriso nem que seja um riso sereno. Troque os comentários, as reclamações, os desabafos pelo silêncio. Troque as festas intensas por noites de filmes com pipocas ao lado de gente querida. Troque o celular por um bom livro. Dê ao tempo sua vida, se entregue a rotina, ocupe sua mente, planeje cada segundo do seu dia, escolha um sonho e batalhe. A felicidade está em inúmeros momentos.  Não apenas em alguém. Mas em realizações. E até naquele vinho que você descansavelmente toma enquanto escreve um texto. Destranque a porta, as janelas, deixe a luz entrar. Faça faxina desde a poeira aos lençóis. Troque o perfume, os móveis e as músicas. Encontre novos lugares para estar. A vida vai ficando mais fácil quando você decide evoluir. 
Tudo muda. Não se preocupe, as mudanças as vezes são involuntárias. Quando você perceber, em vez de se importar ou de esperar, você descobrirá que alguém que preenche cada noite com uma garota diferente talvez não seja tão feliz assim quanto aparenta ser. Talvez essa só seja uma forma de preencher o vazio do próprio coração. Acredite essa constatação matará lentamente aquele sentimento bonito e soprará aquela saudade que como uma nevoa se desfará. No entanto, ainda assim você não sentirá pena. Respire. Seu coração perdoará pequena, não tão rápido, quem sabe durante a viagem que você fará, é lá, de frente pro mar, na direção do sol que as feridas serão curadas e você então seguirá em frente. 
Há um hiato, a sua ausência, a sua falta que o consumirá no vazio do outro lado da cama, o seu colo já inexistente, o carinho e o cuidado terno fora de alcance. A conversa distraída sobre o dia-a-dia, os problemas, sobre os sonhos que a imaturidade não substituirá. Ele consegue anestesiar, mas quando tudo isso vir empacotado na saudade ele sentirá enfim a dor que você sentiu. Esse é o girar do mundo. Generosa como você é só desejará que ele se torne alguém melhor. Dito isso não olhará pra trás, em você não haverá indecisão, nem mágoa. A vantagem de deixar tudo pra trás é que o passado se congela em esquecimento na fraca memória humana. Sente a tranquilidade intensa? Sente o encaixar da vida? É o recomeço e não poderia ser mais lindo. Você está pronta. E ei? Não importa o tamanho do ferimento, da dor e do sofrimento. Olhe pra si e nunca esqueça quem você é. Você é incrivelmente forte. E simples pequena. Simples de coração.

quarta-feira, 8 de junho de 2016

Hoje Ela Só Quer Paz

“Triste coisa é querer bem a quem não sabe perdoar. 
Acho que sempre lhe amarei só que não lhe quero mais...”
[Legião Urbana – Álbum A Tempestade – Faixa 2]




Dócil menina. É boa em formalizar saudações e educada em demasia. É terrivelmente submissa em pedidos de desculpas que não lhe cabem. Humana menina. Acredita em corações benevolentes e arrependidos. O perdão é o ponto fraco de sua personalidade. Há nela traços de cuidado e carinho que consolam e curam feridas não realizada por suas mãos. Ela é incapaz de machucar alguém. Ingênua menina. Confia em segundas chances quando a corte de acusação tem provas e fatos que jamais deixarão absolver aquele que jura inocência com palavras atraentes. Sensível menina. Não conseguiu esconder as lágrimas, nem a tristeza, nem a mágoa ao descobrir que aquele que lhe era tão querido e amado não possuía nada em seu coração, esse pequeno órgão era figuradamente vazio, oco, vácuo, vago, buraco despreenchido da capacidade de desenvolver qualquer tipo de sentimento seja esse o amor, reciprocidade, quisá gratidão.

Corajosa menina. Arriscou a tranquilidade por acreditar que não seria machucada outra vez. Imperfeita menina. Reconhece o erro de defender a felicidade ao custo de suas relações. Erro que não admitirá ser novamente cometido. Lhe foi caro confessar que todos estavam certos: Uma vez ofensor, impiedoso, egoísta e egocêntrico sempre será assim. Não há desculpas para alguém que usa os sentimentos de outra pessoa quando lhe é conveniente por sua solidão e problemas que ao serem carregados sozinho tornam-se pesado demais. Isso é desumano. Inconstante menina. Usa a insanidade a seu favor para que ninguém consiga adivinhar seu próximo passo. Volta atrás em promessas quando confiam que ela as cumprirá. Cumpre promessas quando esperam que ela não o fará. A fascinação de ser improviso a desperta sempre que decide encerrar um ciclo. 

Forte menina, quando pensei que não aguentaria ver sua dor ela me surpreendeu. Sim, ela chorou até o corpo desistir de fazê-la parar. Ela encolheu-se na cama e lá se permitiu ficar por tanto tempo que não conseguiu contar. No entanto, provou a si mesmo que embora o coração estivesse estilhaçado sua mente a sustentaria diante dos desafios que chegaram de uma só vez. Determinada menina, pegou as palavras e lutou. No entanto, não teve dúvidas do não quando chegou a hora de dizê-lo. Sentiu alívio. Sentiu o ar. Sentiu o fim que chegou e ainda que com semblante cansado sentiu vontade de rir quando na manhã seguinte entendeu que a vantagem de viver tantas vezes esse filme é saber que no final estará tomando uma cerveja em boa companhia num bar qualquer. Gentil menina. O mal que a fizeram ela não deseja de volta, sabe que não é escolha, é a lei da vida, quem estraga a felicidade do outro é porque é infeliz. E isso é triste.

Menina maluca. Não há rotina ao seu lado, é sempre montanha russa de emoções. Você é definitivamente cabeça virada. E não vai mudar. Mas que saber? Nunca mude. O segredo das pessoas alegres e divertidas é serem excessivamente loucas! Minha menina, Teu sorriso ilumina os dias mais cinzas. Dores passam. Feridas cicatrizam. Mas você já sabe disso, não é? Então continue assim. Você é boa demais em curar corações. Agora é a hora de cuidar do seu. E quando tudo ficar insustentável, escreva. Escrever a salva. A mantém viva. A faz registrar histórias como essa e toda vez que reler saberá que embora dócil, humana, ingênua, sensível e gentil é também imperfeita, inconstante, forte, maluca e determinada. Tão determinada a ponto de não cometer a loucura de perdoar uma segunda vez.