A Lunática

Minha foto
Belém, Pará, Brazil
Nutricionista. Canta por aí. Escreve sobre o que vë, ouve e imagina. Ela é aquariana, rapaz uma eterna colecionadoras de momentos e de pessoas. Inconstante e com uma personalidade gigante assim como o mar. A diferença é que ela vai, mas não volta.

sábado, 15 de novembro de 2014

Talvez

Todo mundo diz que não existe ninguém mais apaixonado.


Talvez o tempo tenha parado. Talvez eu não tenha a sanidade pra definir a realidade do que um dia foi e nem de admitir que acabou. Talvez eu jamais perca o costume de diariamente checar minha caixa de e-mails pra ver se me surpreendo com alguma noticia sua. Talvez eu jamais deixe de lembrar que foi no fim de abril que nos conhecemos. Talvez eu jamais perca a esperança de tocar seu rosto novamente. Talvez em um futuro que agora parece nunca eu consiga ouvir sua voz mais uma vez ou ver o seu sorriso que tanto foi meu presente quando despertava ao seu lado. Talvez eu consiga parar de comparar todos os caras que conheço com a lembrança que quase já não tenho mais. Talvez quem sabe isso aconteça por não conseguir me desacostumar dos seus beijos e dos seus abraços. Ou talvez eu não perco esse medo de ficar sozinha porque ele existe pra esperar você.

Talvez eu seja apenas uma memória feliz sem registro fotográfico que com tempo deixou de existir na sua vida e isso é o que mais dói, a diferença é que essa dor é multiplicada pelos anos que chegam enquanto você vai mais longe. Talvez um dia eu deixe de procurar por sua sombra, nesse dia talvez eu aceite que minhas lágrimas não farão com que você volte e eu posso talvez tentar me acostumar com essa dor mesmo que talvez eu nunca deixe de reler seus e-mails antigos afirmando que me amou mais do que a si mesmo e nem deixe de dormir chorando sabendo que parei de contar os anos que estávamos juntos pra contar os anos que estamos separados. Talvez eu só precise aceitar e conviver que mesmo com todos os existentes "talvez" eu continuarei amando você por todos anos que ainda virão.  E só sinceramente espero que eu pare de falar e escrever sobre você. Ou que apenas talvez você leia o que escrevi.  

Sua.
Princesa.