A Lunática

Minha foto
Belém, Pará, Brazil
Nutricionista. Canta por aí. Escreve sobre o que vë, ouve e imagina. Ela é aquariana, rapaz uma eterna colecionadoras de momentos e de pessoas. Inconstante e com uma personalidade gigante assim como o mar. A diferença é que ela vai, mas não volta.

quarta-feira, 28 de setembro de 2016

Você Não Me Conhece


Vidros se quebram. Meu coração não mais. Todas as portas e janelas fechadas por você me apresentaram novas opções de fuga. Eu tive que aprender sozinha a suportar a solidão, a encarar o nada que me restou, a enfrentar as noites de insônia, a suportar os gritos na minha mente mesmo quando inconsciente. Todos aqueles pesadelos, reviver você como se ainda me pertencesse. Tive que lembrar como ficar em pé novamente depois de ter sido desestabilizada pelo fim das mentiras que contou. Você não chegaria nem perto se tentasse imaginar como foi recomeçar com tantos cortes. Eu quase enlouqueci com a dor da perda. Tive que acordar todos os dias com o vazio do lado esquerdo da cama, o silêncio na cozinha e em todos os espaços que você preencheu. Cada canto da casa foi testemunha da minha inércia. Parecia cedo demais pra esquecer. 

Cristais se quebram. Minha alma não mais. Não depois de me reconstruir. Não depois daquele leito de hospital se tornar o limite. Foi de lá que vi todos os que amo fecharem a porta depois que repeti que não precisava de ajuda. Sempre orgulhosa com os outros, mas nunca com você. Com você ou por você eu só sabia deixar meu orgulho no chão. Perdi a noção da diferença entre luta e humilhação. Quando dei conta que me tornei tudo que eu criticava naqueles que não conseguiam superar o fim de um relacionamento decidi me reencontrar. Sozinha. Porque o primeiro passo era me acostumar com minha própria companhia. Voltei pra casa e coloquei meu mundo no lugar. Cortei os cabelos, mudei a cor e a vida. Fiz do vermelho a cor do meu recomeço e apresentei um rosto diferente na manhã seguinte. Não contei o tempo, mas senti quando o inverno virou verão na luz do dia tão violeta. Quando o sol aqueceu meu coração fiquei em paz. Contei meus sonhos e segredos pra um estranho que disse que nada é impossível. Então voltei e larguei o passado na lata de lixo que o pertencia

Orgulho é como espelho. O seu finalmente quebrou. Mas você ainda é incapaz de compreender o que digo. Você supõe que vindo até aqui vai encontrar redenção, remissão, perdão? Vai encontrar a garota insegura, frágil ou hesitante que você deixou pra trás? Porque isso explica o cuidado com o qual você me procurou. Silêncio. Não há vestígios de algo que um dia foi amado por mim. Não há qualidades que poderiam ser novamente amadas. Você é uma caixa ambulante de defeitos e maldade. Você me faz rir com todo esse arrependimento e curiosidade sobre meus recentes laços afetivos. Você me deixou sem nada. No entanto, quem não tem mais nada também não tem medo, concorda? Você merece meu enorme obrigada. Essa força, essa consciência do que mereço e de quem sou, essa segurança e firmeza no olhar e nas palavras, tudo isso foi graças a loucura e o caos que você me fez enfrentar. Meu lado sombrio foi assustador, mas aprendi a brincar com meus próprios monstros noturnos. Não foi apenas sobrevivência. Foi prosperidade. Mas você só vai conseguir entender minha verdadeira felicidade quando deixar de achar que meus sentimentos são seus. Você pergunta o que pode fazer por mim ou por nós. Você não me conhece, então que tal desaparecer? 



Nenhum comentário:

Postar um comentário

O Blog Jeito Lunático agradece seu comentário!