A Lunática

Minha foto
Belém, Pará, Brazil
Nutricionista. Canta por aí. Escreve sobre o que vë, ouve e imagina. Ela é aquariana, rapaz uma eterna colecionadoras de momentos e de pessoas. Inconstante e com uma personalidade gigante assim como o mar. A diferença é que ela vai, mas não volta.

sábado, 19 de novembro de 2016

Um Outro Alguém


Amor.
Amizade.
Paixão.
Amizade.
Atração.
Amizade.

Não me da um ultimato desses esperando uma resposta sincera. Vou enrolar. Ou dizer qualquer coisa sem significado especial só pra não ter que machucar você. Não quero machucar você. Não tenho como responder porque a verdade é que não sei mais de nada desde que você atravessou o meu caminho e fez da minha vida essa bagunça enorme e essa confusão imensurável que não me permitem um raciocínio lógico sobre dois sentimentos que não posso escolher. Nem admitir. Então mudo o assunto, troco o disco, disfarço as evidências e repito a historinha de que não quero me envolver. Não com você. Nego qualquer acusação. Me faço de segura pra esconder o medo de te perder pra uma saudade que não é sua. 

Me desculpe. Somos um erro, você não vê? Um erro do qual não consigo me desfazer porque ao seu lado tudo parece tão certo, as horas nos deixam a vontade, o tempo se encaixa na conversa, nos risos, na cumplicidade e nas confidências que sem a nossa amizade seria impossível viver. Não posso perder nossa amizade pra atração. Não posso transformar essa amizade em paixão. No entanto, quando te beijo sinto que já não posso abandonar você. Então te peço. Não me diz mais sim. Não me deixa convencer você com minha carência e meus pedidos na madrugada. Não me ajuda a colocar na nossa conta de culpa o silêncio que fica entre a gente na manhã seguinte. Não complica a minha indecisão com esse cuidado e esse abraço que ajudam a dividir meus problemas com você. 

Eu me proíbo de te querer. Eu digo não. Mas chega a ser um não tão baixinho que não convenço nem a mim mesma. E quando me vejo já estou lá te pedindo outra vez e ouvindo você me perguntar o que eu realmente quero. Se ao menos você soubesse que ele tá aqui mesmo sem estar. Tá na voz que me acalma do outro lado do celular. Tá nesse desejo que já conheço tão bem. Tá nessa reviravolta de sentir e não mais sentir. Ele me tem sem ter porque ele é o quero. Mas não posso dizer. Porque você é a dúvida no meio da minha certeza que embora eu tente explicar você não vai compreender. Não vai entender como alguém que sempre te contou tudo tem escondido a verdade. Não me da um ultimato desses esperando uma resposta sincera porque preciso da nossa amizade pra me sustentar quando ele me fizer arrepender de não ter dito quando tive chance. Eu me apaixonei por você. 



Nenhum comentário:

Postar um comentário

O Blog Jeito Lunático agradece seu comentário!