A Lunática

Minha foto
Belém, Pará, Brazil
Nutricionista. Canta por aí. Escreve sobre o que vë, ouve e imagina. Ela é aquariana, rapaz uma eterna colecionadoras de momentos e de pessoas. Inconstante e com uma personalidade gigante assim como o mar. A diferença é que ela vai, mas não volta.

domingo, 20 de novembro de 2016

Desculpe, Eu Pensei Que Fosse Amor



Desculpe, eu pensei que fosse amor. Mas não é. Tudo bem, não se sinta mal, por um longo tempo acreditei mesmo nisso, dei o sangue e o suor por essa relação, mas confesso nunca dei a alma, pelo que li e ouvi, amor que é amor é mais do que uma convivência enlaçada pela frase "eu te amo". Amor é se reconhecer em alguém ao primeiro toque, é dividir, doar, trocar, sentir a alma do outro. Nesse ponto você concorda, não é? Nós dois nunca vivemos essa mágica. Eu te vi e quis, assim começamos aquela paixão. O desejo nos uniu, não o amor. Você pode definir o que vivemos como quiser: Carência, costume ou destino de momento. Pode se quiser colocar a culpa em falta de opção, em falta do que fazer, em mal entendido só não tenta, por favor não tenta me convencer de que estou equivocada e que minhas conclusões são devaneios de alguém sem coração. Meu coração sabe melhor do que qualquer órgão que nosso prazo venceu baby.

Não posso desfazer o passado, já cometi o erro, a burrice de tomar decisões pela insegurança de ficar só. Você precisa parar de me olhar assim, de procurar em mim aquilo que não existe e nunca existiu. Só assim vai conseguir enxergar que jamais me entreguei totalmente, que sempre estive me esquivando das decisões sérias e dos planos futuro. Me desculpe se pra você é amor, odeio ser a garota que não obteve sucesso em corresponder a tantas expectativas. Me desculpe a falta de tato e a desconsideração é que preciso dessa frieza no olhar pra arrumar a coragem necessária pra deixar alguém tão bacana como você. Não é amor, mas isso não quer dizer que não desenvolvi sentimentos. Aliás essa pequena parte de mim te fez feliz a ponto de você sentir amor, não foi? Mas vai por mim, ainda não é, sabe? De verdade, quando for você vai saber e vai entender o porque de eu estar escancarando o jogo e largando no seu colo todo esse desapego.

Anota aí:  Quando ela chegar os dois serão dignos um do outro. E não, não adianta abrir a boca pra tentar argumentar. Não há mais o que dizer. Nem o que salvar. Eu realmente preciso ir. Assim. Sem volta. Sem dar esperanças. Sem promessas. Medo do que os outros vão falar? Você me conhece, nunca me importei. Medo de decepcionar você? Isso já não me prende mais. O direito de amar e ser feliz é de todos e eu me desprendo desse relacionamento me devolvendo esse direito. Não se culpe, pense que filha da puta eu seria se ainda continuasse ao seu lado envolvendo você nessa farsa insustentável sentindo o insuficiente. Então não se reprima, coragem homem, vai, pode jogar toda a culpar em mim se isso for o que precisa pra conseguir seguir em frente. Siga em frente. Só não esqueça que foi olhando em seus olhos que eu disse adeus da forma mais cruel admito. Mas mais sincera impossível meu bem.