A Lunática

Minha foto
Belém, Pará, Brazil
Nutricionista. Canta por aí. Escreve sobre o que vë, ouve e imagina. Ela é aquariana, rapaz uma eterna colecionadoras de momentos e de pessoas. Inconstante e com uma personalidade gigante assim como o mar. A diferença é que ela vai, mas não volta.

quinta-feira, 5 de junho de 2014

Abraço de Pai

E não me perguntou nem por onde eu andei
Dos bem que eu gastei mais nada me restou
Mas olhando em meus olhos somente me amou
E ao me beijar, me acolheu num abraço de Pai


Será se durante nossa vida podemos olhar pra trás e ter a certeza de que fomos felizes em todos os momentos? A resposta certa é não, claro, pois quando olhamos pra trás vemos nossos erros, lembramos das escolhas erradas, das consequências que essas escolhas tiveram na nossa vida. Nessa hora percebemos o quanto fracos, impulsivos e inconstantes somos, além de injustos em pré-julgar e julgar o próximo, aquele que conhecemos e os quais nunca tivemos contato. Mas isso não é ruim. Quando admitimos nossos erros aprendemos a identifica-los e não repeti-los, certo? 

Durante nossa passagem na vida aprendemos o que é bom, o que é mau, o que nos faz bem e o que nos faz mal. Sabemos através do senso comum sobre o certo e o errado, mas aprender não é sinônimo de colocar em prática, as vezes dizer sim em um momento não significa que você fará o que prometeu, concorda? Eu particularmente acredito no que dizem: Nossas ações, a forma como lidamos com o outro, as palavras que proferimos, as atitudes que tomamos em todas as horas do dia, tudo pode atrair positividade ou negatividade em nossa vida, em nossa consciência. 

É fato que quando ajudamos alguém, ou perdoamos de coração deitamos mais felizes, mais leves parece que no céu Deus sorrir satisfeito e orgulhoso por nossa conduta. Em contrário, quando ferimos alguém, não damos o perdão aquele a quem pediu, machucamos e humilhamos um ser humano ficamos inquietos e com o consciente e creio que até o inconsciente pesado. Quando você vai a igreja, o que você conversa com Deus? Primeiro você agradece o dom da vida, a sua saúde de sua família e as bênçãos concedidas; Segundo, você inicia suas preces particulares, e agora eu te pergunto? Em sua reflexão sobre si, sobre suas ações, você tem dado a Deus motivos de alegria ou tristeza? Lembre-se que não importa o tamanho da sua culpa, confesse a Deus suas fraquezas. Conte das vezes que você se sentiu perdido, vazio, estranho, pequeno.

Ouça teu coração, ouça o silêncio, reze não até que Deus possa ouvi-lo, mas até que você possa ouvir a Deus. Conte seus erros, admita suas falhas, seja o que você é, um humano, rasgue suas feridas e peça pra Ele curar suas dores. Ao sair de lá, acredite em você, na sua coragem de mudar, de praticar o bem, Pe. Fábio de Melo dizia ontem no programa Direção Espiritual que a cura espiritual é gradual, é como sair a noite de casa em meio a escuridão e caminhar em direção ao dia. Tenha  paciência, logo amanhecerá em sua vida. Deus é amor. É compaixão. E você precisa ter fé. Uma fé que transborde lágrimas ao conversar com Deus. É preciso abrir o coração. É preciso amar. Amar você, o próximo e o desconhecido. É preciso sentir esse amor. Mas antes é preciso saber que o amor verdadeiro necessita de obras, da prática, não é dizer apenas um sim, é dizer um sim e praticar, mudar aquilo que não acrescenta positividade em seu coração. 

Seja humilde, a humildade é pensar e agir segundo o coração, faça o bem, abrace aquele que precisa de um abraço, ouça a experiência dos mais velhos, respeite opiniões, faça doações, preste serviços a comunidade, ajude quem precisa, seja de roupas, de um simples copos de água, de uma palavra atenciosa ou qualquer outra necessidade.  Evite denegrir a imagem do próximo, se não podes modificá-lo, modifique a forma como o vê. Evite tudo aquilo que não deixará sua consciência leve. Tenha atitudes que deixaria o Senhor orgulhoso, pois ele é seu Pai. O papai do céu do qual sua mãe falava quando você era criança. 

Você já se pegou pensando no sofrimento e no amor de Deus ao ter que entregar seu filho e vê-lo ser crucificado? Você já pensou no sofrimento e no tamanho do amor de Jesus ao aceitar passar por todo aquele processo doloroso, deixando ser chagado apenas por sua causa, pra salvar você, por amor a você? Você já pensou no sofrimento e amor de Maria como Mãe ao ver seu filho ensanguentado, pregado em uma cruz, mas Ela aceitou a vontade de Deus, sabia que tudo era preciso, pois seu filho viera ao mundo salvar a humanidade, dar a chance a você de ser salvo. 

Foi por você, sinta-se amado, sinta-se querido, sinta esse amor.  Acredite, tenha fé. Reconheça esse amor infinito, incomparável,  compreenda o amor de Deus. De Jesus. De Maria. Eles acreditam em você, mesmo com todas as tuas escolhas erradas do passado. Ele acredita em você e dá a você todos os dias quando amanhece a chance de fazer as escolhas certas.  Se entregue a esse amor, ouça o que Ele tem a te dizer, experimente deixar ser amado por Deus, por Jesus e a nossa Mãe Maria. Você nunca mais precisará mendigar qualquer outro tipo de amor. Ele transformará você no melhor que você pode ser e será para sempre e todo sempre.


Acenda a luz e deixe brilhar
Se ame pra que eu possa te amar.