A Lunática

Minha foto
Belém, Pará, Brazil
Nutricionista. Canta por aí. Escreve sobre o que vë, ouve e imagina. Ela é aquariana, rapaz uma eterna colecionadoras de momentos e de pessoas. Inconstante e com uma personalidade gigante assim como o mar. A diferença é que ela vai, mas não volta.

terça-feira, 22 de janeiro de 2013

Jogo. Do Amor?

Sendo vencida pela realidade. É como naquela brincadeira "Queda de Braço". O Medo usa toda sua força de um lado e a Coragem igualmente do outro. A coragem fecha os olhos por saber que irá perder, mas nessa brincadeira não há regras, observando de perto ela não fecha os olhos admitindo derrota, fecha os olhos apenas pra pedir reforço a Realidade.

Não há truques, nem disfarces, nem teatro, não há nada que engane, não há enganos aqui. A realidade esclarece dúvidas e joga os sentimentos na  mesa como cartas desembaralhadas, então junta-se com a coragem pra lutar novamente, não com medo, esse já foi vencido, agora o confronto é entre a realidade e o admitir. E admitir sentimentos tem seu preço, sua consequência, além disso, é quase raro um final feliz pra um sentimento unilateral. Mas está aqui, em algum lugar. Na saudade. Sendo ela verdadeira ou  não. Sendo ela admitida ou não. Sendo ela ensaiada ou não. O outro lado teima em aparecer, devagar, quase como uma confusão sobre o que quer e o que não pode. 

Então aceito ser vencida pela realidade. Mas nunca pelo admitir. A realidade vence e eu pego as cartas. O admitir não, jamais darei trunfos tão facilmente. Aceito a realidade. Ela é tão honesta que espelha a brincadeira. E o que vejo no reflexo? É apenas você e eu. Empatados nesse jogo. Pelo visto ninguém vai ceder.