A Lunática

Minha foto
Belém, Pará, Brazil
Nutricionista. Canta por aí. Escreve sobre o que vë, ouve e imagina. Ela é aquariana, rapaz uma eterna colecionadoras de momentos e de pessoas. Inconstante e com uma personalidade gigante assim como o mar. A diferença é que ela vai, mas não volta.

domingo, 11 de dezembro de 2016

Acabou Meu Bem



Acabou meu bem. Você tá ameaçando minha tranquilidade aparecendo no meio de uma história que não é sua. Ouvindo sobre alguém que não é você. Você tá me confundindo parado aí enquanto falo repetidas vezes que você precisa ir. Sério. Não tem nada aqui. E não, não é por proteção ou segurança. É escolha mesmo. Preciso de um tempo entre meus planos e eu. São tantos planos. Você não cabe, não tem espaço, nem uma beirinha como você tem pedido. Eu aplaudo seus esforços, é bonito de ver. Pra sua alegria e informação, sim, eu cogitei a ideia de deixar você permanecer, porém não era o certo a fazer. Eu adoro suas ligações no meio da noite, aquelas que me acordam e as que me mantem distraída por horas longas de conversas em tardes estressantes de trabalho. Você nunca fica entediado com meu sonho de montar uma banda, largar tudo e rodar o Brasil. Mas acabou meu bem. Não é legal deixar alguém por aqui por conveniência, por ego, por distração ou apenas pra ocupar um cantinho que ficou vago recentemente.

Por aqui tá de boa, coração que anda bem é melhor não ocupar, já ouviu essa frase? Não precisa se preocupar, não vou surtar, mas também não vou te agarrar como uma oportunidade de esquecer quem acabou de passar. Embora tenha sido inconsciente e quase invisível aos meus olhos, a tentativa de esquecer alguém com outra pessoa, cá pra nós, não deu muito certo. Então vamos com calma. Não é pra sempre. Nada é pra sempre. E também se você tem toda essa vontade aí de me fazer feliz e sei lá mais o quê, você consegue esperar, não é? Prometo nem demorar. Só não fica preso e nem fecha esse teu coração, coração aberto serve pra ambas situações: Deixar ir e Deixar chegar. Eu agradeço se me deixar escolher o tempo pra fazer as duas coisas. É uma fase de caneta e papel em branco que combina bem com esse contagem regressiva para o novo ano e eu tô tão animada com as possibilidades de me reinventar. 

Ei? Não vou esquecer o quanto cê me fez rir dos desencontros. Cê fez aquele drink engraçado com gosto de chá gelado que curou minha ressaca moral. Cê me deixou te apresentar a tequila com o ritual sal, limão e depois cerveja que eu sei, você também não vai esquecer. Cê me ouviu falar do mesmo assunto por dias, ouviu minha raiva, a decepção e conseguiu controlar minhas emoções dizendo "Respira fundo, finge que é 7:30 e começa tudo de novo". Eu sei, tenho sorte pra ca-ra-leo de você ter atravessado a tal da história que nem era sua. Tenho sorte por sempre me atender mesmo quando não é pra falar de nós ou de você. Eu já me endividei inteira contigo, cê faz tanta coisa bacana por mim que espero poder retribuir com um valor tão alto que zere nossas contas, mas que te faça nunca sair de perto. Fique perto. Eu sei, acabou meu bem. No entanto, se puder, me espera. Eu vou ali rapidinho colocar as ideias, o coração, o sentimento e a alma no lugar. Vou ali guardar a saudade e uma carta na caixa do destino pra ninguém encontrar. Por agora, acabou meu bem. Quando sair bate a porta, mas não esquece que qualquer hora eu volto pra te buscar