A Lunática

Minha foto
Belém, Pará, Brazil
Nutricionista. Canta por aí. Escreve sobre o que vë, ouve e imagina. Ela é aquariana, rapaz uma eterna colecionadoras de momentos e de pessoas. Inconstante e com uma personalidade gigante assim como o mar. A diferença é que ela vai, mas não volta.

domingo, 24 de abril de 2016

O Aquário Que Nela Há




Ela carrega nos olhos o peso que poucos carregam nos ombros. Tem a generosidade de roubar a dor alheia pra dividir otimismo. Não importa quão seja difícil a situação ela tem o dom de mostrar o outro lado. Do lado dela ainda não vivi tempo ruim. Vai ver que é porque ela tem a alma leve ainda que seja louca, problemática, virada nos setenta e um tadinha. É maluquinha de pedra, mal conhece você e já te arrasta pra multidão, aí é só apertar os cintos, fechar os olhos e ir sem medo. Ela fará você passar por todas as sensações que se deseja testar em duzentos e vinte volts. Você aprenderá amá-la tão rápido quanto aquela estrela cadente que ela mostrou e você não viu. Você aprenderá a acreditar nela quando ela contar que o impossível é o seu mais antigo vício. É por isso que insistentemente ela joga seus desejos ao vento crendo que tudo ao redor conspira a favor. Como é mesmo aquele lema bonito que ela vive repetindo por aí? “Um dia acontece”. E com ela acontece mesmo. Ela tem o que precisa pra vencer na vida. Enquanto uns procuram o segredo da felicidade ela sorrir e agradece baixinho uma fé sem tamanho e sem medida que nunca, nunca perdeu. Essa fé a ensinou que o destino ao contrário do que os outros acreditam não está nas mãos, mas sim nos pés. 

Como toda bipolar assumida tem um lado forte, meio abusada, se provocar mete a mão na cara, desaforo de moço embriagado ela não leva pra casa. Essa guria é armada por um tempo de chuva em seus olhos e protegida pelo raciocínio do que não pode e nem deve sentir. Uns confundem com indiferença, mas vai por mim, em baixo dessa casca de gelo ela é doce, é miudinha, é construída de areia, desmancha-se facinho. Essa roupagem é só um cobertor que ela joga fora toda noite pra sentir tudo de uma vez. A diferença é que ela prefere sentir dores e decepções no colo do seu travesseiro tendo como única companhia o silêncio das vozes em sua mente. O que não pode falar pros outros admite com dificuldade pra si. Confiança é pra poucos meu bem. Sutilmente desaparece um pouco ali, depois aqui até sumir de uma vez, sente-se melhor dando de ombros do que expondo um sorriso que não é seu e ela geralmente não faz questão de possuir o que não lhe pertence. Abre as mãos e deixa voar. Se não for pra somar é melhor que vá. Um segredo sobre ela? A deixe ir quando ela persistir na invisibilidade. Não a sufoque. Ela sente nas veias o livre arbítrio de apenas na manhã seguinte deixar pra lá o que não pode resolver.

Ela consegue sozinha, não se preocupe, aquela lua cheia de fases lá fora é quem recarrega as energias quando o mundo dela se fecha em escuridão. Dias depois veste o aquário que lhe pertence por natureza e data de nascimento, confere as cicatrizes e volta renovada. Seu signo é sua cura. Sua identidade. Nada a prende. Muito menos a tristeza. A liberdade que ela preza ela doa aos outros. A alma dela necessita apenas do que lhe causa um bem danado, caso contrário, faz faxina, arrumação, limpeza pesada, joga tudo fora e preenche os espaços novamente. Tem positividade demais dentro dela, por isso se espalha por todo canto, degrau e porta aberta. Entre os defeitos e qualidades que fazem parte da sua personalidade tenho maior orgulho desse aquário que nela habita. Ela é uma menina de nobre coração. Tão nobre quanto sua força de vontade de acreditar no velho vicio de que nada é impossível. "Nada é impossível pra nós".


Nenhum comentário:

Postar um comentário

O Blog Jeito Lunático agradece seu comentário!