A Lunática

Minha foto
Belém, Pará, Brazil
Nutricionista. Canta por aí. Escreve sobre o que vë, ouve e imagina. Ela é aquariana, rapaz uma eterna colecionadoras de momentos e de pessoas. Inconstante e com uma personalidade gigante assim como o mar. A diferença é que ela vai, mas não volta.

sábado, 17 de agosto de 2013

Caras como Eles

Uma Homenagem ao escritor Gabito Nunes
e a banda Los Hermanos


A combinação de Los Hermanos e Gabito me permite sentir a felicidade através de artes simples e inexplicáveis. 

 Gabito escreve minha alma em linhas cada vez mais devoráveis toda vez que surge um novo texto! De onde vem a calma? De onde surge a inspiração? Parece que ele acompanha minhas tristezas, alegrias, fúrias e surtos mais perto de mim do que eu mesma me permito estar. Gabito arquiteta meus sonhos mais divertidos, mais loucos, mais impossíveis e melancólicos. Neles sorrio, pulo, torço e choro, tudo ao mesmo tempo! Incrível sensação de se prender em [nas] palavras! Me diga! Quem nunca sonhou em ser a Juliete? Quem nunca imaginou conhecer um confuso e romântico-não-declarado Santiago? Gabito faz isso! Faz a gente se perder em devaneios enquanto caminhamos perdidamente pela leitura fascinante de seus textos. Fragmentos identificáveis que gostaríamos de falar, gritar, berrar, sussurrar cheios de vivacidade e timidez. É fácil de responder quando aos 50 anos me perguntarem qual o Escritor que fez toda a diferença pra mim? - Aquele minha cara, que ensinou que não importa o que aconteça. O amanhã seguinte sempre chega!

Pra nós todo amor do mundo! Pra eles o outro lado. E o Los Hermanos vira, revira as minhas mudanças de humor. Pra cada toque do destino uma música. Entre A Outra, Morena, O Vento, Tá Bom, A Flor, Cara Estranho e a clássica Sentimental eu embarco de corpo e alma. Fecho os olhos e ali estou mais uma vez, não escrita, mas cantada. Esperando por um Último Romance ao lado da voz singular do Camelo que me pergunta repetidamente "Quem é mais sentimental que eu?" - Não sei Camelo, não sei...  Mas me conceda esse espaço entre o jornal e a fila do pão só pra que todo mundo saiba que eu definitivamente te encontrei! E é estendendo os braços pro futuro que esqueço minhas emoções negativas. É aqui com toda essa gente me olhando, minhas pernas tremendo e a voz embargando que canto bem alto o que você me falou: "Você me falou pr'eu não me preocupar! Ter fé e ver coragem no amor!" E pode apostar! Do nosso amor a gente é que sabe, pequeno.

Se chover demais...
Pode deixar a gente vai saber e sorrir só de encontrar o que já faz parte de nós.
Como fiz quando ouvi Los Hermanos e li os textos de Gabito pela primeira vez.