A Lunática

Minha foto
Belém, Pará, Brazil
Nutricionista. Canta por aí. Escreve sobre o que vë, ouve e imagina. Ela é aquariana, rapaz uma eterna colecionadoras de momentos e de pessoas. Inconstante e com uma personalidade gigante assim como o mar. A diferença é que ela vai, mas não volta.

segunda-feira, 13 de abril de 2015

Sobre Tudo Que Ainda Tenho Pra Dizer



E tem sensações que só você pode se permitir sentir. Quem disse que não se pode voltar atrás? Eu voltei. O que precisava ser esclarecido. Foi. O que precisava ter sido feito. Feito. Segundas chances são raras e não devem ser desperdiçadas. Eu tive três. Bem mais do que pedi. De amor se foge. De paixão também. Esses sentimentos você ainda pode controlar com a mente.  Mas o desejo não. Não se consegue fugir de desejo. É corpo. É pele. Quando não se pode desenvolver apego pelo que não lhe pertence é melhor deixar apenas por conta do desejo. Isso basta. 

Se me pedissem uma palavra pra defini-lo seria Intimidador. Ele tem algo, algo que me faz confiar e ao mesmo tempo me intimida. Com ele nunca consigo ser eu mesma. Ele sempre está um passo a minha frente. Fui acostumada a ser quem surpreende, dificilmente sou surpreendida. Ele faz isso. Eu quem tenho comigo tudo que preciso dizer, com ele fico sem palavras. Eu, a garota que sempre deixa os outros sem jeito, com ele fico totalmente embaraçada. Ele me encanta por não ser previsível. Nunca sei o que esperar. Quando penso que se foi, ele aparece. Do nada. Isso  me faz sorrir. 

Sou do time dos que não confiam em palavras. Acredito apenas em ações. As ações demonstram suas intenções. E as minhas definitivamente eram perversas. Eu não me contentaria com pouco. Dessa vez eu não diria não. Não adiaria isso por nada. Só deixaria rolar. Ele acertou no tempo. Fez como deveria ter sido a primeira vez. Usou meu ponto fraco: Atitudes. Me passou a confiança necessária pra me fazer querer aquilo mais que tudo. Eu quis. E não mudaria nada. As sensações que ele me causou foram as melhores. Foram intensas, muito intensas. Tudo que aconteceu foi incrivelmente bom. Muito bom. Se fosse permitido eu me viciaria em cada parte do seu corpo. Não houve braços os quais eu desejasse tanto quanto os dele.

Mas sou racional demais. Jamais confundiria o lado do qual eu jogo. Mesmo que o meu inconsciente tenha esperado algo mais como descansar minha cabeça no seu peito ou receber uns últimos beijos carinhosos. Ok, isso não é nada demais. Não se pode ter tudo de uma vez. É apenas uma simples observação que não faz com que eu me arrependa de nada. No fim ele conseguiu fazer de uma simples tarde uma das minhas melhores lembranças. Ainda assim não posso carregar sentimentos comigo. Só o desejo é permitido na minha partida. Não construo morada em ninguém justamente para não ter despedidas. Odeio despedidas. Jogo toda saudade na mala e parto pra outro caminho. Uma das regras da felicidade : Leve tudo na mala se não quiser ficar. E eu geralmente nunca fico. 

Sorte pro futuro. Pra nós dois. Você é único. Jamais se perca de quem você é. Porque isso é o que fará com que eu volte atrás em qualquer decisão que eu tomar em relação a você. Se cuidaSe cuida só é dito pra quem queremos cuidar e não podemos.

A gente se vê.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O Blog Jeito Lunático agradece seu comentário!