A Lunática

Minha foto
Nutricionista. Canta por aí. Escreve sobre o que vë, ouve e imagina. Ela é aquariana, rapaz uma eterna colecionadoras de momentos e de pessoas. Inconstante e com uma personalidade gigante assim como o mar. A diferença é que ela vai, mas não volta.

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2017

Me Deixa Falar de Amor...



Nessa loucura de indecisões e futuro desconhecido. Nessa aventura de dias ruins e dias bons. Nessa maluquice que é acordar com a sensação de que a manhã será incrível e ir dormir tentando não se cobrar demais por ter falhado mais uma vez. Em meio a um oceano de pessoas desinteressantes, erradas e sem valor, eis que a vida e a tecnologia me presentearam com alguém incomum. Alguém único em sua forma de me encantar ao dialogar sobre as coisas que desinteressam o mundo, mas que pra mim fazem todo sentido.  Alguém espetacular. Singular em seu jeito de me encontrar, conquistar e não mais soltar.  Alguém que me faz vestir o melhor sorriso. O sorriso distraído e por vezes tão descontraído. Alguém que me faz acompanhar seus passos pela habilidade que desenvolvi de não conseguir parar. Esse laço de beleza estranha me faz ficar pra admirá-lo com o olhar de quem não quer ir embora. Embora ir seja minha última opção.

Ele canta. Mas não é mais um que canta. Ele encanta e pelo som da sua voz eu ficaria com fones de ouvido eternamente só pra ouvi-lo mais perto. Ele compõe. Mas não é mais um que compõe. Suas letras me mostram o meu melhor lado. O melhor caminho. A sua música transmite a paz que desconheço, que há tempos não vejo, mas que agora consigo sentir e tocar. Então eu fecho os olhos, eu me balanço e o mundo se perde sob meus pés com o restante da esperança que não sou boba de declarar. Eu inutilmente me desvio da criação de tantas expectativas. Expectativas são poderosas, incontroláveis, possuem vida própria assim como a energia que ele possui.  Energia que me atrai, que me puxa, que me faz ficar e eu já  não quero ir a lugar algum que não esteja ao alcance do seu coração. Ou de suas mãos.

Esquecido por seus medos. Provo que não há engano. Provo que ele tem mais a oferecer do que imagina. Provo que sua música é incrível e que através dela eu já fui salva de mim mesma. Provo que seu humor transforma tudo. Ele é a luz que renovou minhas memórias. Que me desprendeu das antigas histórias. Que contou e cantou os desejos de ser alguém que vale a pena. Ele vale a pena. Ele dança. Mas não é mais um que dança. Ele dança e envolve. Nos seus braços me consumo em saudade mesmo ele estando ali. Tem sintonia, maestria em sua personalidade, ambos temos fé. Fé de que o passado se foi e o presente é benevolência de uma força maior. Eu só agradeço. Com ele é sempre verão. E o sol não queima, apenas aquece. Ele é o meu farol, ainda que eu perca o caminho, ele me guia, me orienta, me direciona ao seu reencontro. Perto dele acredito no impossível. No seu peito encontro abrigo, morada, descanso, paz. Ele é o meu lugar. O meu final feliz.