A Lunática

Minha foto
Belém, Pará, Brazil
Nutricionista. Canta por aí. Escreve sobre o que vë, ouve e imagina. Ela é aquariana, rapaz uma eterna colecionadoras de momentos e de pessoas. Inconstante e com uma personalidade gigante assim como o mar. A diferença é que ela vai, mas não volta.

segunda-feira, 22 de junho de 2015

Sua Bagunça Não Combina com a Minha Vida

 
Três passos à frente e ele não me alcançou. 
Embora eu adorasse com o olhar suas inúmeras brincadeiras nunca dei espaço pra fazê-lo entender que o queria – mais que tudo e durante tanto tempo. Eu podia ter dito sim, ter dito vamos, ter dito me leva ou somente que aceitaria ser pra todos aqueles convites que o meu silêncio recusou. O silêncio ou o sorriso eram as únicas respostas que o meu jeito meio tímido sabia dar. Por isso em confissão admito minha culpa. Quem diz na vida inteira não possuir algum arrependimento mente. Perdê-lo para minha falta de atitude causou meu pior remorso. 
Listei todos os defeitos possíveis e inimagináveis na esperança de que isso me fizesse desistir, mas nem o fato dele ter alguém me fez parar. Escrevi textos longos sobre como deixa-lo ir sem sentir saudade ou um vazio imenso. Inventei razões, desculpas, motivos pra ficar ali, perto, ao lado, segurando o pouco que cabia naquele pequeno lugar. Perto dele era como ficar sob a luz sol: Ora me aquecia, ora me queimava. Seus braços e mãos sempre tão confortadores não me protegeram das mudanças resultantes da minha total falta de coragem. Quando menos esperei o jogo psicológico começou e mesmo me julgando experiente, perdi. Ele usou armas perigosas e isso doeu de tal maneira que enfim a um custo altíssimo de surto eu ergui a bandeira branca.     
Tive dias de sumiço e sono. Me desanimei da rotina o que possibilitou pesar o melhor pra mim, toda aquela bagunça não interessava pra minha vida, nem ele sendo meu maior querer no momento justificou tanto desequilíbrio. A grande ajuda que tive veio de defeitos os quais ele mesmo colocou em si. Todo aquele sol virou um iceberg imenso, eu já não queria mais proximidades por saber que todo aquele gelo também seria capaz de me queimar.  

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O Blog Jeito Lunático agradece seu comentário!