A Lunática

Minha foto
Belém, Pará, Brazil
Nutricionista. Canta por aí. Escreve sobre o que vë, ouve e imagina. Ela é aquariana, rapaz uma eterna colecionadoras de momentos e de pessoas. Inconstante e com uma personalidade gigante assim como o mar. A diferença é que ela vai, mas não volta.

quinta-feira, 15 de março de 2012

O Caderno - Pe. Fábio de Melo


Eu não sei se você se recorda do seu primeiro caderno, eu me recordo do meu. Com ele eu aprendi muita coisa, foi nele que descobri que a experiência dos erros, ela é tão importante quanto à experiência dos acertos. Por que vistos de um jeito certo, os erros, eles nos preparam para nossas vitórias e conquistas futuras. Por que não há aprendizado na vida que não passe pela experiência dos erros.

Caderno é uma metáfora da vida, quando erros cometidos eram demais eu me recordo que nossa professora nos sugeria que a gente virasse a pagina, era um jeito interessante de descobrir a graça que há nos recomeços. Ao virar a pagina os erros cometidos deixavam de nos incomodar e a partir deles a gente seguia um pouco mais crescido;

O caderno nos ensina que erros não precisam ser fontes de castigos. Erros podem ser fontes de virtudes, na vida é a mesma coisa. O erro tem que esta a serviço do aprendizado, nenhum tem que ser fonte de culpas, de vergonhas. Nenhum ser humano pode ser verdadeiramente grande sem que seja capaz de reconhecer os erros que cometeu na vida.

Uma coisa é a gente se arrepender do que fez, outra coisa é a gente se sentir culpado. Culpas nos paralisam, arrependimentos não. Eles nos lançam pra frente, nos ajuda a corrigir os erros cometidos. Deus é semelhante a um caderno. Eles nos permite os erros pra que a gente aprenda pra fazer do jeito certo. Você tem errado muito? Não importa aceite de Deus esta nova pagina de vida que tem nome de hoje. Recorde-se das lições do seu primeiro caderno, quando os erros são demais vire a pagina!

O que está escrito em mim comigo ficará guardado se lhe dá prazer. A vida segue sempre em frente. O que se há de fazer... Só peço, a você um favor, se puder: Não me esqueça num canto qualquer.